Minha conta
    Mank
    Média
    3,5
    122 notas
    Você assistiu Mank ?

    18 Críticas do usuário

    5
    1 crítica
    4
    4 críticas
    3
    4 críticas
    2
    6 críticas
    1
    3 críticas
    0
    0 crítica
    Emanuel
    Emanuel

    Seguir usuário 8 seguidores Ler as 26 críticas

    3,5
    Enviada em 25 de fevereiro de 2022
    O Cinema está dominando pela indústria do streaming (graças a pandemia!?)

    Mank, Os sete de Chicago, Destacamento Blood, são alguns dos que eu assisti, como parte de um exercício de resenha, para não ‘’perder a mão’’ na escrita. E podem ser assistidos no conforto de seu sofá. Melhor que isso impossível!
    A história narra a passagem do roteirista responsável pelo sucesso de Orson Welles em Cidadão Kane, e como que fez para mudar a forma de narrativa dentro do formato de roteiro de cinema.

    Pode parecer ingenuidade de minha parta, mas é surpreendente saber da quantidade de roteiristas, que já se tinha em Hollywood dos anos 40. Quantos aspirantes a escritores se tinham a volta dos atores, produtores e chefões dos estúdios de cinema, que pelo que mostra no filme, eram verdadeiros magnatas dos negócios da sétima arte, ainda em ascensão na época.

    As biografias do famoso diretor irão dizer melhor que eu o quanto Orson Welles era uma pessoa difícil. Ao longo do filme, ele pressiona Herman J Makiewiks (um Gary Oldman pouco preparado para o papel, com muito maniqueísmos demais pro meu gosto...) para entregar o roteiro original que lhe foi solicitado.

    Mank não tem encanto, nem charme, apesar de ter uma belíssima fotografia, relembrando a sensação de se assistir filmes na década de 30 em uma Hollywood borbulhando a atrizes bonitas, milionários e elegância, e glamour.
    O filme perde seu tom. Aos trinta e poucos minutos você já se encontra cansado de tantos diálogos jogados, sem encaminhamento de narrativa. O timing do filme pede ENO. Sem a pastilha não se engole o que o roteirista Jack Fincher tentou conduzir. Perdeu o fio narrativo, o gato comeu o fio, brincando, não sobrou nada.

    Fincher nasceu em Tulsa, frequentou escolas públicas e escreveu grandes resenhas e ensaios para o Readers Digest e Saturday Review. Por favor, volte a escrever para estes veículos, Hollywood não é seu lugar, fez o pobre Mank rolar em seu tumulo. Deixa o morto morrido, por favor!

    Esperava que o filme fosse trazer mais uma revelação a Gary Oldman, depois de seu belo trabalho na pele de Winston Churchill.

    É meu chapa, fica para a próxima, desta vez, infelizmente não rolou.
    anônimo
    Um visitante
    3,5
    Enviada em 31 de julho de 2021
    Gostei de Mank. As atuações são excelentes,
    o Gary Oldman dá um show. A fotografia é muito boa. Não é muito o meu "tipo de filme", então por isso adimito que ficou entediante de assisti em alguns momentos. Mas certamente é um longa de excelente qualidade no geral
    Marcel Aoki
    Marcel Aoki

    Seguir usuário 11 seguidores Ler as 55 críticas

    4,0
    Enviada em 19 de maio de 2021
    Minha opinião:

    Eu não gosto muito de filmes preto e branco, a não ser que sejam filmes antigos.

    Aquele "Roma" da netflix, achei uma porcaria. Foi filmado em preto e branco para ser cult e tornou-se isso.

    Nesse caso, fui surpreendido.

    Primeiro que gosto muito do filme Cidadão Kane e não sabia que era o tal de "Mank".

    Passei a vida toda achando que o roteiro do clássico era de Orson Welles e era isso que ele queria.

    O personagem Mank é fascinante e a grande atuação de Gary Oldman ajuda bastante.

    Um forte concorrente ao oscar, Gary realiza o melhor trabalho da sua carreira.

    O roteiro é excelente.

    A edição ajuda muito e é essencial para que um filme preto e branco não fique cansativo.

    Nesse caso, acho compreensível ou aceitável ter sido filmado dessa forma.

    Recomendo esse e também que assistam "Cidadão Kane", o clássico que saiu da mente de Mank.

    Disponível na Netflix.

    meu blog - http://marcelaokicinema.blogspot.com/
    Emanuel Madeira
    Emanuel Madeira

    Seguir usuário 1 seguidor Ler as 16 críticas

    2,5
    Enviada em 16 de maio de 2021
    O Cinema está dominando pela indústria do streaming (graças a pandemia!?)

    Mank, Os sete de Chicago, Destacamento Blood, são alguns dos que eu assisti, como parte de um exercício de resenha, para não ‘’perder a mão’’ na escrita. E podem ser assistidos no conforto de seu sofá. Melhor que isso impossível!
    A história narra a passagem do roteirista responsável pelo sucesso de Orson Welles em Cidadão Kane, e como que fez para mudar a forma de narrativa dentro do formato de roteiro de cinema.

