Minha conta
    Os melhores filmes dos "piores" atores
    Por João Vitor Figueira — 31 de mar. de 2018 às 14:10

    Nem tudo está perdido na filmografia destes artistas que já atuaram em diversos filmes considerados ruins pela crítica.

    Há um motivo para "piores" estar em entre aspas no título desta notícia. Analisar questões artísticas, como a qualidade da performance de um ator ou de um filme, é sempre uma tarefa subjetiva. Para isso, o AdoroCinema usou dados do site Metacrític (um agregador de críticas da imprensa especializada relativamente similar ao Rotten Tomatoes) para identificar nove atores e atrizes famosos que costumam aparecer em filmes considerados ruins ou medíocres com bastante frequência.

    Assim, o objetivo desta matéria é fazer o caminho inverso e relembrar os bons trabalhos de personalidades que nem sempre fazem as melhores escolhas na hora de selecionar seus projetos (sim, eu estou falando de você, Nicolas Cage dos últimos 15 anos).

    Nicolas Cage tem feito escolhas péssimas nos últimos anos, mas o ator que já venceu o Oscar por Despedida em Las Vegas (1995) viveu um ponto alto de sua carreira no genial drama metalinguístico Adaptação (2002), fruto da mente eternamente brilhante do roteirista Charlie Kaufman.

    Jessica Alba viveu a stripper Nancy Callahan em Sin City - A Cidade do Pecado (2005), o melhor filme de sua carreira marcada por performances fracas, mas esforçadas (afinal, prêmios no Framboesa de Ouro não se ganham sozinhos).

    Adam Sandler tem um inegável carisma, mas tem atuado no piloto automático há anos, vide suas péssimas comédias filmes recentes para a Netflix (exceto Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe). Entretanto, o ator tem talento para sair da zona de conforto e mostrou isso quando foi convidado por Paul Thomas Anderson para estrelar comédia romântica cult Embriagado de Amor (2002). O brilho dramático do ator também ficou evidente em Reine Sobre Mim (2007).

    Após conquistar o posto de queridinha da América com seu trabalho na série Grey's Anatomy, Katherine Heigl iniciou uma carreira nos cinemas que nunca atraiu muito prestígio pela crítica e a atriz fez uma comédia romântica insípida atrás da outra — a exceção é o divertido Ligeiramente Grávidos (2007), dirigido e escrito por Judd Apatow.

    Hitch - Conselheiro Amoroso não é uma obra-prima, mas mereceria uma Palma de Ouro perto dos outros trabalhos estrelados por Kevin James (sem contar com as animações).

    Alicia Silverstone atuou no pior filme do Batman já feito, mas também tem um dos clássicos adolescentes dos anos 90 na sua filmografia, As Patricinhas de Beverly Hills (1995).

    Com 10 indicações à Framboesa de Ouro (e dois prêmios por Contato de Risco), Jennifer Lopez já provou que, como atriz, é uma ótima cantora. Os destaques positivos de sua carreira na sétima arte são Irresistível Paixão (1998) (foto) e Selena (1997).

    Sem a mesma profundidade dramática de outras atrizes de sua geração, Jessica Biel raríssimas vezes estrelou um projeto bem sucedido. Um de seus trabalhos mais interessantes nos cinemas é no drama romântico de época com toque de suspense O Ilusionista (2006).

    É impossível pensar em Hayden Christensen sem lembrar do tosco diálogo "Eu não gosto de areia" em Star Wars: Episódio II (2002). É uma linha de diálogo tão bem atuada como o "Oh, hi mark" de The Room (2003). De qualquer forma, a trilogia prelúdio de Star Wars conseguiu terminar bem depois de dois filmes medíocres com Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith (2005)

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top