Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Transformers: O Lado Oculto da Lua
    Média
    4,1
    1916 notas e 275 críticas
    distribuição de 275 críticas por nota
    77 críticas
    77 críticas
    75 críticas
    24 críticas
    14 críticas
    8 críticas
    Você assistiu Transformers: O Lado Oculto da Lua ?

    275 críticas do leitor

    Fernando S
    Fernando S

    Segui-los 1260 seguidores Ler as 389 críticas deles

    4,5
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    Um filme no mínimo espetacular para não dizer outra coisa! É com prazer que observo de perto o diretor Michael Bay se superar a cada filme e fazendo deste o seu melhor trabalho até o momento. De longe esta terceira parte é a melhor da franquia até o momento pois nos oferece tudo que vimos nos anteriores mas de forma melhor estruturada, mais elaborada, melhor embasada e sobretudo acima da média. São duas horas e meia de pura ação e imersão total em frente à telona / telinha sem exagero ao dizer isso. Ressalto aqui também a feliz adoção do 3D à franquia, pois diferentemente de outros filmes que não tem conteúdo para tanto ou que foram mal convertidos, esse sim possui cenas de sobra para proporcionar um delírio visual ao espectador, que sairá da sala do cinema com a sensação de ter participado de uma guerra literalmente. Infelizmente não asissti em 3D mas não é difícil notar e imaginar ao ver as cenas como elas ficariam em três dimensões e acima de tudo o que a tecnologia trouxe de benefícios para a série. São cenas de tirar o fôlego mostrando o que há de mais novo em efeitos especiais e visuais, utilizando a mais alta tecnologia atual de ponta para isso. O elenco está muito bem, os coadjuvantes novatos na série como John Turturro, Frances McDormand e John Malkovich e Patrick Dempsey aparecem bem e realizam uma atuação correta e sem comprometer em nada o roteiro. Os pais de Sam, Kevin Dunn e Julie White, aparecem menos mais em algumas divertidas cenas mais no início do filme, enquanto isso Josh Duhamel e Tyrese Gibson aparecem com bem mais destaque e tem uma função muito mais importante e decisiva que nos filmes anteriores. Já Shia LaBeouf aparece muito bem em cena sabendo passar a frustração e maior maturidade de seu personagem agora morando sozinho e trabalhando, além de arrasar nas cenas de correria e ação tendo um papel importante aqui também, e sua parceira Rosie Huntington-Whiteley mostrou que sabe fazer muito mais do que as cenas de correria que fez e substituiu muito bem Megan Fox (não senti falta de Megan), sabendo dar um toque especial e personalidade própria à personagem Carly, com um ar mais maduro, responsável e ao mesmo tempo sensual na medida certa encantando toda a platéia masculina, diferentemente de Megan Fox que interpretava alguém mais fútil, infantil e que era usado apenas como mulher-objeto, assim como sua intérprete, com o perdão da palavra. O versátil roteirista Ehren Kruger (A Chave Mestra, Pânico 3, Transformers- A Vingança dos Derrotados) já com a experiência do filme anterior da franquia em que dividiu com Roberto Orci e Alex Kurtzman os créditos, aqui ele se mostra mais à vontade e com mais liberdade para criar e abusar de cenas de grande impacto visual e nos entrega um filme muito mais redondo e bem estruturado que o anterior da franquia. Kruger abordou com inteligência a questão da corrida espacial entre EUA e União Soviética e um segredo escondido pelos humanos dos Transformers no lado mais oculto da lua. Essa descoberta é que desenvolve toda a história desse filme e nos mostra muito mais personagens interessantes, especialmente do lado dos Decepticons que planejavam invadir a Terra no momento mais oportuno e com poder de ataque. Vemos também aqui um vilão de peso, Sentinel Prime, além do já conhecido Megatron. A estrutura do filme ( a narração no início e final do filme) e as características de ação ainda mais evidenciada, e do humor um pouco mais contido, estão lá. Alguns questionam o fato do filme ser longo demais, mas creio que ficou do tamanho certo, afinal ele é apenas 10 minutos mais longo que o filme original, é ação do começo ao fim e com grandes duelos nas lutas (Optimus X Megatron, Optimus X Sentinel, entre outras) dentro da batalha principal. Não achei que ficou arrastado e teve a duração adequada. Nessa nova tentativa dos Decepticons de tomar a Terra, trazendo Cybertron à Terra através de pilares criados por Sentinel traz toda a ameaça dessa vez. Interessante ver o trabalho de direção de arte e especialmente da fotografia ao conseguir retratar um cenário de destruição total e até meio pós-apocalíptico com tons de cinza e lentes epecíficas. Não me permito esquecer de citar também mais um trabalho preciso de Steve Jablonski em mais uma trilha sonora condizente e que soube oferecer adrenalina no momento certo e emoção em outros. Neste filme vemos cenários megalomaníacos e cenas espetaculares (as cenas nos interiores e exteriores dos prédios, nas rodovias, nos monumentos, nos arranha-céus, etc) e realmente ficamos de boca aberta. Efeitos magníficos que certamente são favoritos na conquista do Oscar, é realmente um trabalho primoroso e que igualo recentemente apenas à "Avatar" de James Cameron e à "2012" de Roland Emmerich. O filme apresenta um maior clima de ameaça num cenário devastado, até um certo suspense, alguns momentos de emoções fortes (a despedida dos Transformers e a despedida de Bumblebee com Sam posteriormente em que ele é salvo por pouco), aprsenta uma maior variação de cenários e de cenas incríveis, personagens melhor trabalhados e essencialmente diverte e propicia momentos de puro entretenimento e satisfação no decorrer do longa. Imperdível e para os fãs da franquia, como eu, basta sentar e dse deliciar visualmente com tudo o que esta obra tem a oferecer! Vá correndo alugar!
    Filipe B.
    Filipe B.

