Minha conta
    Pecados Íntimos
    Média
    3,7
    477 notas
    Você assistiu Pecados Íntimos ?

    23 Críticas do usuário

    5
    7 críticas
    4
    6 críticas
    3
    4 críticas
    2
    4 críticas
    1
    1 crítica
    0
    1 crítica
    anônimo
    Um visitante
    4,0
    Enviada em 1 de agosto de 2020
    Após surpreender em sua estreia na direção com a ''mini Obra-prima'' Entre Quatro Paredes, o ex-ator coadjuvante de filmes independentes Todd Field voltou com tudo cinco anos depois em Pecados Íntimos, um drama maturo, sensível, e multifacetado. Aqui, nos encontramos imersos em uma cidade suburbana onde um grupo de jovens casais passa seus dias absolutamente devotado ao sucesso de seus filhos – criados desde crianças para se transformarem em verdadeiros formandos de Harvard. Um mundo brilhante de filhos e pais perfeitos...Pelo menos durante o dia. À noite, entre quatro paredes, tudo se transforma. E os papais e mamães perfeitos tentam escapar de suas rotinas nada excitantes recorrendo à pornografia na internet ou então a casos extraconjugais. E enquanto estes casais tentam recuperar em segredo a intensidade de seus dias de adolescência, suas vidas começam a se cruzar de maneira surpreendente e muito perigosa. Sendo parte uma observação crua e direta da vida conjunta, parte uma exploração interessante da sexualidade pós juventude, Little Children (no original) é uma obra que não se priva de andar por caminhos pouco convencionais, nem se mostra acima de alívios cômicos pontuais, que servem como um bem-vindo balanço para a seriedade do tema central do filme. A narração é criativa e bem dosada na maior parte do tempo, embora soe um pouco excessiva em certos momentos, deixando alguns pontos da trama literais demais, não dando espaço para nuances. Todo núcleo principal está ótimo, só tenho algumas ressalvas quanto a performance de Noah Emmerich, cujo personagem tem um arco convincente, mas seu sotaque carregado e jeitão histriônico acaba soando um tanto quanto over-the-top. Mas de resto, o filme está repleto de talento : Kate Winslet é uma atriz que só melhora com a variedade de seus personagens, Jackie Earle Haley na atuação de sua carreira, num personagem que, inevitavelmente, causa repulsa imediata, mas que ao longo da fita se mostra a criatura mais humana de todo aquele lugar cercado de hipocrisia e falsidade. Patrick Wilson continua se mostrando um protagonista carismático. Enfim, o filme tem certos problemas aqui e ali que o impedem de ser tão bom quanto o filme anterior de Field, mas com um roteiro sensível e atuações competentes, Pecados Íntimos é sem dúvidas um ótimo drama adulto.
    marinasilper
    marinasilper

    Seguir usuário 2 seguidores Ler as 5 críticas

    5,0
    Enviada em 28 de abril de 2015
    Um excelente relato das típicas famílias americanas de classe média. Em "Pecados Íntimos" o véu que cobre as aparências do ser humano perante a sociedade é desfeito, nos revelando um mundo em que podres, superficialidade e infelicidades matrimoniais ilustram a psique dos personagens. Aqui, a infidelidade não é encarada como um ato promíscuo e impulsivo, mas uma forma de preencher os vazios presentes nas relações matrimoniais dos protagonistas. O narrador faz questão de nos revelar os sentimentos mais profundos e os motivos que induzem às decisões tomadas pelos personagens. Além disso, temos cenas que revelam os, não tão agradáveis, bastidores do casamento, que vão influenciar diretamente nas reflexões promovidas sobre os personagens. Além de abordar a relação familiar que suga as motivações e os sonhos do indivíduo, temos também essa relação em uma escala doentia. É interessante como o filme une histórias paralelas em um mesmo mesmo contexto, mas todas elas ambientadas na hipocrisia social e promovidas pelas relações domiciliares. O filme poderia cair no clichê do "vamos fugir juntos", mas o tempo todo justifica os atos dos indivíduos, adicionando um desfecho racional ao filme.
    SERGIO LUIZ DOS SANTOS PRIOR
    SERGIO LUIZ DOS SANTOS PRIOR

