Minha conta
    Produtor de Quantico é processado por ter supostamente roubado a ideia!
    Por Laysa Zanetti — 30 de out. de 2015 às 13:44

    De acordo com o processo, a ideia vem de um documentário de 1999 não creditado na série.

    Uma das séries estreantes mais elogiadas da Fall Season 2015, Quantico é protagonizada por Priyanka Chopra e gira em torno de uma turma de recrutas do FBI sendo treinada na base de Quantico. O que ninguém sabe é que um dos aprendizes é na verdade um terrorista escondido, que planeja um ataque maior que o 11 de Setembro.

    Com altos números de audiência, a série é exibida nos Estados Unidos aos domingos, na ABC, em um horário altamente competitivo, e ainda assim mantém altos números de audiência e figura entre as séries mais assistidas da temporada.

    Além de todos os elogios, uma ação judicial registrada nesta quinta-feira (29) alega que o projeto na verdade foi roubado!

    A história começa em 1999, quando os cineastas Jamie Hellman, Barbara Leibovitz Hellman e a produtora executiva Paula Paizes produziram o documentário Quantico: The Making Of An FBI Agent. O documentário foi exibido na CNN, e a equipe teve acesso total a uma turma de agentes em formação para o FBI, durante as 16 semanas do treinamento.

    De acordo com o registro do processo, Paula Paizes formou uma relação de negócios com Mark Gordon (criador e showrunner de Quantico), em 2001, e durante a época, a equipe do documentário já vinha discutindo a possibilidade de transformá-lo em um filme ou série. Paizes levou o projeto a Gordon, e sua produtora, Mark Gordon Company, comprou a ideia. Os quatro passaram a interagir via e-mail, e Jamie e Barbara Hellman revelaram que tinham muito material de pesquisa que não havia entrado no documentário, e que poderiam ainda entrar novamente em Quantico e no FBI. Em 2002, a Mark Gordon Company e a Leibovitz-Hellman Productions assinaram um acordo que “fornecia à MGC total acesso aos filmes do documentário, informações que não foram incluídas nele e anotações e transcrições relacionadas à produção”.

    Inicialmente tratado como Projeto Quantico, o pré-roteiro já envolvia uma conspiração dentro da Academia, embora as discussões girassem em torno da produção de um filme. Segundo o texto do processo, o conceito seria justamente uma história sobre conflitos e os questionamentos: “Quem são os mocinhos e quem são os vilões? Em quem se pode confiar? Quem salvou quem?” A série da ABC mostra exatamente essas mesmas indagações quando os episódios alternam entre flashbacks e cenas futuras, provocando dúvidas no espectador sobre quem está mentindo e quem está dizendo a verdade.

    O contrato entre Hellman e MGC durou até 2003. À época, Mark Gordon estava envolvido em outro projeto, e embora tenha alegado que adoraria discutir a ideia quando tivesse mais tempo, nenhum esforço foi feito para levar o suposto filme à frente.

    Por isso, quando Quantico estreou na TV em setembro deste ano, Paizes, Hellman e Leibovitz imediatamente fizeram a conexão, pois o roteiro lembra (e muito!) as discussões iniciais entre 2001 e 2003. Alegando quebra de contrato, os requerentes do processo pedem que os créditos do documentário sejam reconhecidos. Justo, não?

    Plágio ou não, Quantico vai ao ar no Brasil na AXN todas as segundas, às 22h.

     




    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top