Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Vida Invisível
    Média
    3,7
    114 notas e 25 críticas
    distribuição de 25 críticas por nota
    10 críticas
    5 críticas
    3 críticas
    1 crítica
    0 crítica
    6 críticas
    Você assistiu A Vida Invisível ?

    25 críticas do leitor

    Rafael Y
    Rafael Y

    Segui-los 3 seguidores Ler as 47 críticas deles

    4,0
    Enviada em 23 de novembro de 2019
    (Insta @cinemacrica) Enfim, estreia nosso representante do Oscar 2020. Na próxima edição passaremos a contar com uma obra competitiva, diferentemente da participação burocrática do ano passado. Acredito que as chances de ao menos figurar na pré seleção dos 10 melhores sejam reais . Em "A Vida Invisível", Karim Aïnouz passeia pelo Rio de Janeiro da metade do século passado. A capacidade do diretor em adicionar uma espessa camada de sensibilidade ao romance no qual o longa se baseou é admirável. A beleza reside no fato de toda essa expressão se basear no naturalmente simples ao invés do rebuscado não crível. A atmosfera construída traduz bem a proposta. Sob o olhar de uma estilosa câmera com a nitidez ligeiramente desconstruída, os personagens interagem em ambientes com a presença intensa da vegetação carioca nativa. O selvagem avança para as relações humanas na medida em que se abordam aspectos inerentes à nossa natureza, brutos e dóceis, e persistentes até o presente. O toque de sensibilidade é fundamentalmente protagonizado pelas irmãs Eurídice e Guida. A diferença entre ambas é bem caracterizada: Eurídice é mais contida, por isso segue com mais facilidade a cartilha social de submeter-se a convenções como o matrimônio. Guida é o seu oposto, regida pelo impulso, não calcula as consequências das potenciais repressões de uma sociedade machista para fins como ser mãe solteira. Apesar das diferenças, Karim consegue dimensionar com riqueza o afeto entre as irmãs. Após seguirem rumos distintos na juventude, a separação física persiste, assim como a conexão emocional. A felicidade plena, entretanto, não é possível por conta de sucessivos episódios tristes, verdadeiros e atuais da intransigente imposição masculina. O desfecho dessas vertentes da índole humana desembocam na participação de Fernanda Montenegro. O que a atriz nos oferece, mais uma vez, é memorável. É sobre o retrato do amor que pode existir nas diferenças, é sobre a lembrança da miséria do machismo que nos acompanha até hoje.
    Leonardo G. Wild
    Leonardo G. Wild

    Segui-los Ler as 39 críticas deles

    5,0
    Enviada em 4 de novembro de 2019
    Começo dizendo que assisti ao filme no cinema Belas artes, e recomendo para todos: vão ao cinema. Essa obra em muito melhora, com uma experiência imersiva. O filme é um opera intensa, com um ballet sem pausas. A história é contagiante, simples e ao mesmo tempo humana. A narrativa não vai muito além do que poderia ter acontecido com qualquer mulher naquele período, e isso é um dos melhores pontos do filme. Poder te mostrar todo um universo, que não está tão distante de você (e ao mesmo tempo choca). A trilha sonora, assim como a fotografia são pontos super importantes e que ajudaram a contar a história. O filme é bastante escuro e lavado, mas com muito contraste de cores fortes e vivas. Em cada cena,você pode ver que teve um carinho muito grande quanto a direção de fotografia. Que teve um investimento de tempo e planejamento, para que a fotografia fizesse parte da história. Quase como um personagem. A trilha sonora atravessa os personagens, a música, o modo como o filme é intenso e parece nunca ter pausas contemplativas. O sim do piano que mostra o emocional de cada uma das personagens. É um filme sobre sair, exclusão, pertencimento, amor, família, solidão, filhos, país e sonhos. Um filme muito emocionante é difícil, pela delicadeza como ele te mostra: “nem tudo saíra como você planejou. E talvez não seja o final do mundo”
    Guilherme M.
    Guilherme M.