    Seguir usuário 1.350 seguidores Ler as 293 críticas

    2,5
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    "PECADOS ÍNTIMOS", Todd Field, está em cartaz no Espaço Unibanco de Cinema, no Cine Roxy e nos complexos Cinemark da região. O livro de Tom Perrota, "LITTLE CHILDREN" (que foi traduzido para "PECADOS ÍNTIMOS", já que "CRIANCINHAS" não soaria bem para boa parte do público frequentador de cinemas) traz de volta à direção Todd Field, que havia feito um trabalho apenas razoável com "ENTRE QUATRO PAREDES" e agora retorna com força total. São as criancinhas que motivam suas mães a visitar diariamente um parque de uma cidade de subúrbio dos EUA. A classe média da terra do Tio Sam vive na periferia das grandes cidades, o oposto do que ocorre no Brasil. O grupo de mães do parque em questão tem uma adesão inesperada: Sarah (Kate Winslet) e sua filha. Ao contrário das demais mães do parque, Sara é intelectual, com mestrado em literatura. Seu objetivo na vida está longe de gastar seus precioso tempo fazendo fofoca sobre a vida alheia. Os caminhos de Sarah acabam por se encontrar com os de Brad (Patrick Wilson), que por estar desempregado tem a função de cuidar do seu filho durante o dia. Tanto Brad quanto Sarah não vivem uma fase boa no casamento. E olha que Brad é casado com a belíssima Kathy (Jennifer Connelly), uma documentarista. Os filhos de Brad e Sarah tornam-se amigos e a dupla começa a viver um tórrido caso de amor, com direito a closes do corpo de Kate Winslet. A trama pararela e fundamental para o enfoque que Todd Field quer fazer da população suburbana é encabeçada pelo ator Jackie Earle Haley, um pedófilo que acabou de sair da prisão e vive com a sua mãe super-protetora. A população de uma forma geral condenou a sua soltura, pois é inadmissível ver um "tarado" mergulhar na mesma piscina que os filhos das senhoras financeiramente abastadas. Seria ingenuidade demasiada projetar todos os problemas sexuais nas costas do pedófilo enquanto as traições e o mal-estar entre os casais são encarados com normalidade. Esse é o ponto nevrálgico de "PECADOS ÍNTIMOS", um libelo contra a hipocrisia da classe média americana. A atuação de Kate Winslet me deixou estupefato; ela simplesmente arrasa. O tom de parábola realçado pela narrativa, tal e qual uma historinha infantil, só faz aumentar o clima de mal-estar que atinge a nós, espectadores cúmplices destes pecados.
    Adriano V.
    Adriano V.

    Seguir usuário 17 seguidores Ler as 3 críticas

    5,0
    Enviada em 3 de setembro de 2013
    Filme feito para pessoas inteligentes e gostam de "sustância" em um roteiro, para poder refletir. O filme não é NADA previsível, e é simplesmente impecável quanto às atuações de TODOS do elenco.
    Isis Lourenço
    Isis Lourenço

    Seguir usuário 5.905 seguidores Ler as 766 críticas

    3,5
    Enviada em 4 de agosto de 2016
    Conta a historia real de muitas familias aparentemente perfeitas,criancas fofas e dublagem mais ainda e aquela frase de efeito no final:Nao podemos mudar o passado,mas podemos ter um futuro diferente!
    Crismika
    Crismika

    Seguir usuário 740 seguidores Ler as 499 críticas

    4,5
    Enviada em 7 de julho de 2020
    Grande roteiro e excelentes atuações resultam num filme muito bom, inquietante e mostra que lá no fundo todo mundo tem seu pecado íntimo. RECOMENDO.
    Shy Boy
    Shy Boy

    Seguir usuário 32 seguidores Ler as 107 críticas

    4,0
    Enviada em 10 de fevereiro de 2013
    Pecados Íntimos possui muitas similaridades com " A Beleza Americana" e até com o épico " A um Passo da Eternidade". É evidente que no roteiro repousa uma arguta crítica ao cidadão americano de classe média com suas hipocrisias, etc, mas o filme vai além. Explora até onde o bom senso e a sensibilidade prevalece. Em muitos casos, e neste filme se constata, existe em cada um, uma grandeza que impede a personagem de cometer um ato tresloucado. Na verdade, este filme exibe tais incongruências humanas, mas há, sobretudo, a redenção. Existem alguns pontos falhos no filme que me impedem de dar um conceito ótimo à produção. Basta prestar atenção ao jantar, onde estão presentes os dois casais, cujos cônjuges praticam adultério e a cena da cancha, ao final do jogo, quando Sarah e Richard se encontram, a despeito de uma terceira pessoa presente no momento. Filme muito acima da média, com destaque a uma terceira pessoa que narra a história.Gostei muito e acho que há verdadeiras lições de vida que vale a pena uma profunda meditação.
    Barboza Wagner
    Barboza Wagner

    Seguir usuário 40 seguidores Ler as 58 críticas

    3,0
    Enviada em 22 de março de 2013
    O filme é muito bom. Atuações de primeira, e com um excelente roteiro. O filme aborta temas interessantes, e mostra as consequência de nossos atos.
    Filme excelente. Vale muito apena conferir !!!
    raphaelssouza
    raphaelssouza

    Seguir usuário 65 seguidores Ler as 132 críticas

    5,0
    Enviada em 29 de fevereiro de 2020
    que maravilha é ver esse filme, ele tem uma sensualidade que cativa e a história em si é convicente, a tensão sexual q corre entre a Sara e o Brad é tao excitante e as cenas de sexo são pura arte, e o final não podia ser melhor pq mostra....(spoiler). ps a cena sa evacuação da piscina é linda e pode no futuro ser clássica
    anônimo
    Um visitante
    4,0
    Enviada em 5 de junho de 2013
    "Mostra como a insatisfação e a frustração podem nos fazer tomar decisões irracionais e que afetam não apenas nossas vidas. Excelentes atuações e uma direção sem erros significativos."
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top