Minha conta
    Polícia Federal - A Lei é Para Todos
    Críticas AdoroCinema
    2,0
    Fraco
    Polícia Federal - A Lei é Para Todos

    Vingadores Brasil

    por Lucas Salgado
    Em um momento político complicado e marcado por uma radicalização de todos os lados, um filme como Polícia Federal - A Lei é Para Todos se revela um grande desafio por parte de quem procura analisar o produto como obra cinematográfica. Isso porque boa parte dos leitores já entram no cinema esperando o que achar. E, por consequência, rejeitam qualquer crítica de venha de encontro com o que eles acham que o filme representa.

    Embora tenha problemas sérios de discurso, é importante destacar que o problema principal do filme não é ser de esquerda ou de direita. A grande questão é que se trata de uma obra falha do ponto de vista de desenvolvimento narrativo.


    Pensado como primeira parte de uma trilogia, o longa até tenta se mostrar imparcial através de uma série de fases de efeitos e referências sobre pegar o outro lado. Há, inclusive, sugestões claras de que a delação da JBS e as acusações contra Aécio Neves farão parte de uma eventual continuação. No entanto, parece claro que o filme assume uma posição à direita no aspecto político. O que, por si só, não é um problema, mas que acaba se tornando um diante de algumas escolhas bem maniqueístas, que culminam em uma sequência de críticos finais muito tendenciosa e até desonesta, ao pegar uma série de frases soltas de investigados.

    Codiretor de Qualquer Gato Vira-Lata 2 e Até que a Sorte nos Separe 3, Marcelo Antunez assume aqui a cadeira de diretor sem uma pessoa ao seu lado. Tendo em vista o fato de todos seus trabalhos recentes serem comédias, o cineasta até surpreende na construção de momentos de tensão. Especialmente na sequência que abre o filme, que é a captura do empresário Alberto Youssef. É uma cena bem desenvolvida e de impacto visual, como deve ser num bom policial. Antunez, com a ajuda do roteiro de Gustavo Lipsztein e Thomas Stavros, consegue fazer bem a ligação entre como a apreensão de um caminhão de palmito levou até uma importante investigação anticorrupção.

    Por outro lado, como ficção, o filme falha no desenvolvimento de seus personagens. Polícia Federal se assume quase como um longa de super-heróis em alguns momentos, em especial quando vemos a formação da equipe da PM responsável pela investigação em Curitiba. O problema é que mesmo em filmes de super-heróis, os estúdios já perceberam que o público não quer mais saber de personagens sem falhas. E é o que acontece aqui. Temos vários heróis perfeitos lutando para salvar o Brasil. Que sejam boas pessoas no mundo real, pouco importa, aqui fica a clara impressão que o roteiro faz de tudo para tornar seus protagonistas em mártires. Por exemplo, vemos um investigador largando tudo algumas vezes para cuidar dos pais, temos o juiz que só é visto ao lado da família e com os alunos, e muitos momentos de confraternização e amizade entre todos. Todos os conflitos são relativos à investigação e a maioria deles solucionados rapidamente.

    Se os "heróis" são bem desenvolvidos, o mesmo não se pode dizer sobre os "vilões". E nem falo de abordar qualidades ou pontos positivos dos antagonistas, mas ao menos oferecer figuras com mais camadas. São várias as abordagens caricatas dos criminosos, com direito a uma doleira tomando champanhe em uma banheira enquanto trata de seus crimes. Só faltou o vilão que joga xadrez sozinho. É aí que entra a figura de Lula, vivido pelo ótimo Ary Fontoura, tratado como pessoa arrogante e chula. O ator apresenta uma performance repleta de escolhas ruim, a começar por tentar imitar a voz do ex-presidente, que leva a uma gargalhada geral no cinema em meio a uma cena séria. Dentro do princípio da suspensão da realidade, era até melhor que o ator não tentasse reproduzir o tom de voz.

    Se o Lula de Fontoura é uma caricatura em si, cabe elogiar o trabalho de Antonio Calloni como o delegado Ivan, líder da investigação. O ator passa muita humanidade ao personagem e é o único que parece refletir sobre a situação como um todo. O restante do elenco não compromete, embora também não sejam ajudados pelo roteiro, que oferece linhas como "Se tem um jabuti numa árvore é porque alguém colocou ali", algo que é repetido inúmeras vezes ao longo da produção. Parece comédia, mas não é.


