Meu AdoroCinema
A Culpa é das Estrelas
Vídeos
Créditos
Críticas dos usuários
Críticas da imprensa
Críticas do AdoroCinema
Fotos
Filmes Online
Curiosidades
Bilheterias
Filmes similares
Notícias
Média
4,5
6592 notas e 467 críticas
60% (278 críticas)
20% (93 críticas)
11% (53 críticas)
6% (28 críticas)
1% (7 críticas)
2% (8 críticas)

467 críticas do leitor

Thaynan L.
Thaynan L.

Segui-los 20 seguidores Ler as 4 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

Um presente para os fãs. Prepare-se para chorar. A Culpa é das Estrelas arranca nossos corações e pisa em cima. Digo isso até mesmo para quem ainda não leu o livro, pois meu marido que não leu, dizia que a história do livro era ‘clichê’, saiu com os olhos tão inchados de chorar quanto os meus. Ainda estou me recuperando... Mas vamos lá. O filme é muito fiel ao livro e os atores simplesmente foram possuídos pela alma dos personagens. É leve, engraçado, pesado, dramático... Todos os sentimentos que afloraram em mim lendo o livro transbordaram com o filme. Até mesmo o Willem Dafoe que, quando anunciado como Peter Van Houten eu detestei (pois foge da descrição física do personagem), me deu um belo tapa na cara com sua interpretação. Shailene Woodley e Ansel Elgort são definitivamente Gus e Hazel. Eles passam emoção e verdade até nas cenas em que nada é dito. Uma sensibilidade e competência impressionantes para atores tão jovens. Nat Wolff interpretou muito bem nosso querido Isaac. Trazendo-nos várias cenas hilárias e nos mostrando a faceta maléfica do John Green rs., que nos faz rir para em seguida nos fazer desidratar de tanto chorar. Laura Dern e Sam Trammell interpretam a mãe e o pai de Hazel, respectivamente. E os fazem tão bem, que temos vontade de rouba-los para a vida real. Eles são fantásticos. Adaptação de roteiro, interpretação, direção, fotografia, edição, trilha sonora... Tudo de muita qualidade. Quem já era fã de John Green se deliciará com este presente, e precisará de uns dias para se recuperar. E quem ainda não conhecia, não tirará essa história da cabeça por um bom tempo. Recomendadíssimo!

Marta F.
Marta F.

Segui-los 7 seguidores Ler a crítica deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

PERFEITO!!!! O filme é TDB, emocionante, lindo, todas as partes mais significativas e esperadas do livro estão presentes no filme intocáveis... Claro que pra quem leu o livro, sabe que vai ficar de fora muita coisa, porque o livro é muito mais completo... mas o filme não deixou nadinha a desejar. AMEIIIIIIII!!!

Mario A.
Mario A.

Segui-los 21 seguidores Ler as 16 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

Nunca li o livro, de fato como a maioria dos homens fui por causa da namorada, mas como um fã de romance me deparei com um dos melhores que já vi na minha vida..adorei a sacada do autor dos dois terem cancer, sempre nos filmes apenas a mulher tem... Acede tem uma sacada unica...parabens ao autor do livro e para os responsaveis pela adaptacao p o cinema...ficou realmente otima...e pelo o que leio ficou 95% fiel ao livro...o que e otimo.

F. V. Fraga
F. V. Fraga

Segui-los 65 seguidores Ler as 63 críticas deles

3,5Bom
missing__review_user.added

A CULPA É DAS ESTRELAS (2014) - A inevitabilidade da morte tratada de forma descontraída e romântica, com uma linguagem que comunica com a juventude, mas que força a barra para fazer chorar. - FÃ CULT - Um Blog para Fãs de Cultura.

http://fancult.blogspot.com.br/2014/06/a-culpa-e-das-estrelas-2014.html

Ricky_Moreir4
Ricky_Moreir4

Segui-los 4 seguidores Ler as 4 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

