Minha conta
    Desenrola
    Críticas AdoroCinema
    5,0
    Obra-prima
    Desenrola

    O MELHOR VEM DEPOIS

    por Roberto Cunha

    O que faz um filme ser bom ou melhor do que o outro? Sem sombra de dúvida, a capacidade de envolver o espectador com sua trama, fazendo com que seus diálogos, personagens e imagens transformem-se numa grande teia que prenda a atenção do começo ao fim. Mas conquistar essa proeza não é tarefa fácil e quando o público-alvo é o adolescente, a coisa complica porque essa galera é meio enrolada e difícil de agradar.

    Com o sugestivo título de Desenrola, Rosane Svartman apresenta um longa maduro e ao mesmo tempo sintonizado com a turma que já viveu ou ainda vai viver a famigerada "primeira vez". Mais do que focar apenas na questão da relação sexual propriamente dita, abre-se o leque de opções para que o jovem se identifique com os outros personagens da trama e suas respectivas características. Assim, o roteiro que explora o elemento mar desde o primeiro minuto vai surfando por assuntos como a virgindade, com mais intensidade, mas não deixa de abordar, de alguma forma, questões como amizade, irmãos, pais separados, viagem com amigos, gravidez indesejada, homossexualidade, o gostosão, a saliente da escola, a mais experiente e, claro, o primeiro amor.

    Na trama, Priscila (Olívia Torres) tem 16 anos, é virgem e e se acha uma garota normal demais diante de seus pares. Quando sua mãe divorciada precisa viajar, ela vê na ocasião o momento certo para dar uma virada e se joga de cabeça na ideia de perder sua caretice (leia-se virgindade). Só que acaba descobrindo que nem tudo é exatamente como parece ser e que muita gente que fala uma coisa, faz outra. Os colegas de escola Boca e Tize, bem interpretados por Lucas Salles e Juliana Paiva, são dois bons exemplos. 

    Com um bom elenco de não famosos (a exceção de Kayky Brito), ótimos momentos de humor (cortesia de Amaral, vivido por Vitor Thiré), e no embalo de uma trilha mergulhada nos anos 80 (Legião Urbana , Simple Minds, Paralamas e até Ritchie), Desenrola tem tudo para agradar gregos e troianos, ou melhor, jovens e adultos, porque não se perde em maneirismos intelectuais e vai direto ao ponto. E as sutlilezas de muitas cenas, inclusive a que poderia ser apimentada, auxiliadas por uma boa edição, conseguem de um jeito descontraído dar seu recado e deixar claro que o melhor – sempre – vem depois.

    PS: Não saia antes dos créditos finais. Além de criativos, têm um verdadeiro achado com o Jim Kerr (Simple Minds), que foi possível graças ao fenômeno da internet.

    Quer ver mais críticas?

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top