Minha conta
    "É uma pena, até Megatubarão 2 é mais coerente": Cientistas franceses indignados com o filme de tubarão da Netflix, Sob as Águas do Sena
    Bruno Botelho dos Santos
    Bruno Botelho dos Santos
    -Redator | crítico
    Bruno é redator e crítico do AdoroCinema, que divide seu tempo na cultura pop entre tomar susto com os mais diversos filmes de terror, assistir os clássicos do cinema ou os grandes blockbusters e enaltecer o trabalho de David Lynch e Stanley Kubrick.

    A caça a um tubarão assassino nas águas de Paris é um cenário improvável que perturbou a comunidade científica.

    O mais recente sucesso da Netflix, Sob as Águas do Sena está gerando muitos comentários nas redes sociais. O filme francês estrelado por Bérénice Bejo faz Paris ser aterrorizada por tubarões no meio de uma prova de triatlo no rio Sena que lembra o próximo evento olímpico na cidade, mas a ciência não compra a fantasia de Xavier Gens.

    Cientificamente incorreto, desnecessariamente alarmante

    Sob as Águas do Sena
    Sob as Águas do Sena
    Data de lançamento 5 de junho de 2024 | 1h 44min
    Criador(es): Xavier Gens
    Com Bérénice Bejo, Nassim Lyes, Anaïs Parello
    Usuários
    2,9
    Assistir em streaming

    Segundo o Le Parisien, para o fundador do Phocéen Shark Study Group, Nicolas Ziani, especialista em ictiologia marinha, a premissa é nada menos que escandalosa.

    É uma vergonha. Caí do armário quando vi o trailer. É um apocalipse cognitivo. São quase notícias falsas. Estamos importando um problema que nunca existiu na França. O último Megatubarão com Jason Statham é quase mais coerente

    O especialista confirma que existem espécies eurialinas, que toleram variações de salinidade e temperatura como o tubarão-touro e podem por vezes atacar humanos.

    Os tubarões cinzentos, que se adaptaram à água salobra, não exatamente doce, como no Ganges. Mas o grande tubarão branco é uma espécie extremamente sensível, não sobreviveria dois dias nas águas do Sena, mesmo sem poluição. Este filme dá uma imagem de catastrofismo que beira a demência. Não tem credibilidade científica, mesmo que rodeie o seu tema com uma vaga mensagem ecológica, quase da ordem da propaganda
    Netflix

    O cientista confirma que o grande tubarão branco corre o risco de ser erradicado e acredita que o filme de Xavier Gens transmite uma mensagem cientificamente alarmante.

    O perigo dos tubarões é muito superestimado. No biótopo francês, existem 75 espécies de tubarões que não representam perigo para o homem. O orçamento colossal de 20 milhões de euros poderia ter servido a causa dos tubarões em vez de lhes prestar um desserviço. Entretanto, a investigação para compreender melhor os nossos tubarões franceses está em agonia durante este período

    No coração de Paris, no verão de 2024, pela primeira vez os parisienses irão sediar o anual Campeonato Mundial de Triatlo, competição de natação no lendário rio Sena. Porém, os planos estão prestes a mudar quando a ativista ambiental Mika nota uma estranha agitação no rio. É com urgência que ela alerta a cientista Sophia (Bérénice Bejo) que um grande tubarão está nadando nas profundezas do rio Sena. Apesar de desacreditada, o terror se instaura, e a competição se torna uma luta pela sobrevivência. Para evitar um banho de sangue no coração da cidade, elas precisam se juntar ao chefe de polícia Adil. Em uma corrida contra o tempo, o trio precisa encontrar uma maneira de neutralizar o tubarão e garantir a segurança dos competidores e espectadores, enquanto enfrentam a incredulidade das autoridades e o pânico crescente entre os habitantes de Paris.

    *Conteúdo global AdoroCinema

    Fique por dentro das novidades dos filmes e séries e receba oportunidades exclusivas. Ouça OdeioCinema no Spotify ou em sua plataforma de áudio favorita, participe do nosso Canal no WhatsApp e seja um Adorer de Carteirinha!

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Comentários
    Back to Top