    Segui-los 3 seguidores Ler as 8 críticas deles

    5,0
    Enviada em 7 de julho de 2014
    Transformers: O Lado Oculto da Lua e sem duvida o melhor da franquia com ótimos efeitos especiais e boas interpretações , se o primeiro filme tinha mais ação e o segundo mais aventura , desta vez Michael Bay consegue criar um ótimo roteiro cheio de senas emocionantes e ótimas sequencias de açã com quase três horas de duração o filme não e cansativo e as palavras finais de optimus prime fecham com chave de ouro a trilogia
    Drih S.
    Drih S.

    Segui-los 662 seguidores Ler as 290 críticas deles

    4,5
    Enviada em 17 de julho de 2017
    Continuação da minha maratona TRANSFORMERS!!! Terceiro filme da franquia de grande sucesso, dessa vez com TRANSFORMERS: O LADO OCULTO DA LUA (Transformers: Dark of the Moon). O LADO OCULTO DA LUA foi lançado em 2011, voltando com a parceria do diretor Michael Bay e do produtor executivo Steven Spielberg, junto com os produtores Lorenzo di Bonaventura e Don Murphy. Os roteiristas Roberto Orci e Alex Kurtzman não participaram desse terceiro filme, alegando trabalhos em outros projetos, ficando somente por conta de Ehren Kruger. Com os conflitos internos entre Megan Fox, Michael Bay e Steven Spielberg, o que gerou a sua demissão, foi escalada para integrar o elenco a bela e um tanto desconhecida (na época) modelo britânica Rosie Huntington-Whiteley. Shia LaBeouf, Josh Duhamel, Tyrese Gibson, John Turturro, Kevin Dunn e Julie White reprisaram seus papéis. Dessa vez a história começa com uma volta no tempo e pelo espaço, com um prólogo mostrando o que aconteceu em Cybertron nos últimos dias de guerra, o que gerou à corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética na década de 60. Durante a guerra em Cybertron, um nave comandada pelo Autobot Sentinel Prime consegue escapar e fugir, porém ela é alcançada pelos mísseis teleguiados dos Decepticons e cai em uma parte oculta da lua. Sam Witwicky (Shia LaBeouf) já está formado e vive com sua nova namorada Carly Spencer (Rosie Huntington-Whiteley), porém, ele sofre pra conseguir um emprego, mesmo tendo salvado o planeta duas vezes e ter sido condecorado por Obama. Pra mim, como um grande apreciador da franquia, tendo acompanhado filme por filme, digo que TRANSFORMERS: O LADO OCULTO DA LUA é o melhor da série até os dias atuais. Dessa vez Michael Bay conseguiu acertar a mão, fez um ótimo trabalho, entregando mais uma grande aventura dos grandes robôs, que me divertiu e me empolgou até os últimos minutos. Por mais que o terceiro filme tenha 2h 35min (longo pra cacete), eu não achei cansativo, pelo contrário, gostei bastante. Me lembro da época em que assisti à estreia (lá em julho de 2011) em 3D, o que deixou o filme ainda melhor, e hoje pude comprovar o quão magnífico ficou o TRANSFORMERS 3 na questão efeitos especiais e mixagem de som. Fantástico....Belos efeitos especiais, como na cena da queda do prédio sendo invadido pelo Decepticon gigante, entre várias cenas que podemos comprovar o selo Bay de qualidade (assim como já havia apresentado nos anteriores). Os trabalhos de sons são outro grande destaque, muito bem trabalhado, você consegue captar todos os áudios em diferentes ambientações, sendo em explosões, tiros, quedas, gritos (principalmente os gritos finos de Carly) em todos os sentidos......Nota 10 para efeitos especiais e mixagem de som. No terceiro filme da franquia, o personagem de Shia LaBeouf já está completamente incorporado, uma atuação quase que igual nos três filmes da série. Com a treta envolvendo Megan Fox, a belíssima Rosie Huntington-Whiteley vive a nova namora de Sam, e digo mais, ela foi muito bem para uma estreia, conseguiu desenvolver bem o seu papel e formou até que um bom par romântico com Shia. Patrick Dempsey viveu Dylan Gould, o chefe bilionário que assediava Carly, sua atuação é bem modesta e seus acontecimentos dentro da trama são interessantes. John Turturro está de volta, dessa vez como o ex agente Seymour Simmons, assim como no segundo filme, ele desenvolveu um personagem bem legal e contribuiu bastante com a história. Josh Duhamel volta com o Coronel William Lennox, assim como Tyrese Gibson como Robert Epps, eles estão muito bons, principalmente Tyrese, que teve uma participação até maior que no filme 2. Kevin Dunn e Julie White são os pais de Sam, e estão mais modesto nesse terceiro filme, eles aparecem muito pouco e não desenvolveram um papel bem cômico, assim com foi no primeiro e segundo. Frances McDormand faz a comandante linha dura Marissa Faireborn, ela é umas das responsáveis pelos acontecimentos envolvendo os Autobots e os humanos, ela esteve bem em seu papel. Portanto, chegamos ao terceiro filme dessa grande franquia que é TRANSFORMERS. Michael Bay dessa vez conseguiu entregar um ótimo filme (ótimo no estilo de TRANSFORMERS, é claro), muito bom mesmo, eu gostei bastante. Agora é seguir com minha maratona até chegar no dia 20, pra finalmente poder acompanhar...TRANSFORMERS: O ÚLTIMO CAVALEIRO.
    Luis R.
    Luis R.