    Segui-los 6 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 3 de dezembro de 2019
    Os comentários negativos sobre esse filme nesse site ressaltam o quão importante ele é na questão do machismo presente na sociedade contemporânea. A ótica dos anos 50 a respeito da mulher retrata a crueldade do sistema misógino e patriarcal, por meio de interpretações arrebatadoras e um ritmo angustiante — ainda que realista. A sensibilidade da obra me emocionou ao longo de toda a narrativa, e a frustração que o espectador carrega é necessária para consolidar a mensagem do filme. O cinema nacional se revela mais uma vez espetacular e digno de incentivos, principalmente em uma época que a cultura vive fadada às migalhas da ignorância. Um filme infelizmente atual e, ainda sim, lindo.
    Lilian M
    Lilian M

    Segui-los 2 seguidores Ler as 39 críticas deles

    5,0
    Enviada em 8 de dezembro de 2019
    aprovado. podem assistir, é um filme que conta uma história triste, só não te deixa mal, porque as personagens mantém 99% do tempo uma vontade de viver muito forte. fala de como a vida era dura nos anos 50. ps: eu não queria exagerar, mas qualquer pessoa pode assistir, por que obra-prima é assim, é filme, mas parece poesia. nota: é claro que o filme é um pouco mais difícil do que assistir do que a média, é praticamente um "cult", aborda temas delicados, e complexos (estupro, eutanásia, depressão, orgulho, preconceito, egoísmo, até sobre o SUS podemos divagar...porque não existia nos anos 50, não existia pílula anticoncepcional, etc.) e minha opinião é de uma pessoa leiga, assistir filmes do tipo "cult", que nos tragam reflexão, é quase um hoby, e eu só fiz uma homenagem lúdica, quase poética, e não uma classificação indicativa. Críticas profissionais com mais detalhes já existem.
    João J.
    João J.

    Segui-los Ler as 2 críticas deles

    5,0
    Enviada em 16 de novembro de 2019
    Ótimo filme, drama surpreendente do início ao fim. Uma crítica de época, infelizmente, viva nos dias de hoje.
    Lorna B
    Lorna B

    Segui-los Ler as 2 críticas deles

    5,0
    Enviada em 25 de novembro de 2019
    Só elogios! Filme muito bem elaborado e retratando a vida de mulheres nos anos 50(e ainda hoje) numa sociedade machista. O elenco está de parabens! O filme está entre os melhoresv ja produzidos no Brasil
    DUDU SILVA
    DUDU SILVA

    Segui-los 4 seguidores Ler as 71 críticas deles

    3,0
    Enviada em 28 de novembro de 2019
    Esse filme é muito parado não acontece nada de irrelevante, não é ruim mais esta muito longe de ser uma obra-prima
    Lucas M.
    Lucas M.

    Segui-los 3 seguidores Ler as 22 críticas deles

    4,0
    Enviada em 21 de janeiro de 2020
    Olha devido ao que vi no trailer e depois das críticas aqui no adoro cinema, tinha uma percepção desse filme, porém confesso que fui surpreendido, o filme é muito bom, com ótimas atuações (até do Gregório Duvivier), começa lento, mais depois a história vai pegando corpo, até chegar no seu ápice, a interpretação majestosa de Fernanda Montenegro, que apesar de curta da um emoção a sua personagem inigualável, uma grande atriz como ela não precisa de muito pra brilhar quando lhe dão as ferramentas certas pra brilhar, é um filme que me emocionou e recomendo!
    Gislei Domingas Romanzini Lazzarotto
    Gislei Domingas Romanzini Lazzarotto

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 25 de novembro de 2019
    As dores de todas as mulheres numa história sensível e intensa. Nossas avós , nossas mães e nós mesmas na vida daquelas irmãs buscando apenas construir suas vidas. Mas para as mulheres nunca è apenas, há sempre uma definição anterior de como devem ser. Um filme feito da dor de amar a liberdade de ser, quando para homens amar è dominar. A tristeza invade, mas tratasse de uma tristeza que afirma mais e mais quem somos e queremos ser!
    Lidiane Dutra
    Lidiane Dutra

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 5 de dezembro de 2019
    Um dos filmes mais tristes e belos do ano. A realidade da sociedade patriarcal dos anos 50 é brutal. Ao mesmo tempo, o amor entre as irmãs é infinito. São os contrapontos que fazem do filme duro, mas poético. Um filme que fala sobre a falta de escolha das mulheres perante a sociedade machista e em como muitas coisas continuam, infelizmente, do mesmo jeito. Recomendo a todos!!!
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top