Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Confiar
    Críticas AdoroCinema
    4,0
    Muito bom
    Confiar

    SINAL DE ALERTA

    por Roberto Cunha

    Adolescentes são famosos pelo comportamento arredio e os pais estão longe do mesmo status por não conseguirem compreendê-los. Se tempos atrás criar filhos nessa fase não era fácil, nos dias de hoje com tanta modernidade, a missão tornou-se mais difícil. Confiar trata de um assunto extremamente atual e, sem fazer rodeios, esse suspense familiar tem tudo para deixar papai e mamãe com a pulga atrás da orelha e, tomara, os "filhinhos e filhinhas" também.

    Annie (Liana Liberato) apresenta os sintomas comuns da puberdade, acha que ninguém em casa a entende e todos a julgam. Filha do meio do casal Will (Clive Owen) e Lynn (Catherine Keener), ela começa a se relacionar virtualmente com um jovem de 16 anos que conheceu num chat da internet. O "romance" extrapola o meio, migrando para o telefone celular e num dia, sem que seus pais soubessem, ela aceita o convite para um encontro. Só que a surpresa do primeiro momento é apenas o começo de um pesadelo que marcará a vida de todos para sempre.

    O roteiro do novato Andy Bellin e de Robert Festinger, premiado por Entre Quatro Paredes (2001), não chega a ser um primor, pois comete algumas falhas, mas funciona bem, prendendo a sua atenção e te deixando na agonia para saber qual será o final dessa história. Talvez por receio de perder o foco, não foram mais fundo na questão da sexualização nos meios de comunicação e na propaganda. Ainda assim, ver o pai publicitário transtornado em uma festa por esse motivo e chocado com a naturalidade de um amigo (Noah Emmerich) sobre o ocorrido com a filha, pode fazer muito adulto pensar e debater o tema pedofilia.

    A entrada do FBI em cena ajuda a mover a trama, tirando o assunto da esfera familiar ficcional e jogando-o no colo do espectador, adulto ou adolescente, ao revelar a podridão de algumas relações virtuais. Em um momento crucial, chega a assustar o fato de um criminoso ter o telefone de um membro da casa, simplesmente, porque o número consta em algum site pessoal. Tempos mais que modernos esses.

    Dirigido por David Schwimmer, o eterno Ross do seriado Friends, o elenco principal está afiado e a jovem Liberato dá show como protagonista. Owen manda bem na transição para alguém obcecado e Keener, como sempre, convence com mãezona. Da série coisas que poderiam ser evitadas, o roubo de informações do FBI pelo pai é triste. Em contrapartida, a crítica a sociedade armada é perfeita.

    Censurado nos Estados Unidos, esse pequeno filme (US$ 9 milhões) é um grande sinal de alerta para esses "novos" perigos, fruto de uma ferramenta de comunicação que veio para ficar e cujo benefício para humanidade é inexorável.

    Assista o trailer e veja imagens em Confiar.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Alisson
      Nem todos os filmes tem final feliz não da pra sair dizendo que o filme é um lixo pq ele não termino do jeito que vc quis, o final é bom sim provoca uma reflexão se vc realmente entrou na historia.
    • Juciele Magna da silva
      Verdade super assisti ansioza mas o final foi uma Merdaa, Disse que ia haver continuaçao de hj que procuro o proximo filme e nada...
    • Laura
      Ela tem 14 anos, uma fase difícil menos pra você, a fodona dona da verdade!
    • Marcos Vinicios
      Vai me desculpar amigo mais acho que tudo depende da como os pais criam seus filhos para que com 14 anos possa ter uma mentalidade dessas, vcs realmente entenderam o filme ? Não confunda amor com outras coisas, ela foi iludida pelo cara que só queria sexo o caso estupro só se deu ao caso por ela ser menor de idade, quantos casos parecidos acontecem nos dias atuais e com mulheres bem mais velhas
    • Leandro Souza
      Filme tinha tudo pra ser bom, mas existem falhas inacreditáveis.Como e por que o FBI não solicitou as imagens do maniaco ao shopping? Placa do Carro e etc. Mesmo que vc não se importe com esses detalhes, o final é tudo de Ruim.Filme fraco, nota 5
    • Felipe Malcher
      Pelo menos eu vi sangue de alguém apanhando pelo pai
    • Jurgensem_timao
      Você assistiu hoje no Corujão?
    • Jurgensem_timao
      Você assistiu hoje no corujão?
    • Luska
      Marcos, com 14 anos já tem mentalidade pra saber o que é um estupro sim.
    • Lin Santanna
      ótimo filme, péssimo final. Não recomendo. O filme te prende com uma trama interessante pra te decepcionar totalmente no final. Por mais que o filme tente retratar a realidade, deixou muita coisa em aberto. Faltou retratar a superação da família, quando a menina finalmente se dá conta de que os pais dela estão ali para apoioa-la o filme acaba. Não mostrou em nenhum momento a transição da família. Demostrou que o FBI é um lixo de incompetência em deixar um pedófilo livre e sem ao menos uma identificação por 3 anos. Sinceramente se não querem desperdiçar se tempo não assistam tem muitos outros filmes melhores que abordam o mesmo tema e terminam de uma forma sensata. Uma pena pois a atuação dos atores foram ótimas, o filme tinha um belo roteiro, mas infelismente descpcionou muito com esse final TOTALMENTE aberto
    • Luska
      Final horrível, perdi meu tempo esperando o pai matar o estuprador.
    • Marcos Vinicios
      Na verdade vc não entendeu o filme , ela se apaixonou não por causa da idade mais sim por um contexto no todo tanto que o rapaz só apareceu para ela quando sentiu que a menina já estava apaixonada e sua idade não seria problema, na verdade o filme retrata muito bem os dias atuais mesmo sendo um filme antigo, vc não pode nunca querer comparar a mentalidade de uma menina de 14 anos com uma mulher, vale lembrar que o criminoso só escolhia meninas nessa faixa etária, minha unica critica para o filme é o fato de não terem prendido o criminoso, vc não pode julgar a menina pq ela é uma criança lembrando que vc futuramente pode ser mãe ou já é não a conheço para afirmar mais e ai irá julgar sua filha tmb ?
    • Thalita Fatima
      e você e a rainha das alienadas,
    Mostrar comentários
    Back to Top