    Segui-los 11684 seguidores Ler as 759 críticas deles

    3,5
    Enviada em 18 de fevereiro de 2015
    Bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Jhonathan C.
    Jhonathan C.

    Segui-los 1630 seguidores Ler as 415 críticas deles

    3,5
    Enviada em 23 de julho de 2013
    É um grande filme. Grandes efeitos especiais. Temos agora uma substituta de Megan Fox: Rosie Huntington-Whitekey, que se sai melhor ainda (mesmo as duas não fazendo diferença na franquia). Shia LaBeouf e Tyrese Gibson se saíram muito bem, assim como a Rosie. O restante foi regular. A história é a praticamente a mesma (Os Autobots em guerra com os Decepticons, com a ajuda de Sam e o exército americano), mas ainda assim, mesmo sendo longo, o filme diverte e traz interesse.
    Carlos Henrique S.
    Carlos Henrique S.

    Segui-los 4314 seguidores Ler as 783 críticas deles

    3,0
    Enviada em 5 de janeiro de 2019
    Michael Bay havia dito que seria o último da franquia que ele dirigiria e portanto fica nítido o épico desfecho e mais grandioso que seus filmes anteriores.Mai uma vez infelizmente a história não tem a atenção necessária e por isso o roteiro tem momentos que não são objetivos e tampouco convincentes,apesar disso até que não é ruim como seu anterior que é extrapolado demais,Sam desta vez se vê em meio de mais uma batalha entre os robôs e apesar de estar um pouco mais distante deles acaba se envolvendo devido a fatos que chegam a ele e prova um perigo novamente a humanidade.Aqui não temos a participação da Megan Fox que foi demitida do papel e Rosie Huntington-Whiteley substitui como a nova namorada do Sam e na estreia como atriz ela continua no mesmo nível da Megan senão pior e sua aparição já é resumida em sua primeira aparição.O efeitos visuais e especiais são deslumbrantes e são os melhores da primeira trilogia,as cenas de ação são eletrizantes apesar dos problemas com movimentação exagerada da câmera e o corte frenético que atrapalham a visão,um sério problema do Michael Bay.O roteiro é ineficiente na questão de excesso de personagens que congestionam a trama e no descontrolado terceiro ato que é alongado demais apesar de ser bem divertido e grandioso.Transformers-O Lado Oculto da Lua é muito superior ao segundo é o melhor visualmente é o mais divertido da trilogia inicial,mas peca no roteiro inchado demais que arrasta muito em alguns momentos,especificamento no desfecho.
    Roberto Carlos M.
    Roberto Carlos M.

