Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Conheça o Retina Latina, serviço gratuito de streaming para filmes latino-americanos
    Por Felipe Ribeiro — 16 de out. de 2016 às 09:00

    O site até o momento tem 14.900 usuários e 75 filmes, entre curtas e longas.

    Dovulgação
    Quantas vezes vocês já viram um longa latino-americano em cartaz nos cinemas? Vocês conhecem os filmes que representam a cinematografia dos países da América Latina? Se as respostas foram parecidas com "Poucas vezes!" e "Não conheço!", não se desesperem. A verdade é que existe um grande problema de distribuição para essas produções. Mas, pensando nessa lacuna, foi criado o Retina Latina, um site de streaming gratuito que até o momento possui 51 longas e 24 curtas latino-americanos, entre documentários e ficções.

    Film Movement
    Foto do filme colombiano La Sirga. Indicado ao Festival de Cannes e ao Festival de Toronto, o longa fala sobre a violência no interior do país.
    Similar a outras plataformas, como a Netflix e o Telecine Play, o diferencial do Retina Latina é o viés público do canal de streaming. Iniciado pelo governo da Colômbia, o projeto está no ar há quase seis meses e foi feito em parceria com Bolívia, Equador, Peru, México e Uruguai. Segundo a Folha de São Paulo, Cuba, Chile e Argentina estão estudando a possibilidade de aderir ao site.

    Similar ao Retina Latina, a Argentina possui sua própria plataforma de streaming, o Odeon, que está no ar desde o final de 2015 e que é disponível apenas para os argentinos. Apesar das diferentes acessibilidades, os dois sites possuem a mesma intenção, a de propagar e promover os filmes locais.

    Burning Blue
    Filme La Playa , selecionado pra mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes.
    Em 2013, quando o projeto estava em fase de construção, o Brasil foi convidado a integrar a plataforma, mas declinou o convite devido aos custos. De acordo com a Folha de São Paulo, a primeira fase do Retina Latina teve orçamento em torno de R$ 3,7 milhões, sendo 36% do valor custeado pelo BID (Banco Nacional de Desenvolvimento). Devido ao fato do site estar disponível para toda a América Latina, o território nacional tem acesso aos filmes mesmo não participando da iniciativa.

    "Os filmes [latino-americanos] enfrentam dificuldades para circular em seus próprios países de origem e ainda mais nos vizinhos. A ideia é que as obras que sofrem para conseguir espaço nas salas de cinema tenham visibilidade on-line. Não competimos com plataformas comerciais, que precisam ter lançamentos", disse à Folha Yenny Chaverra Gallego, coordenadora do Retina Latina. Pensando nisso, a curadoria da plataforma escolhe obras de diferentes épocas e gêneros que representem as produções cinematográficas dos países.
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top