Meu AdoroCinema
Ninfomaníaca - Volume 1
Nota média
3,0
26 publicações
  • Almanaque Virtual
  • Cinema com Rapadura
  • Cinema em Cena
  • Cineplayers
  • Estado de São Paulo
  • Instituto Moreira Salles
  • O Globo
  • Screen International
  • Télérama
  • The Guardian
  • The Hollywood Reporter
  • CineClick
  • Cineweb
  • O Globo
  • Rolling Stone
  • Variety
  • Preview
  • Chronic'art.com
  • Critikat.com
  • Estado de Minas
  • O Globo
  • Omelete
  • Papo de Cinema
  • Rubens Ewald
  • O Globo
  • Télérama

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

26 críticas da imprensa

Almanaque Virtual

por Filippo Pitanga

Como Viagra não cura resfriado e Hipoglós não é destinado à candidíase, não se deve receitar um filme do polêmico cineasta Lars Von Trier para transeuntes de comédias românticas ou cardíacos facilmente impressionáveis.

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Cinema com Rapadura

por Diego Benevides

“Ninfomaníaca – Vol. I” acaba sofrendo duas vezes: por ser dividido e por não ser exatamente aquilo que se esperava. Mas é relativo. Continua sendo uma história típica de Lars von Trier, o que requer respeito...

A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

Cinema em Cena

por Pablo Villaça

[O filme] é basicamente um estudo de personagem recheado de divagações filosóficas que usa o sexo mais como vinhetas de passagem do que como centro narrativo, criando uma experiência irregular, mas jamais desinteressante.

A crítica completa está disponível no site Cinema em Cena

Cineplayers

por Francisco Carbone

Do que ficou claro, temos a direção sofisticada do dinamarquês, em contraste absoluto com o universo abordado, ainda raso e tratando pelas bordas o poço sem fundo onde a protagonista Joe parece mergulhar...

A crítica completa está disponível no site Cineplayers

Estado de São Paulo

por Luiz Zanin

Além dessas tentativas, embora inúteis, de racionalização, há também os procedimentos usados por Von Trier para estabelecer uma distância (crítica) entre o espectador e aquilo que vê. Letras e gráficos escorrem pela tela [...] Um distanciamento que produz espanto, e reflexão.

A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

Instituto Moreira Salles

por José Geraldo Couto

Lars von Trier optou por encarar o drama humano com humor, sem perder a gravidade. Seu cinema, de certo modo, é uma versão engenhosa e complexa do dito popular “a gente sofre, mas se diverte”.

A crítica completa está disponível no site Instituto Moreira Salles

O Globo

por Mário Abbade

Uma diferença entre o provocador Lars von Trier e muitos outros diretores é que ele manipula o público assumidamente, sem medo de ser criticado [...] A expectativa era de um filme erótico, um olhar artístico sobre o pornô. Mas o cineasta, irônico, saca um filme de sexo sobre o vazio — e apresenta o pornô como algo broxante.

A crítica completa está disponível no site O Globo

Screen International

por Mark Adams

Com sua longa duração e tema ambicioso, não surpreende que "Ninfomaníaca" seja irregular [...] Mesmo assim ele é provocador, engraçado, direto (mas nunca sexy) e também um projeto notável e ousado, com excelentes atuações.

A crítica completa está disponível no site Screen International

Télérama

por Aurélien Ferenczi

O espectador vai sair deste filme cheio de dúvidas, e perguntando ao vizinho sobre o que viu, e sobre o significado do que viu. Qual outro cineasta de peso consegue despertar desta maneira o interesse, deixando o espectador ansioso pela sequência?

A crítica completa está disponível no site Télérama

The Guardian

por Xan Brooks

Foi bom pra você? Foi bom pra mim? "Ninfomaníaca" não quer saber. Ele se desenvolve com seu próprio ritmo, para seu próprio prazer [...] O filme me irritou, me repeliu, e mesmo assim eu acho que adorei. Este é um relacionamento problemático; eu preciso ver de novo.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

The Hollywood Reporter

por Todd McCarthy

[O filme] Não é entediante em momento nenhum e consegue provocar e estimular, embora não seja excitante, nem mesmo remotamente. Em sua essência, o filme representa uma tentativa árdua, rebelde, idiossincrática e sem cortes de um artista masculino intelectual e atrevido de abordar a famosa pergunta de Freud: "O que quer uma mulher"

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

CineClick

por Roberto Guerra

Está todo mundo cheio de tesão para assistir ao pornô-cabeça do diretor. Vai aqui um balde d'água fria, daqueles de separar cachorro, no fogo dos espectadores incautos. "Ninfomaníaca" é a antítese da excitação erótica. E, acredite, esse é um dos méritos do filme.

