Minha conta
    Ilha de Ferro capricha em efeitos visuais e elenco estrelado para atrair o público (Primeiras Impressões)
    Por Katiúscia Vianna — 19 de nov. de 2018 às 08:12

    Já disponível no Globoplay, o piloto da série estrelada por Cauã Reymond é o destaque da Tela Quente, nesta segunda-feira (19/11).

    Aos poucos, o serviço de streaming Globoplay abandona a ideia de ser apenas um arquivo das produções Rede Globo, a fim de trazer conteúdo exclusivo para os assinantes online. Para começar, foram lançadas séries internacionais como The Good Doctor. Agora, é hora de apostar em produções nacionais. Após o drama Assédio, chegou a vez de Ilha de Ferro.

    Misturando drama e ação, a superprodução usa a complicada rotina dos petroleiros para contar a história de Dante (Cauã Reymond), trabalhador dedicado e líder nato da plataforma PLT-137, recordista de acidentes. Se ele fica indignado ao ver a novata Júlia (Maria Casadevall) assumir o cargo de gerente no trabalho, sua vida pessoal também não está fácil. Afinal, ele descobre que sua esposa Leona (Sophie Charlotte) e o irmão Bruno (Klebber Toledo) são amantes.

    A primeira vista, a qualidade técnica da série realmente impressiona. A direção de Afonso Poyart (2 Coelhos, Mais Forte que o Mundo) apresenta um visual impecável, como no movimento da câmera para acompanhar as dificuldades diárias dos petroleiros, contribuindo para transmitir o desespero de tal situação. Mas o trabalho alcança seu auge no uso de cores e luzes vibrantes em sequências surreais, que servem para complementar os sentimentos de determinados personagens. Tal fuga da realidade é bem-vinda, pois não atrapalha o ritmo da história, mas ainda traz algo singular ao focar no aspecto psicológico.

    Observando o elenco apenas nesse capítulo inicial, Cauã Reymond domina a tela, numa presença que promete ser marcante o suficiente para carregar toda a narrativa. Afinal, a história de Adriana Lunardi e Max Mallmann não tem medo de trazer grandes reviravoltas e cenas dramáticas para seu Dante no piloto —principalmente o emocional conflito envolvendo o irmão e a esposa. Por falar nisso, Sophie Charlotte já rouba a cena, provando sua entrega física à Leona, ao mesmo tempo que deixa o espectador intrigado por tentar compreender tal conturbada personalidade. Por fim, uma rivalidade entre o protagonista e Astério (Milhem Cortaz) também indica uma possível subtrama interessante.

    Por fim, fica claro o motivo da expressão "superprodução". Já em seu piloto, Ilha de Ferro traz complicadas sequências com helicópteros; cenas envolvendo efeitos visuais, fogo e oceano; além da necessidade de construir toda uma cidade cenográfica para dar vida à PLT-137. Para os próximos episódios, ainda surgem promessas de investir outros gêneros, como o suspense. E, pelo visto, a Globo segue apostando em tal projeto, que já foi renovado até a terceira temporada, mesmo antes da estreia oficial.

    Só o tempo dirá se Ilha de Ferro conseguirá manter o bom resultado apresentado em seu piloto. Mas a ousadia de estilo já conta como um belo ponto a seu favor...

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Ricardo Fortes
      Eu até admiro o esforço da Globo, mas nenhuma dessas séries que ela vem lançando me desperta interesse.
    • Vidamell Vida R.
      hmmm.........
    Mostrar comentários
    Back to Top