    Segui-los 1745 seguidores Ler as 443 críticas deles

    4,5
    Enviada em 17 de junho de 2014
    assisti na tela quente na tv globo, muito bom mesmo, história bem produzida e dirigida, atuações convincentes, cenas de ação espetaculares, efeitos visuais e sonoros magnificos, a dublagem também é um show, nota dez.
    Matheus S.
    Matheus S.

    Segui-los 19 seguidores Ler as 62 críticas deles

    2,5
    Enviada em 19 de dezembro de 2012
    O primeiro filme dos Transformers era um filme “pipoca” perfeito! Efeitos especiais fantásticos, ótimas doses de emoção e atuações quase deploráveis, mas tinha uma gostosa (Megan Fox, é óbvio) que compensava isso (rsrs). Já no segundo filme os efeitos especiais continuaram no mesmo patamar de qualidade, a Megan Fox continuava igualmente gata mas a emoção e a diversão ao assisti-lo já não era a mesma. Agora com Transformers 3 o filme desandou de vez, perdendo totalmente a diversão, perdendo também a Megan Fox, mas em compensação os efeitos especiais continuam, sendo esse o único ponto forte do filme. O roteiro é mais do mesmo, com furos feios e diálogos totalmente sem graça, que parece que foram colocados apenas para fazer o público rir, mas comigo isso não deu certo. A direção do Michael é como sempre “destruição em massa com armas bizarras e efeitos especiais de ponta”. As atuações são deploráveis, eu subestimei o Shia pensando que ele não poderia ficar pior que em Transformers 2, mas ele ficou. E cadê a Megan??? A única atriz que nos dava momentos de diversão no decorrer dos outros filmes foi trocada por outra totalmente sem sal, apenas uma gostosa sem expressões faciais convincentes. Os fãs de Transformers com certeza adoraram esse filme, mas nem todos aqueles que gostam de filmes blockbusters podem gostar desse, e o motivo principal é quase óbvio: ele é um filme muito morno, com algumas cenas com efeitos especiais muito bons, mas que se mostra muito sem sal no restante das longas 2 horas e 30 minutos.
    Neto S.
    Neto S.

    Segui-los 13645 seguidores Ler as 773 críticas deles

    3,0
    Enviada em 24 de dezembro de 2013
    Os Autobots, liderados por Optimus Prime (Peter Cullen), participam de missões secretas ao lado dos humanos, onde tentam exterminar os Decepticons existentes no planeta. Um dia Optimus descobre que os humanos lhe esconderam algo ocorrido no lado oculto da Lua. Trata-se da queda de uma espaçonave vinda de Cyberton, comandada por Sentinel Prime (Leonard Nimoy), que desencadeou a corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética na década de 60. Os Autobots resolvem ir à Lua para resgatar o antigo líder, além das cápsulas que ainda estão no local. Paralelamente, Sam Witwicky (Shia LaBeouf) vive com sua nova namorada, Carly (Rosie Huntington-Whiteley), e está à procura de emprego. Ele sente-se diminuído, já que salvou o planeta duas vezes e ganhou uma medalha do presidente Barack Obama, mas nada disto parece ajudá-lo a se estabelecer no mercado de trabalho. Para piorar, Carly ganha bem e é assediada pelo chefe, o bilionário Dylan Gould (Patrick Dempsey). Pouco depois de enfim conseguir emprego, Sam recebe uma mensagem de Jerry (Ken Jeong), que trabalha no mesmo lugar. Jerry trabalhou na NASA durante a corrida espacial e agora é chantageado pelos Decepticons, que o matam. O fato faz com que Sam procure mais uma vez os Autobots, mas apesar de seus feitos do passado ele encontra resistência da nova comandante, Marissa Faireborn (Frances McDormand). Filme Legal Igual o 2 Mais o 1 Ainda é Melhor , Uma Coisa Que Eu Nao Gostei Que Foi Tirar a Megan Fox , Bons Efeitos Nota 7.0
    moreiraum
    moreiraum

    Segui-los 20 seguidores Ler as 32 críticas deles

    3,5
    Enviada em 29 de setembro de 2012
    Grande filme de ação, mas as cenas podem se tornar cansativas. O 3D foi bem montado, o enredo é seqüência dos outros filmes, a fotografia é impecável. Mas peca no romance forçado, com uma atriz que não combina com o filme e o personagem principal como um bobalhão. Dá pra curtir mas sem muita empolgação para um quarto filme.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top