É muito gratificante ir ao cinema e saber que investiu seu dinheiro em um filme sensacional! A Culpa é das Estrelas é realmente um filme que dá uma bela lição de vida. Mostrando-nos uma mensagem, que nem um câncer que destrói tantas pessoas, pode fazer paramos nossa grande jornada, que é a vida. É difícil saber se choramos ou caímos na gargalhada. É quase impossível de não ouvir alguma pessoa próxima a você no cinema sem estar chorando. Mas que é um filme que causa uma grande explosão de sentimentos, com certeza é. Creio eu, que a pessoa que já teve algum câncer, ou presenciou a doença de um familiar ou amigo, se torna difícil acompanhar o filme. Que caracteriza este tema tão claramente. O filme cria um forte elo com quem assiste ao filme, fazendo com quem assiste imaginar, como é ter um câncer. O filme faz recorda-se a Romeu e Julieta, que viviam um amor proibido, graças ao ódio entre Montecchios e Capuletos. O mesmo sentido se insere entre Hazel e Gus. Mais a única barreira entre este belíssimo amor, é a própria vida. Entre este e muitos outros fatores. Faz os que assistem sentir um tsunami de sentimentos. Até recomendo levar um lenço quando forem assistir ao filme, pois é quase impossível de não cair aos prantos. O filme é uma adaptação do livro feito por Jonh Green, que toca e sensibiliza o coração de qualquer um, com o tema tão delicado como o câncer na adolescência. É curioso como Hazel e Gus, brincam com sua doença no filme, como se fosse algo natural da vida. O filme ainda se torna mais apreensivo, pois ele não se torna corrido. Como tantas adaptações em filme de obras literárias. A novata no Shailene Woodley brilha e encanta qualquer um como Hazel. Que vem desde seus choros, risos até o jeito de ser da personagem. A mesma coisa para Ansel Elgort. Que da um show como Augustos. Então digo e sempre recomendarei, que A Culpa é das Estrelas é um filme encantador! Que nos faz ver a vida de outro modo. Que nem um furacão de decepções nos devem arrancar do chão. E que devemos nos manter firmes, independente de doenças, que temos que seguir em frente, pois temos um longo caminho para ser percorrido.

Estevan Magno
Estevan Magno

Segui-los 66 seguidores Ler as 484 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

As obras artísticas são classificadas em primeira, segunda, terceira... O romance escrito por John Green faz parte da sexta, e a adaptação cinematográfica dirigida por Josh Boone é sétima arte. No entanto a obra de arte The Fault in Our Stars (título original) é algo único e faz parte de um grupo seleto de clássicos da arte moderna. É simples: o livro leva a nossa imaginação ao mundo particular de Hazel Grace e Augustus Waters ao passo que o filme nos permite sentir por alguns minutos como é a vida de duas pessoas com câncer: tão especial quanto a sua vida. Hazel e Gus se conhecem no grupo de apoio que ela frequenta. Nasce logo no estacionamento uma amizade. Gus é o garoto despojado que não se importa com o que os outros pensam dele, e Hazel descobre nesse garoto tão intrigante um amigo que não lhe faça perguntas sobre sua doença, não se importe com o fato de que ela pode morrer a qualquer segundo, que ela é uma granada. O filme nos leva a cenários simples em Indianápolis, entre a casa de Gus e de Hazel. Quando surge a oportunidade de Hazel conhecer seu ídolo, o escritor Van Houten (autor de seu livro predileto: Uma Aflição Imperial), Gus ve nessa viagem a oportunidade de algo a mais com a garota que lhe faz sorrir noite e dia. E é na romantica Amsterdam que Hazel descobre o amor, e junto de Gus ela passa pelas experiencias de sua vida, a sua primeira noite e seu primeiro beijo. A película corre facilmente, graças muito ao roteiro pré definido excelentemente por Green em sua obra literária; o filme ainda conta com um ótimo elenco, e com dois protagonistas que deixam muitas duplas romanticas famosas no chinelo. A linda e talentosa Shailene Woodley faz com Ansel Elgort um casal da sétima arte, digamos que ambos tem uma química única e que nasceram para o papel. Essa obra de arte não ficaria completa se não fosse uma bela trilha sonora, por isso os compositores e interpretes fizeram um trabalho digno de Oscar. Provando que esse filme tem a mistura perfeita. Aqui vai uma dica: fique até depois de subirem os créditos para se extasiar com All of The Stars (do britanico Ed Sheraan). Por fim vale lembrar que esse filme vence pelas ótimas cenas simples de romance e pela excelencia em nos mostrar o quão simples é a vida; feita de momentos únicos e inesquecíveis, e que para aqueles que se acham granadas e que ser especial é tão importante, vale ressaltar que viver é simplesmente compartilhar emoções e fazer dos bons momentos figuras que nunca serão esquecidas, nem na sua mente, nem daquele com que você as compartilhou. Não perderei a chande de terminar minha crítica com uma passagem do livro, OK? Pois bem, "Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, mas é possível escolher quem vai feri-lo."

