Minha conta
    His Dark Materials: Ruth Wilson e Clarke Peters contam o que podemos esperar da 2ª temporada (Entrevista)
    Por Rafael Aloi — 9 de dez. de 2019 às 17:40

    Atores vieram ao Brasil para participar da CCXP 2019.

    Divulgação

    His Dark Materials chega ao seu sexto episódio na HBO nesta segunda-feira (9), se aproximando do fim da temporada, que acontecerá no oitavo episódio. Mas um novo ano da série de fantasia já está programado, e durante a sua passagem pelo Brasil, Ruth Wilson e Clarke Peters, que interpretam Mrs. Coulter e O Mestre respectivamente, contaram um pouco do que podemos esperar da segunda parte.

    A dupla de atores veio ao país para participar da CCXP 2019. Mas antes do painel em que participaram no domingo (8), os dois participaram de uma conversa com poucos jornalistas na qual o AdoroCinema estava presente.

    His Dark Materials é baseado na trilogia Fronteiras do Universo, escrita por Philip Pullman. Os acontecimentos da primeira temporada tem como base primordial o primeiro volume, A Bússola de Ouro, mas já começaram a aparecer elementos do segundo volume, A Faca Sutil. Na conversa, os atores contaram um pouco de como a trama deve se desenrolar, mas evitando spoilers.

    "Para mim, o segundo livro sempre foi mais íntimo, uma vez que estamos mais imersos nesse ambiente, e você começa a ver muito mais da psicologia desses personagens. Temos também A Luneta Ambar [terceiro volume da trilogia] que é uma fera por si só, com a qual nós teremos que lidar", diz Ruth Wilson.

    "Acredito que no fim da segunda temporada, muitos vão querer voltar [para episódios anteriores] para entender tudo que passou. Conforme formos avançando, nós veremos essa criança se tornar uma adulta. A terceira temporada eu não sei como será, mas é necessário que na segunda coloquemos pequenas sementes sobre o que falaremos sobre o Pó. O Livro do Pó saiu recentemente, mas nós já estamos falando sobre ele", completa Clarke Peters.

    Divulgação

    O Livro do Pó é uma segunda trilogia escrita por Philip Pullman, que narra acontecimentos anteriores aos vividos por Lyra (Dafne Keen). O primeiro livro foi publicado em 2017, e o segundo saiu em outubro de 2019, um mês antes da estreia da série.

    "Os produtores estão lendo [os novos livros]. É bom pois vemos coisas que seguimos um caminho correto, e outras que nos afastamos, e nós estamos criando outros detalhes, os fãs conseguem captar isso mesmo em relação aos livros originais", diz Ruth sobre o fato de o autor ainda estar escrevendo tramas do universo da saga.

    Adaptando os livros

    A Bússola de Ouro já ganhou uma adaptação nos cinemas em 2007, que foi mal recebida pelos fãs e pelo próprio criador da saga. Recentemente, a HBO também enfrentou grande controvérsia por causa do final de Game of Thrones, uma adaptação literária que ultrapassou os livros originais. Por isso, His Dark Materials se mostra um desafio nesse quesito.

    "Eu fui com os meus filhos assistir a A Bussóla de Ouro e não entendi nada. Lendo os livros eu percebi que não tem como contar essa história em duas horas. Todas as questões que ela aborda, leva muito tempo. O formato que temos agora permite explorar todas as suas nuances, de política, de espiritualidade enquanto levamos essa garota em uma jornada extraordinária", avalia Peters.

    "Você tem que trazer a ideia dos Daemons, dos Papões, do Magistério, criar não só um mundo novo, como vários. Não é uma coisa fácil para os espectadores. Tem uma grande profundidade psicológica e filosófica", continua Ruth.

    "Eu ouvi pessoas dizerem: 'é exatamente assim que eu pensei que seria'. E outras pessoas estão dizendo 'eu achava que o Mestre era de outra maneira'. Acho que o melhor é se você estiver assistindo à série agora, é que leia os livros. Se você leu os livros, dê uma chance à imaginação de outra pessoa preencher essa história e você poderá encontrar uma surpresa realmente interessante pelo caminho", completa Peters.

    Divulgação

    Os dois ainda contaram que um aspecto técnico exigiu algumas mudanças nos roteiros. "Há um problema em trabalhar com crianças: você tem horário limitado. São poucas horas que eles podem ficar no set [por lei]. Então, na verdade, você precisa dar espaço para outros personagens, porque não seriamos capaz de filmar tudo só com as crianças, levaria três anos para fazer uma temporada", explica Ruth Wilson.

    Programa para a família?

    Os livros escritos por Pullman são considerados infanto-juvenis, mas abordam questões de espiritualidade, filosofia, religião e autoritarismo que podem ser considerados uma trama pesada inclusive para adultos. Quando questionados quem seria o principal público da série exibida pela HBO (e pela BBC originalmente no Reino Unido), os atores acreditam ser uma expriência para toda a família.

    "Parece ser um produto que atravessa fronteiras. É uma experiência familiar. Você fica sentado com o seu filho e ambos terão uma jornada maravilhosa. E ambos ficarão satisfeitos e também poderá promover alguma discussão: 'o que acontece quando vocês cresce, mamãe?'", diz Peters.

    "Eu estava falando com uma amiga, ela disse que é o primeiro programa que ela pode assistir com seus filhos. Todos se sentam e no domingo à noite no Reino Unido, e agrada a todos e funciona em muitos níveis diferentes. Minhas sobrinhas e sobrinhos também me ligam e ficam 'ei, você é uma Papão? O que é Pó?' Eu não sei o que é Pó", brinca Ruth.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top