    Pode parecer ingenuidade de minha parta, mas é surpreendente saber da quantidade de roteiristas, que já se tinha em Hollywood dos anos 40. Quantos aspirantes a escritores se tinham a volta dos atores, produtores e chefões dos estúdios de cinema, que pelo que mostra no filme, eram verdadeiros magnatas dos negócios da sétima arte, ainda em ascensão na época.

    As biografias do famoso diretor irão dizer melhor que eu o quanto Orson Welles era uma pessoa difícil. Ao longo do filme, ele pressiona Herman J Makiewiks (um Gary Oldman pouco preparado para o papel, com muito maniqueísmos demais pro meu gosto...) para entregar o roteiro original que lhe foi solicitado.

    Mank não tem encanto, nem charme, apesar de ter uma belíssima fotografia, relembrando a sensação de se assistir filmes na década de 30 em uma Hollywood borbulhando a atrizes bonitas, milionários e elegância, e glamour.
    O filme perde seu tom. Aos trinta e poucos minutos você já se encontra cansado de tantos diálogos jogados, sem encaminhamento de narrativa. O timing do filme pede ENO. Sem a pastilha não se engole o que o roteirista Jack Fincher tentou conduzir. Perdeu o fio narrativo, o gato comeu o fio, brincando, não sobrou nada.

    Fincher nasceu em Tulsa, frequentou escolas públicas e escreveu grandes resenhas e ensaios para o Readers Digest e Saturday Review. Por favor, volte a escrever para estes veículos, Hollywood não é seu lugar, fez o pobre Mank rolar em seu tumulo. Deixa o morto morrido, por favor!

    Esperava que o filme fosse trazer mais uma revelação a Gary Oldman, depois de seu belo trabalho na pele de Winston Churchill.

    É meu chapa, fica para a próxima, desta vez, infelizmente não rolou.
    Crismika
    Crismika

    Seguir usuário 718 seguidores Ler as 499 críticas

    5,0
    Enviada em 28 de abril de 2021
    Mank é daqueles filmes em que tudo é perfeito: fotografia impecável, trilha sonora, roteiro, figurino e atuações brilhantes para fazer de Mank uma obra prima da sétima arte. A indicação de Gary Oldman ao Oscar mais que merecida e uma história muito interessante. E ainda para ficar mais perfeito o filme é todo em branco e preto. IMPERDÍVEL ao cinéfilos de plantão.
    Arthur Cavalcanti
    Arthur Cavalcanti

    Seguir usuário Ler a crítica

    4,5
    Enviada em 24 de abril de 2021
    Muito bom! O filme mostra como Hollywood explica para o público como é feito a produção de um filme.
    Paulo Ricardo Lopes
    Paulo Ricardo Lopes

    Seguir usuário Ler as 2 críticas

    1,5
    Enviada em 24 de abril de 2021
    O filme é muito cansativo e maçante. Totalmente voltado para a indústria do cinema. Quem não conhece o contexto Hollywoodiano da época fica totalmente perdido e não consegue acompanhar e entender o desenvolvimento da trama. Tenta inserir o momento político da época, mas não consegue fluir. E olha que particularmente gosto muito de filme, mas esse não consegui entender o motivo de ter sido tão aclamado. Ainda mais considerando que foram gastos 30 milhões de dólares.
    Iracema J
    Iracema J

    Seguir usuário 6 seguidores Ler as 48 críticas

    1,5
    Enviada em 24 de abril de 2021
    Que filme chato! Dirigido por David Fincher o roteiro de Mank explora Hollywood dos anos 30 e 40 e tentam creditar a apenas Herman J. Mankiewicz o roteiro da obra prima Cidadão Kane. O filme é arrastado, tenta criar pontos de comédia irônica no meio de reuniões com fundo político que não funcionam, e por volta da metade do filme numa cena onde está havendo um discurso vemos um coadjuvante bocejar. É assim que o espectador desse filme Mank se sente. Filme ótimo para resolver problemas de insônia. Pretensioso, raso e com aquela produção típica para dizer qualidade Oscar. Sofrível!
    FelipeH314
    FelipeH314

    Seguir usuário 2 seguidores Ler as 9 críticas

    2,0
    Enviada em 31 de outubro de 2021
    Minha nota vai toda pra produção e atuações, que de fato se esforçam em trazer elementos e linguagem da época, alguns quadros de referência e a interpretação de Gary Oldman ótima como de costume, mais impressionante ainda é manter a qualidade com um texto tão desinteressante. Que roteiro fraco, chato e pretensioso. Ao contrário de Cidadão Kane que é complexo por ter muito o que contar, Mank parece ser propositalmente seletivo contando nada.
    Adriel Silva
    Adriel Silva

    Seguir usuário Ler as 2 críticas

    4,0
    Enviada em 7 de abril de 2021
    Um filme muito bem estruturado, como fã da história posso dizer que me senti vendo um antigo clássico dos cinemas, atores excelentes com cenários simples porém bem ambientados. Aconselho aos que gostam do sabor da nostalgia dos longas-metragens produzidos antes das cores. O enredo é um tanto complexo com muitos devaneios e mudanças na história principal o que se tornou um pouco cansativo, mas é um filme intrigante que com certeza marcará a história do cinema.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top