Meu AdoroCinema
Para Sempre Alice
Nota média
3,5
22 publicações
  • Cinepop
  • Almanaque Virtual
  • Cineplayers
  • Cineweb
  • Folha de São Paulo
  • Gazeta do Povo
  • Rubens Ewald
  • Screen International
  • The Guardian
  • Variety
  • Cinema com Rapadura
  • Cinemascope
  • Papo de Cinema
  • CineClick
  • Críticos.Com.Br
  • Critikat.com
  • Estado de São Paulo
  • Instituto Moreira Salles
  • O Globo
  • Omelete
  • Télérama
  • Zero Hora

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

22 críticas da imprensa

Cinepop

por Raphael Camacho

Para falar sobre o terrível Mal de Alzheimer nas telonas, os diretores Richard Glatzer e Wash Westmoreland criam uma história forte, convincente e comovente que envolve problemas existenciais de uma impactante mulher. Para Sempre Alice é muito mais que um drama tocante, é uma lição de vida.

A crítica completa está disponível no site Cinepop

Almanaque Virtual

por Raíssa Rossi

Sustentado pela incrível performance de Moore, “Para Sempre Alice” é um drama feito para emocionar o público. Por abordar um tema que mostra a decadência da mente e a fragilidade humana diante dos infortúnios da vida, a trama poderia ter sido melhor explorada e aprofundada...

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Cineplayers

por Francisco Carbone

O filme consegue escapar da vala comum da narração básica a qual qualquer biografia se submete e alcança algo mais, poesia diante da impossibilidade, beleza no caos.

A crítica completa está disponível no site Cineplayers

Cineweb

por Neusa Barbosa

O melhor do filme é manter a emoção sob medida. Não há excessos melodramáticos. Uma abordagem franca e honesta de um drama tão devastador, contando com uma intérprete completamente entregue à sua personagem, bastam.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

Folha de São Paulo

por Inácio Araújo

Se o conjunto da obra é honesto, se a ideia de progressão do mal é apropriada, se só raramente o público é submetido a chantagem emocional, o que mais chama a atenção são achados sutis, como a reação impaciente do marido diante do elevador que não chega.

A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

Gazeta do Povo

por Isadora Rupp

A atuação de Kristen Stewart, que estourou como protagonista da saga Crepúsculo, surpreende. Mas é o cuidado e o brilhantismo de Julianne, e sua incrível transição como Alice, que roubam a cena.

A crítica completa está disponível no site Gazeta do Povo

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

[...]  urgente e tocante este filme muito discreto que não apela para emoções e que é controlado pela figura exemplar e sempre arrebatadora de Julianne [Moore].

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

Screen International

por Tim Grierson

Melodramas têm uma má reputação por causa de seu aspecto descaradamente manipulador, mas "Para Sempre Alice" se destaca ao explorar o terreno emocional de modo contido e perspicaz.

A crítica completa está disponível no site Screen International

The Guardian

por Catherine Shoard

[O filme] é um soco no estômago, que bate forte o suficiente para te deixar sem ar. Tantas pessoas choravam na sessão que eu imagino que ainda estejam secando o chão da sala de cinema.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

Variety

por Peter Debruge

Julianne Moore nos conduz através da história trágica de alguém desaparecendo diante dos próprios olhos, apresentando uma de suas atuações mais poderosas com este roteiro sutil...

A crítica completa está disponível no site Variety

Cinema com Rapadura

por Wilker Medeiros

[...] o grande trunfo de “Para Sempre Alice” é o seu casting. Como de costume, Julianne Moore oferece todos os traços dramáticos que detém e é perspicaz por não se entregar ao melodrama exagerado, podendo soar overacting. A beleza de sua interpretação está na sutileza dos gestos...

A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

Cinemascope

por Sttela Vasco

Não há como negar, "Para Sempre Alice" emociona e envolve graças à força de sua personagem principal. No entanto, o roteiro começa a derrapar a partir do meio do longa e acaba por se atrapalhar tentando resumir acontecimentos importantes em um curto espaço de tempo.

A crítica completa está disponível no site Cinemascope

Papo de Cinema

por Renato Cabral

Glatzer, Westmoreland e, principalmente, Julianne Moore, transcrevem o livro de Lisa Genova com delicadeza e nuances próprias para o cinema. O expectador se torna um voyeur dos momentos de Alice...

A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

CineClick

por Gustavo Assumpção

Por trás de tanto açúcar, "Para Sempre Alice" tem alma. De certa forma, o filme consegue estabelecer uma relação direta com o espectador, sempre alfinetado pelo comportamento dos personagens coadjuvantes.

A crítica completa está disponível no site CineClick

Críticos.Com.Br

por Luiz Fernando Gallego

Do ponto de vista estritamente cinematográfico, "Para Sempre Alice" pode parecer um filme institucional de alguma entidade de apoio a doentes de Alzheimer ou/e a seus familiares. O diferencial está no elenco encabeçado pela agora oscarizada Julianne Moore e sua habitual entrega.

A crítica completa está disponível no site Críticos.Com.Br

Critikat.com

por Clément Graminiès

É provavelmente a sinceridade da abordagem que faz o filme funcionar, enquanto o roteiro de "Para Sempre Alice" é frequentemente fragilizado por uma boa vontade demonstrativa demais.

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

Estado de São Paulo

por Luiz Carlos Merten

[Os diretores] apoiam o filme nos diálogos, sem fazer do dinamismo das palavras (das conversas) o centro de sua mise en scène. [...] São mais medianos, e o que ajuda {salva?) é Julianne.

A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

Instituto Moreira Salles

por José Geraldo Couto

Julianne Moore, de fato, é extraordinária. O filme, nem tanto. [...] De certo modo, as regras e clichês do gênero é que impedem uma abordagem mais inventiva ou rigorosa da situação.

A crítica completa está disponível no site Instituto Moreira Salles

O Globo

por Susana Schild

Tem como maior qualidade tentar preservar um olhar intimista sobre a doença que se instala de forma insidiosa, destruindo vidas e relações pelas beiradas. Como traço mais inventivo, está a tentativa de Alice preservar a imagem e a memória [...] O quadro geral, no entanto, caminha para a previsibilidade.

A crítica completa está disponível no site O Globo

Omelete

por Aline Diniz

Cheio de momentos emocionantes e situações verdadeiras, o filme serve como exemplo para qualquer um. Com ou sem doença, todos devemos seguir nos passos de Alice e aproveitar ao máximo cada momento. Amanhã tudo pode ter sumido.

A crítica completa está disponível no site Omelete

Télérama

por Louis Guichard

É uma atuação digna do Oscar - que a atriz acaba de receber -, mas é ainda melhor: a atuação de Julianne Moore é estilizada, extenuante, branca como uma voz fraca. Com exceção disso, o filme, cheio de compaixão, reserva poucas surpresas.

A crítica completa está disponível no site Télérama

Zero Hora

por Marcelo Perrone

Não há como ficar insensível à terrível via-crúcis da personagem e à atuação de Julianne. Mas "Para Sempre Alice" ganharia a densidade adequada se os realizadores trilhassem um caminho menos linear e superficial.

A crítica completa está disponível no site Zero Hora
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top