http://setim7rte.blogspot.com.br/

umamari4
umamari4

Segui-los 5 seguidores Ler a crítica deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

A Culpa é das Estrelas, não mesmo a culpa é do John Green. Que fez com que a cabeça de milhares de adolescentes, adultos e idosos fosse ao delírio. O tal João Verde teve o poder de mudar a vida de muitas pessoas simplesmente retratando um assunto muito vivido, o câncer. Essa simples palavra com grande significado tem o poder de virar o mundo de alguém de cabeça para baixo, assim como aconteceu com Hazel Grace e Augustus Waters. Dois jovens em um mundo totalmente preso aos olhos da humanidade, onde estar morrendo é parar de viver. Mas não para esse casal, que tenta aproveitar o máximo de tempo que resta, encontrando respostas, cavando choro e descobrindo a paixão. O romance A Culpa é das Estrelas, não só retrata a vida de dois adolescentes que sabem que suas vidas podem acabar a qualquer momento, trata-se de uma historia vivida, por apenas pequenos infinitos.

Jeciel P.
Jeciel P.

Segui-los 15 seguidores Ler a crítica deles

0,5Horrível
missing__review_user.added

Sinceramente, achei um filme bem forçado. Com diálogos desnecessários e surreais. Aquele tipo de filme criado para adolescentes de 13 anos chorar no cinema. As atitudes do personagem que fuma cigarros apagados, fala com a protagonista como se conhecesse ela a anos, dirigi batendo em tudo e eles achando engraçado... Achei muito infantil esse filme.

Giulia F.
Giulia F.

Segui-los 12 seguidores Ler a crítica deles

2,0Fraco
missing__review_user.added

O romance dramático de John Green poderia ter tido muito mais efeito do que teve. Um filme bonitinho, mas percebo que é muito parecido com "um amor para recordar", que ficou muito melhor. Quando trouxeram pro cinema passaram a história de um jeito tão rápido que nem deu tempo de me emocionar com praticamente nada. Eu li o livro, gostei, mas também não morri de chorar igual certas pessoas, o livro é de uma linguagem muito simples, pobre em palavras um motivo por se tornar tão popular e prático de ler. Agora, no filme não derrubei nenhuma lágrima. Sinto que foi produzido as pressas pra vender mais, já que o livro está em alta. Uma pena eu ter ido na estreia, e ter que escutar garotas estéricas gritando e chorando alto... coitadas não sabem de nada :/ (e mais uma coisinha... achei podre esse "OKAY") ->Filme indicado pra quem leu o livro e gostou, e também pra quem não é tão crítico a respeito de drama..

LuanaM.
LuanaM.

Segui-los 19 seguidores Ler as 13 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

Bom o suficiente pra me arrancar suspiros, roubar minhas lágrimas e me fazer desejar viver um amor assim.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top