Meu AdoroCinema
Soberano 2 - A Histórica Conquista do Mundial de 2005
Críticas AdoroCinema
4,0
Muito bom
Soberano 2 - A Histórica Conquista do Mundial de 2005

Épico

por Francisco Russo

De todos os esportes, o futebol é aquele que está mais sujeito ao inusitado – e, justamente por isso, é tão apaixonante. Verdadeiros esquadrões por vezes são derrotados por equipes inferiores, que conseguem se superar na base da raça, do esquema tático ou de alguma grande atuação individual. Soberano 2 trata exatamente de um destes casos, quando o São Paulo derrotou o poderoso Liverpool na final do Mundial de Clubes de 2005. Um verdadeiro duelo David x Golias, reconhecido não apenas pela torcida mas também por quem esteve em campo.

O grande mérito deste novo documentário dirigido por Carlos Nader – o anterior tratava dos seis títulos brasileiros do clube paulista – é saber explorar o que há de mais valioso para o torcedor: as cenas de jogo e o que gira em torno delas. Há depoimentos de diversos jogadores e pessoas envolvidas com a competição, como o auxiliar Milton Cruz e o na época superintendente Marco Aurélio Cunha, todos servindo para complementar, sem ofuscar, o exibido em campo. Um exemplo: em meio às cenas da estreia do São Paulo na competição, contra o desconhecido Al-Ittihad, são apresentados comentários sobre o nervosismo daquele jogo e o medo de voltar para casa precocemente, sem sequer disputar a final. Em meio a tais declarações, as jogadas mostram o porquê de tamanho receio, a partir de momentos da própria partida.

É curioso também perceber certos detalhes internos que rondam uma campanha deste tipo, especialmente quando ela é vitoriosa. Raí, um dos maiores craques da história do clube, esteve presente e até mesmo disputou um rachão com os jogadores. Rogério Ceni volta e meia é chamado de "patrão" pelos próprios companheiros. Uma decisão coletiva como deixar de falar com a imprensa ganha contornos individuais a partir do simples aviso de certos jogadores, uns mais enfáticos e outros nitidamente seguindo o grupo. Pequenos detalhes onde é possível perceber o grau de união de uma equipe.

Entretanto, como não poderia deixar de ser, o grande ápice é a final entre São Paulo e Liverpool. Duelo com tons dramáticos, já carregado pelo lado psicológico devido ao fato de que o time inglês não levava gol há 11 partidas. "Não conseguia ver como iríamos fazer um gol neles", confessa Rogério Ceni em determinado momento. A partida, explorada em detalhes, ainda traria requintes de crueldade: apesar da vitória por 1 x 0, o Liverpool teve três gols anulados.

Soberano 2 é um filme emocionante, que valoriza o lado épico de uma partida de futebol ao ressaltar as disparidades entre as duas equipes – algo também visto na famosa Batalha dos Aflitos, jogo entre Grêmio e Náutico que valeu classificação para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2005. É o tipo de filme que agrada a qualquer amante de futebol, independente do time para o qual torce – e deixando rivalidades clubísticas de lado, é claro. Destaque também para duas cenas: quando um galpão abarrotado de gente acompanha o gol do título apenas pelo áudio, já que a imagem do telão caiu minutos antes, e a emoção de Rogério Ceni, já no fim do documentário, ao relembrar o grupo de jogadores que conquistou o tricampeonato. Ambas de arrepiar.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

Mostrar comentários
Back to Top