Minha conta
    Produtores criativos de Game of Thrones atacam cultura do spoiler e fazem caso contra os 'apressadinhos'
    Por Laysa Zanetti — 15 de abr. de 2016 às 10:50

    David Benioff e D.B. Weiss não querem ninguém descobrindo a verdade antes da hora.

    Jeff Kravitz/Getty Images
    Todo mundo tem aquele amigo que, volta e meia, solta um spoiler de algum filme ou série sem querer. Há quem realmente não se importe em ouvir o final de uma história antes de conhecer o meio, mas há aqueles que não suportam um spoiler, enlouquecem e até se isolam para não correrem o risco. Inclusive, já escrevemos um artigo dedicado ao tema. E entre os membros ilustres deste segundo grupo estão os dois produtores de Game of Thrones, D.B. Weiss e David Benioff.

    Em uma entrevista recente com a Entertainment Weekly, a dupla atacou a incessante busca dos fãs por spoilers da sexta temporada de GoT, e explicou por que considera uma decisão não muito prudente, sob o ângulo de visão de um espectador, querer saber o que aconteceu antes da hora:

    "Qualquer pessoa sã admitiria que saber das coisas antes da hora diminui a experiência de assistir, e ainda assim as pessoas estão famintas para descobrir coisas que podem fazer algo de que elas gostam se tornar uma experiência pior", justificou Weiss.

    A revolta de Benioff e Weiss contra os spoilers é entendível, visto que Game of Thrones teve os quatro primeiros episódios da quinta temporada vazados na internet antes da estreia -- um prato cheio para os curiosos, que fez com que a segurança fosse reforçada para o ano seis. Por outro lado, esta é a primeira vez que nem mesmo o mais chato ávido fã dos livros de As Crônicas de Gelo e Fogo sabe exatamente o que vai acontecer na próxima temporada da série. Exceto algumas poucas tramas que não estão no mesmo ponto que os livros, a grande maioria da história é desconhecida para toda a audiência, então, de fato, não há spoiler algum de Game of Thrones circulando por aí no momento.

    Mesmo assim, para garantir que nada das gravações ou da pré-produção cairia em mãos (ou bocas) erradas, a segurança foi reforçada nos sets internacionais durante a gravação da temporada. Nenhum roteiro foi enviado em papel, apenas no formato eletrônico. O 'círculo de confiança' foi restringido entre elenco, equipe e executivos, no que diz respeito a detalhes da história. Codinomes foram utilizados para alguns personagens; e até mesmo os parceiros internacionais da HBO vão receber os episódios semanalmente em um horário muito mais próximo à exibição original. Isso sem contar, é claro, a vigilância para garantir que os fãs não fotografassem ou acompanhassem a gravação das cenas.

    "É como proteger a sua casa", comparou Benioff. "Você faz ser o mais difícil possível para invasores na esperança de que eles procurem outra casa para invadir, mas é impossível garantir a segurança completamente."

    É natural que uma série com um nível de produção tão alto como Thrones crie esta preocupação maior na sua equipe de produção, já que nos anos anteriores foi bastante difícil segurar algum spoiler. Sempre havia aquele que contava, em fóruns de internet ou comentários de sites, o que já leu nos livros, e acabava com a festa de quem gostaria de apreciar o desenvolvimento de algo como o Casamento Vermelho, por exemplo, com a experiência completa. Esta é a primeira vez que GoT tem a vantagem de não precisar lutar contra estes trolls, já que ninguém sabe o que acontece de fato com Jon Snow (Kit Harington), tampouco com Cersei (Lena Headey), Sansa (Sophie Turner) ou Daenerys (Emilia Clarke). Este é o grande trunfo. Embora fãs e imprensa tenham conseguido alguns furos durante a gravação da temporada na Irlanda do Norte, pouca coisa é realmente significativa. Tudo bem, seria mais fácil se todos parassem de fingir que Jon Snow está realmente morto (cá para nós, né?), mas não é bem melhor descobrir o que vai acontecer com ele no tempo certo da história, como planejado por aqueles que a desenvolveram?

    Apesar disso, há aqueles que acreditem que conhecer o final da história antes do tempo não diminui a experiência de observar a construção. Um exemplo que adiciona lógica a este pensamento é Better Call Saul. Embora todos que conhecem Breaking Bad saibam o que acontece com o advogado alguns anos depois, toda semana nós mergulhamos em uma análise mais profunda do personagem e daqueles à sua volta, e ter conhecimento do que acontece com ele depois não prejudica em absolutamente nada o brilhantismo da série.

    Aliás, quem acompanha House of Cards sabe, e Doug Stamper (Michael Kelly) já deu o recado diferenciando o spoiler babaca e o spoiler inevitável. Spoiler alert: não seja o babaca.

    Game of Thrones retorna no dia 24 de abril. Até lá, sem spoiler

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top