    Cinema e propaganda estiveram lado a lado por toda história. Polícia Federal seria ao menos mais honesto se assumisse sua posição política, confirmada através de elementos já citados e de uma postura extremamente didática sobre alguns fatos e observações provenientes das investigações. É comum vermos a personagem de Flávia Alessandra reexplicando algo que tinham acabado de explicar, como se quisesse impregnar na cabeça do espectador o que está sendo dito.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Victor S.
      Entrou agora no catálogo NetFlix... Zeus nos livre desse lixo. Nem como obra que tentaria retratar a realidade. Afinal, agora sabemos o que a turminha de curitiba estava gestando.
    • Vicente Mariani Mariani
      E ele também está tomando se ele é esquerdista
    • carlos roberto stivanello
      ...discutir um determinado assunto é saudável e é um processo democrático, principalmente em se tratando de cinema, onde pode-se expressar a alma humana sem compromisso e isento de sopros financeiros e políticos, apesar da indústria cinematográfica nunca ser isenta a isso, uma pena que ainda temos visto muitos usarem a opinião pública para manifestarem os seus ódios e recalques...
    • Sandro Jacques
      Teoria da Conspiração kkkk
    • jhon
      por um filme que se dizia bastidores, ter fugido MUITO da realidade é falha grave. Coisas que foram escancaradas aqui e simplesmente mudaram no filme.
    • Heitor Munlite
      O PT não tirou milhões da pobreza, os pobres continuam aí e o fato de Lula ter criado alguns benefícios não quer dizer que ele também não seja corrupto!
    • Allan Spillmann
      Ou só alienado acredita que a Polícia Federal só quer o Lula ou gente do PT, como tu, Ellen.
    • Allan Spillmann
      Destilou sua ignorância na internet quando colocou no mesmo saco políticos protegidos pela lei do Foro Privilegiado. Ou seja, seu comentário ilustra bem o tamanho da ignorância que impera por aqui. Estude, lei e se informe antes! Eduardo Cunha, o todo poderoso do PMDB, pai do impeachment, te manda lembranças lá da cela em Curitiba!
    • Allan Spillmann
      ahahaha, o pseudo crítico não conhece o Lula, ou nunca ouviu os áudios originais. Lula sempre foi arrogante, chulo e preconceituoso ainda por cima. Mas a cegueira patética impede os fãs dele de verem isso.
    • Allan Spillmann
      Complicado fazer um bom roteiro de duas horas para uma história como a Lava Jato. Até chegarem no Lula daria para fazer uns 3 ou 4 filmes de tanto material. Por exemplo, por falta de tempo creio que deixaram de lado a prisão do Delcídio, que daria sim uma ótima sequencia pois ele estava claramente prejudicando as investigações.
    • Allan Spillmann
      Olha, anos-luz melhor que Segurança Nacional, aquela porcaria feita com o Tiago Lacerda!!!!! hehehe
    • Miguel Santos
      O anti Pt vai gostar , o esquerdista vai odiar , mas tá tudo lá, só não vê quem não quer .
    • Helio Guilherme
      Todos que gostaram do filme são coxinhas que bateram panelas pra tirar Dilma da presidência, o crítico foi perfeito ao falar que o filme é de direita, no Brasil que vivemos hoje tudo que for contra o Lula é bom, eles esqueceram das faculdades, escolas, bolsa família, empregos, copa do mundo, olimpíadas, mais de 30 milhões de pessoas que sairam da miséria foi graças a ele, Luiz Inácio o Lula o melhor presidente da história desse país!
    • Lucas Alves
      Não considero a critica aplicada a este filme! mas cada um tem sua opinião eu particularmente gosto muito de filmes policiais, e esse foi um excelente filme que eu até assisti de novo!
    • Thiago Oliveira
      Filme Excelente. Retrata de forma clara porem resumida da visão de quem tem que cumprir a lei também sangra ao cumprimento do seu dever. Retrata do esforço que é necessário para averiguar crimes de pessoas influentes. O filme não é politico, e faz o esforço (que acho desnecessário) de deixar isso claro, os fatos foram apurados e apresentados de maneira correta. Infelizmente a nota desta critica não serve nem para avaliar a critica, pois a mesma não merece nem uma estrela, a qual essa sim tinha o dever de avaliar o filme não a opinião politica de alguém que nem mesmo assinou a autoria, e que demonstra clara oposição a ideia do filme, e não a qualidade do filme em si.
    • Roberto Gabriel Moreira
      Achei o filme razoável. Realmente os personagens foram pouco desenvolvidos e a historia acabou sendo um resumão dos acontecimentos que passamos. Mas acho valido assistir e apoiar iniciativas dessas que acabam esclarecendo ao grande publico melhor nossa situação politica. A Netflix vai lançar uma serie feito pelo Padilha, que acredito vai mais fundo no ocorrido.
    • Walterlina Brasil
      De fato. Não há como preparar o povo pra assistir-se no espelho. Mas vamos que vamos.
    • Walterlina Brasil
      Tá na cara que a crítica não quis assistir ao Filme. Que pena. Site tão bom, crítica tão despropositada. Excelente fotografia, boa articulação entre as sequencias... se perde por ser realidade. Brasileiro não gosta de realidade. E de fato, de tão complexo, faltou a teia completa de PMDB, PSDB etc. Mas tem qualidade, especialmente quando comparado aos comerciais do gênero. Muita censura previa para construi-lo e muita ousadia por consegui-lo. Quer o que: os filhos de Francisco, parte 2? Herois em nosso país, são sim, pessoas comuns. E esta faceta o filme representa. Não gostei da ênfase do Lula, mas chequei todos os fatos narrados no filme, e estão sim, confirmados nas noticias de fontes confiáveis. Este site quis deixar de ser uma (fonte confiavel). Que pena.
    • Jose L.
      O filme não tem um único dos defeitos apontados pelo crítico, este sim, tendencioso e claramente petista.
    Mostrar comentários
    Back to Top