A crítica completa está disponível no site CineClick

Cineweb

por Neusa Barbosa

Trier mostra, novamente, seu cinismo – que, por excessivo, retira um pouco da humanidade de suas personagens. O que não acontecia em "Ondas do Destino" e "Dogville", filmes de escrita mais elaborada.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

O Globo

por Marcelo Janot

Se visto como um ensaio sobre o ato de narrar, o filme cresce por permitir a Von Trier desenvolver seu talento habitual como diretor, já que a discussão sexual é apenas uma grande piada que serve de veículo para a experimentação, com algumas interessantes variáveis formais entre os capítulos.

A crítica completa está disponível no site O Globo

Rolling Stone

por à redação

O pacote sexual é bastante escandaloso, claro. Von Trier faz uma inesperada acoplagem do soft porn europeu dos 70 e do filme-ensaio para ilustrar suas ideias sobre a explosão da franqueza sexual feminina. 

A crítica completa está disponível no site Rolling Stone

Variety

por Peter Debruge

Um trabalho denso, como uma sequência lógica da carreira do diretor, destinado a chocar, provocar e por fim ensinar um público que ele considera pudico demais. Exceto pela questão racial, este filme oferece um olhar bem-humorado, mas sério, sobre a liberação sexual.

A crítica completa está disponível no site Variety

Preview

por Suzana Uchôa Itiberê

O olhar sobre o comportamento doentio da protagonista de "Ninfomaníaca" pode se revelar um estudo sobre o sexo e a carência. Essa primeira parte, porém, parece não passar de um jogo voyeurístico do cineasta...

A crítica completa está disponível no site Preview

Chronic'art.com

por Jérôme Momcilovic

Ao fim do primeiro volume de "Ninfomaníaca", nem a garota, nem o espectador, nem Lars Von Trier terão sentido o que quer que seja. Todos sofrerão do mesmo tédio, sem enxergar nada interessante nos cinco capítulos insossos que compõem este meio filme.

A crítica completa está disponível no site Chronic'art.com

Critikat.com

por Louis Banchot

Já está claro há 20 anos que Lars Von Trier quer ser um artista com A maiúsculo. Por isso, vale sublinhar que sua megalomania só é tão grande quanto sua cafonice. É impossível não perceber isto neste filme, de tanto que ele prejudica o próprio tema do filme.

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

Estado de Minas

por Mariana Peixoto

É esperar até março para ver se Von Trier vai conseguir o impacto desejado, porque em sua primeira parte, "Ninfomaníaca" é marcado por uma ausência de empatia com o espectador. 

A crítica completa está disponível no site Estado de Minas

O Globo

por Daniel Schenker

De fato, o diretor parece ter pouco a expressar aqui. [Lars von Trier] Opta por uma estrutura monótona, que não deixa muito espaço para a imaginação do espectador. Insere referências que não ultrapassam o plano da embalagem erudita. E faz com que os atores digam com certa gravidade um texto de qualidade duvidosa. 

A crítica completa está disponível no site O Globo

Omelete

por Marcelo Hessel

"Ninfomaníaca" é um filme que adota uma cafona postura professoral para tentar dar conta de uma experiência sensorial para multidões. [...] "Ninfomaníaca" almeja ser uma investigação de sensações, mas termina sendo uma aborrecida catalogação de sensações.

A crítica completa está disponível no site Omelete

Papo de Cinema

por Marcelo Müller

São diversos os elementos desperdiçados ao longo da explanação da protagonista, muito em prol de uma graça sem graça, até constrangedora. Ninfomaníaca: Volume I é o filme mais careta de von Trier...

A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

Não chega a ser cansativo mas tampouco revelador. Não foi mostrada a segunda parte mas o que lemos a respeito também não revela muito. O que eu senti mais falta era que principalmente "Melancolia" era um filme muito bonito, com imagens inesquecíveis. Aqui é um filme triste e feio.

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

O Globo

por Susana Schild

Perto dos 60 anos, o ex-enfant terrible do cinema europeu preserva uma noção infantil do sexo, que utiliza como combustível para exercitar uma misoginia cult, cada vez mais agressiva (“Anticristo”) e pretensiosa (“Melancolia”).

A crítica completa está disponível no site O Globo

Télérama

por Pierre Murat

A misoginia de Lars Von Trier encontra o vácuo de seus pensamentos. Afinal, o que ele quer dizer sobre o sexo? Só as mesmas banalidades que já disse sobre o racismo (em "Dogville") ou sobre a morte (em "Melancolia"). Além de não dizer quase nada, ele filma mal.

A crítica completa está disponível no site Télérama
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top