Meu AdoroCinema
Ave, César!
Nota média
3,6
29 publicações
  • Chicago Sun-Times
  • Collider
  • Cinegrafando
  • Boston Globe
  • Chronic'art.com
  • CineClick
  • Cinemascope
  • Cinepop
  • Cineweb
  • New York Times
  • O Globo
  • ScreenCrush
  • The Guardian
  • The Playlist
  • Variety
  • Washington Post
  • Cineplayers
  • Rolling Stone
  • Screen Rant
  • Almanaque Virtual
  • Critikat.com
  • Estado de Minas
  • Quarto Ato
  • Revista de Cinema
  • Screen International
  • Télérama
  • Zero Hora
  • The Hollywood Reporter
  • Rubens Ewald

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

29 críticas da imprensa

Chicago Sun-Times

por Richard Roeper

"Ave, César!" é um filme pipoca puramente divertido - um deleite visual, um tour de force de comédia, com uma deliciosa e muito perspicaz fatia de sátira.

A crítica completa está disponível no site Chicago Sun-Times

Collider

por Matt Goldberg

Embora "Ave, César" possa ser um filme bagunçado, ele pretende mostrar essa adorável bagunça de Hollywood que nós adoramos. Melhor do que fazer uma carta de amor incondicional como "O Artista", "Ave, César" mergulha na loucura de Hollywood com seus escândalos, egos e aburdos em geral...

A crítica completa está disponível no site Collider

Cinegrafando

por Rostand Tiago

[...] os Irmãos Coen fazem, ao mesmo tempo, uma crítica e celebração à indústria hollywoodiana. É um projeto que abraça uma gama de aspectos e etapas cinematográficas, do star system até as mulheres montadoras [...] o resultado final permanece bastante positivo.

A crítica completa está disponível no site Cinegrafando

Boston Globe

por Ty Burr

“Ave, César” é nada mais nada menos que a confissão pública da fé que os Irmãos Coen depositam no cinema e nos filmes, tão sincera e crítica como só eles sabem fazer.

A crítica completa está disponível no site Boston Globe

Chronic'art.com

por Yal Sadat

O filme se diverte habilmente com a ironia entre a ficção e a sua confecção, entre os grandes discursos ecumênicos e as estratégias falsas que os determinam (e que Mannix, que é americano antes de ser cristão, adota como um bom soldado).

A crítica completa está disponível no site Chronic'art.com

CineClick

por Iara Vasconcelos

Os Coen não hesitam em abusar dos estereótipos e exageros, o que torna a sátira óbvia, mas sem parecer "pastelão". [...] No entanto, o filme peca em não explorar mais personagens secundários, como a atriz vivida por Scarlett Johansson...

A crítica completa está disponível no site CineClick

Cinemascope

por Lívia Fioretti

"Ave, César!" traça um paralelo interessante e criativo entre o Calvário e a indústria cinematográfica americana, sem abrir mão do bom humor. Como disse no começo do texto, é um filme que possui história para mais do que suas 1h40 de duração...

A crítica completa está disponível no site Cinemascope

Cinepop

por Pablo R. Bazarello

Seja como for, "Ave, César!" tem o aval garantido e serve de mesmo deleite para os f~s de cinema como os filmes de super-herois para o grande público.

A crítica completa está disponível no site Cinepop

Cineweb

por Neusa Barbosa

Intercalando essa série de incidentes com os problemas pessoais de Mannix e comentando questões dramáticas da época, como as ameaças da TV e do macartismo à indústria do cinema, sob um véu cínico, o filme ganha camadas a cada minuto.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

New York Times

por Manohla Dargis

É uma comédia excêntrica e suave, e que, mais uma vez, ajustou-se contra a maquinaria da indústria do cinema. E, como de costume com os irmãos Coen, tem muito mais acontecendo do que o que está na tela [...]

A crítica completa está disponível no site New York Times

O Globo

por Marcelo Janot

A reconstituição de época impecável e a fotografia de Roger Deakins nos transporta para a filmagem de musicais com números aquáticos como os de Esther Williams ou de sapateado como os de Gene Kelly. Que aparecem na íntegra, permitindo que o espectador tenha tempo para adentrar aquele universo.

A crítica completa está disponível no site O Globo

ScreenCrush

por Matt Singer

Apesar de possuir um conflito central - uma estrela de cinema é sequestrada no meio de uma grande produção - o cenário de Hollywood em "Ave César" oferece aos Coen a oportunidade de criar uma série de digressões divertidas.

A crítica completa está disponível no site ScreenCrush

The Guardian

por Andrew Pulver

Não é a primeira vez que os Irmãos Coen buscam material nos estúdios e nos escritórios de produtores da era de ouro de Hollywood [...] "Ave, César!" é um filme muito divertido, criado de maneira belíssima. Um longa para saborear.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

The Playlist

por Eric Kohn

"Ave, César!" não tem o aspecto mordaz das comédias mais sombrias dos Coen, nem a visão bizarra da indústria como "Barton Fink", mas ele oferece um acesso mais fácil a estes mesmos aspectos. É uma obra charmosa que ao mesmo tempo critica e homenageia o seu tema principal.

