Minha conta
    Criador de Fargo conta por que decidiu fazer a série de X-Men baseada no mutante Legião
    Por Rodrigo Torres — 20 de out. de 2015 às 00:12

    Noah Hawley conta que a ideia de um mutante marginalizado e que não sabe diferenciar o que é real ou não motivaram a produção de Legion.

    Noah Hawley, o criador de Fargo anunciado na semana passada como produtor responsável por Legion, já concedeu entrevista, ao TV Insider, comentando alguns pontos sobre a nova série do FX. Primeiro, Hawley disse que, apesar do protagonista ser filho do Professor Xavier, ele não deverá ter um crossover com a franquia cinematográfica X-Men. Então, agora ele explica qual seria o atrativo em se realizar uma série do personagem.

    Noah Hawley
    "Eu não sou muito fã de quadrinhos [...], mas comecei a pensar naquele universo e se poderia haver uma série interessante que girasse em torno da ideia de uma identidade de mutante marginalizado", explica Hawley, que pensou imediatamente em X-Men por causa das questões morais reais que a HQ levanta e, por exemplo, de dois pontos de vistas tão válidos e opostos, como os de Magneto e Xavier. "Eu basicamente desenvolvi uma série que gostaria de contar e então eu encontrei o personagem certo para isso", conta ele, indicando que tratará do ímpeto vs. razão em Legião.

    Assim, o personagem David Haller será explorado em sua plenitude, de seu transtorno de múltipla personalidade aos superpoderes que cada uma delas possui (e o que isso permite): "Ele é louco ou são os seus poderes? A resposta é meio que as duas coisas. Eu acredito muito que a estrutura de uma história deve refletir o conteúdo da história. Então, eu gostei da ideia de que, se o personagem não sabe o que é real e o que não é real, esta também pode ser a viagem do público." Muito bom!

    Legion foi uma de duas séries do acordo entre a 20th Century Fox e a Marvel TV. A outra será Hellfire, também superviosonada pelos produtores principais de X-MenBryan Singer e Simon Kinberg, e que deverá ter ligação com a franquia cinematográfica.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top