Minha conta
    Blindspotting: Estrelas de Hamilton lançam nova série no Starzplay (Entrevista)

    Estrelada por Jasmine Cephas-Jones e Helen Hunt, Blindspotting é uma sequência do elogiado filme Ponto Cego, de Daveed Diggs.

    O musical Hamilton foi responsável por revelar diversos talentos além de Lin-Manuel Miranda. Um deles foi Daveed Diggs, vencedor do Tony Awards por viver Lafayette e Thomas Jefferson na peça. Aproveitando o sucesso da obra, Diggs não foi bobo e aproveitou para lançar Ponto Cego, um filme que ele idealizou (por dez anos) e protagonizou com seu parceiro, Rafael Casal. A obra foi bem elogiada pela crítica e, agora, rendeu uma continuação em formato de série: Blindspotting, que chega ao Brasil através do Starzplay.

    Se o longa era centrado na amizade de Collin (Diggs) e Miles (Casal), abordando as dificuldades da vida, racismo e o sistema penitenciário norte-americano; o show foca na esposa de um deles,  Ashley - interpretada por Jasmine Cephas Jones, também parte do elenco original de Hamilton. O AdoroCinema teve a chance de falar com a atriz e com Rafael Casal sobre esse novo projeto. Mas o que é essa história?

    O que é Blindpotting (a série)?

    Misturando drama e comédia, a série se passa seis meses após os acontecimentos do longa, começando quando Miles é preso. Sem o apoio de seu marido, Ashley acaba precisando de ajuda para cuidar do filho pequeno do casal, e se vê obrigada a morar com a sogra Rainey (Helen Hunt) e a cunhada Trish (Jaylen Barron). Assim, a trama vai mostrando as atribulações do dia-a-dia, mas com momentos que ultrapassam a realidade, como quebras da quarta parede, coreografias e rap.

    8 filmes e séries para entender os protestos e o conflito racial nos EUA

    Segundo Casal, nunca houve interesse em continuar a história de Collin e Miles, então quando a Lionsgate surgiu com a ideia de fazer um spin-off, a dupla só aceitou fazer se fosse focado em Ashley "Quando [Daveed e eu] fizemos o filme, era nossa primeira vez como roteiristas, queríamos entregar algo que a gente ia conseguir fazer. Aí ganhamos recursos e fomos adicionando personagens. Quando nos convidaram pra fazer o show, pensamos no que fazia falta no filme e trouxemos isso para a série. Espero que a gente possa fazer o show por mais temporadas para explorar mais dessa história, mostrando outras figuras essenciais da área de Oakland, na Califórnia."

    Com Jasmine Cephas Jones, Blindpotting surge com visão feminina

    Daveed Diggs e Rafael Casal podem ser os produtores, mas eles convidaram um grupo de mulheres para ajudar a desenvolver esse show. Jasmine Cephas Jonas descreve a obra como um "show movido por mulheres", com três protagonistas femininas; além de diretoras e roteiristas mulheres envolvidas no projeto. Durante três anos, essa série foi se desenvolvendo e, agora, é chance de Ashley brilhar "Durante a produção do filme, fizemos uma história de origem para Ashley, mas ela aparece pouco no longa, então focamos nessas cenas em particular. Com a série, temos a chance de contar a história pelo ponto de vista dela. Expandimos sua história, falamos dos seus pais. Entendemos que ela era como Miles, antigamente, mas teve que se tornar responsável quando teve o filho. [...] Quebrar a quarta parede foi desafiador, mas começamos a perceber esses momentos como se fossem monólogos shakespearianos. Acabaram se tornando alguns de meus momentos favoritos, pois Ashley é tão honesta e verdadeira neles."

    Starzplay: 5 séries que valem a pena assistir no streaming

    Além de Cephas Jones, o grande destaque no elenco fica pela presença de Helen Hunt, atriz veterana do cinema e da TV, vencedora do Oscar por Melhor É Impossível e do Emmy por Mad About You. Diante de uma figura tão talentosa, Casal conta que ficou receoso em chamá-la para Blindspotting, mas ficou feliz quando ela aceitou a proposta:  

    "Helen foi uma grande fã do filme. Ela twittou sobre ele, na mesma hora que eu assistia Twister. Era o destino. Nos tornamos amigos e quando o show foi ganhando forma, decidi fazer o convite. Ela aceitou ler o roteiro e começou a fazer uma série de notas sobre como poderíamos melhorar a personagem, trazendo coisas que a gente nem tinha considerado. De repente, ficou claro que o papel era dela. Ela encanta a todos e traz um nível de comprometimento alto no set. Queríamos ser nossas melhores versões porque estávamos com ela."

    Produzido por Daveed Diggs, Blindspotting mistura drama e comédia

    Sinceramente, é até difícil descrever Blindspotting. Esse universo tenta explorar a realidade, mas não tem medo de brincar com o lúdico. Fala de temas dramáticos, mas não foge da zoeira. De certa forma, por isso parece ainda mais humano.  "Eu sinto que quando algo trágico acontece na minha vida, ao mesmo tempo, também acontece algo hilário. Ou começo a rir em algum momento muito complicado. Somos criaturas de diversos gêneros, experimentamos tudo de uma vez. Eu não acordo e tenho um dia de comédia, outro dia só dramático. A vida não existe assim", reflete Casal.

    Vencedora do Emmy pela série de curto formato #FreeRayshawn, Jasmine Cephas Jones enxerga esse mesmo sentido na sua primeira grande protagonista, acreditando que Blindspotting tem tudo para conquistar espectadores do mundo inteiro, pois o sentimento é igual. "Muitas pessoas lidam com trauma através da comédia. Muita gente ri da própria dor. Isso é exatamente o que esses personagens estão fazendo. É um show divertido, mas também inteligente, tem espaço para tudo. Queríamos fazer as pessoas rirem e, de repente, elas se encontram questionando porque estão chorando no fim de um episódio. Essa é a realidade. Queremos trazer esperança, luz e alegria."

    Blindspotting estreia no serviço de streaming Starzplay em 13 de junho. 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top