A crítica completa está disponível no site The Playlist

Variety

por Justin Chang

Esta brincadeira maravilhosamente trabalhada através dos bastidores e enclaves de Malibu na época dourada de Hollywood gasta muita comédia excêntrica e musicais antes de assumir mais ricas dimensões [...]

A crítica completa está disponível no site Variety

Washington Post

por Ann Hornaday

Charmoso, divertido e frequentemente extravagante no visual, "Ave, César!" é um pastiche que descortina contradições, demonstrando a natureza dual do cinema, um meio que pode ser tanto uma arte encantadora quanto uma prática industrial crua e racionalizada.

A crítica completa está disponível no site Washington Post

Cineplayers

por Heitor Romero

[O filme] para o bem e para o mal, só alcançará de fato o público cinéfilo. Mas se é disso que se trata toda a investida, sejamos justos: Ave, César! é um manjar para qualquer fã do cinema americano clássico e uma ode ao poder da ilusão.

A crítica completa está disponível no site Cineplayers

Rolling Stone

por André Rodrigues

Usando com talento a metalinguagem, "Ave, César!" é uma brincadeira capaz de encantar e divertir todos aqueles que entendem que a vida é um espetáculo.

A crítica completa está disponível no site Rolling Stone

Screen Rant

por Sandy Schaefer

"Ave, César" tem imagens tão belas quanto os Coens são capazes de criar, além de apresentar uma boa dose de piadas visuais... Mesmo assim, não existe muita substância na história dessa vez.

A crítica completa está disponível no site Screen Rant

Almanaque Virtual

por Rodrigo Fonseca

É riso certo, mas não é riso frouxo. É visual primoroso, na luz do fotógrafo Roger Deakins [...] Mas sua montagem, ainda que ágil, não é das mais inventivas. E o roteiro tem personagens bons demais para enredo de menos...

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Critikat.com

por Josué Morel

O filme trabalha constantemente a mistura entre o verdadeiro e o falso, tanto por dispositivos cênicos quando por efeitos digitais que se admitem como falsos. A transformação ocorre quando o filme-dentro-do-filme e o filme em si se confundem numa única imagem...

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

Estado de Minas

por Carolina Braga

"Ave, César" é caricato em diversos aspectos, sobretudo na atuação. Mas ser exagerado faz parte da ironia da proposta. O espectador que não relaxar em relação a isso corre o risco de achar o filme bobo. Em certo sentido, é mesmo. Mas tem horas em que é preciso não se levar tão a sério.

A crítica completa está disponível no site Estado de Minas

Quarto Ato

por Carla Marinho

Neste filme, a dupla [os irmãos Coen] reitera sua paixão pelo espetáculo, trazendo uma sarcástica colcha de retalhos sobre pequenos acontecimentos que povoaram a história de Hollywood. Porém, se sobram referências, fica latente que a magia do cinema retratado ficou há muito para trás.

A crítica completa está disponível no site Quarto Ato

Revista de Cinema

por Júlio Bezerra

“Ave, César!” é um comentário genuinamente divertido e por vezes simplório sobre o universo insular do sistema de estúdio hollywoodiano, ou pelo menos da maneira que ele foi imortalizado em proporções maiores do que a vida.

A crítica completa está disponível no site Revista de Cinema

Screen International

por Tim Grierson

"Ave, César" não é um novo auge dos Irmãos Coen, mas é uma intrigante obra que prova que mesmo quando eles não estão usando o máximo de seus poderes, eles ainda são cineastas incríveis.

A crítica completa está disponível no site Screen International

Télérama

por Louis Guichard

"Ave, César!" se dispersa em vários personagens. Falta ao filme uma tensão, uma dramaturgia para ligá-los uns aos outros, para além do personagem interpretado por Josh Brolin. O filme, tão mordaz quanto megalomaníaco, deve ser apreciado em fragmentos.

A crítica completa está disponível no site Télérama

Zero Hora

por Daniel Feix

Não que "Ave, César! "seja tão bom quanto os melhores filmes dos irmãos [...] mas é uma ótima pedida, especialmente para quem gosta de cinema. Para se divertir e, além disso, pensar sobre as engrenagens da máquina de produção de Hollywood em seus momentos de brilho mais intenso.

A crítica completa está disponível no site Zero Hora

The Hollywood Reporter

por Todd McCarthy

Há diversão, atores envolventes para admirar e trabalho de arte bonito de se ver, mas o quociente de entretenimento é abaixo do padrão usual quando se trata de filmes que se dirigem para uma audiência de massa [...]

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

Este é, sem sombra de dúvidas, o pior filme da carreira longa e consagrada dos Irmãos Coen [...] Mas o que me perturbou, além da falta de graça, foram alguns detalhes hoje em dia difíceis de perdoar...

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top