Meu AdoroCinema
Sombras da Noite
Sessões Vídeos Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Filmes Online Curiosidades Bilheterias Filmes similares Notícias
Críticas AdoroCinema
3,0 Legal
Sombras da Noite

Monstros como eu e você

por Bruno Carmelo

É muito curioso que este novo filme de Tim Burton tenha sido tão criticado. "O roteiro tem furos", "Vampiros não deveriam sair no sol" e "A história transita entre muitos gêneros, mas não se aprofunda em nenhum deles" foram apenas algumas das afirmações lidas na imprensa. Ora, esta parece ser justamente a época em que o cinema mais reinventou a figura romântica e erótica do vampiro, enquanto a noção de gênero nunca foi tão híbrida. Alguém ainda critica Quentin Tarantino pela colagem de gêneros?


Esta reação conservadora mostra que tanto os críticos quanto o público – que recebeu de maneira morna esta produção – esperavam algo muito diferente. Para uma trama sobre monstros, vampiros e lobisomens, Sombras da Noite traz provavelmente a abordagem menos espetacular possível. Como a série que deu origem a esta história, a grande maioria da narrativa se passa dentro da mansão original, com o humor sendo destilado apenas em diálogos.


O universo fantástico e transcendente de Alice no País das Maravilhas desaparece, assim como a pirotecnia de A Fantástica Fábrica de Chocolate. A história lembra muito as peças teatrais farsescas, com personagens voluntariamente estereotipados se afrontando sobre um palco. Ao mesmo tempo em que os efeitos visuais são tradicionais (fantasmas são transparentes e azulados, tesouros são montanhas de metais dourados brilhantes, os anos 70 são representados por globos espelhados), os confrontos são bastante verossímeis: o personagem quer restituir o amor familiar e retomar os negócios de antigamente, com a reativação de fábricas e outros imperativos econômicos realistas.


Neste sentido, vampiros, bruxas e lobisomens não constituem um universo mágico, mas metáforas para os conflitos internos de uma família comum. "Eu sou um lobisomem, OK? Não vamos criar um alarde por causa disso", revela um personagem a certa altura da trama. Estas pessoas não são mais definidas por suas monstruosidades; o caráter sobrenatural vira apenas um traço de seu caráter. "Toda família tem seus monstros", parece dizer o filme.


Tim Burton delicia-se com o anacronismo da história, em camadas diferentes: para Barnabas Collins (Johnny Depp, sempre muito à vontade neste universo), o século XVIII é o passado e os anos 1970 são o novo presente, difícil de compreender, enquanto para o público, estas duas épocas são registros passados, raramente combinados em um mesmo filme. O tom aristocrático e britânico de Barnabas entra em conflito com a atmosfera pós-hippie e colorida da era do disco americana, gerando grande parte do humor desta história.


O elenco se sai muito bem, com destaque para Eva Green, impressionante em vampira carente e sexy. Ela consegue fazer exatamente aquilo que Anne Hathaway não conseguiu em Alice no País das Maravilhas: atuar com o eixo do corpo deslocado, com os braços suspensos, como uma boneca mecânica. Bella Heathcote também é uma boa surpresa, adotando um tom de voz firme e dando um temperamento forte à personagem que poderia se limitar a uma garota bela e frágil. O roteiro é de fato recheado de diversos outros personagens secundários, resumidos a um estereótipo central (a psicanalista bêbada, o ladrão libidinoso, o garoto antissocial, a jovem rebelde), exatamente como no universo das séries de televisão.


Sombras da Noite apresenta uma divertida mistura pop entre épocas, gêneros e formas de cinema, com uma despretensão que era impossível atingir na adaptação das famosas histórias Alice no País das Maravilhas e A Fantástica Fábrica de Chocolate, por exemplo. Esta crônica familiar existe muito além de seu material original e de seus efeitos visuais, com sua pitada sombria de sexo e morte e seu prazer descontrolado na composição das cenas. Este teatro de seres sobrenaturais é ironicamente realista e cotidiano, razão que garantiu tanto a apreciação de alguns espectadores quanto a rejeição de muitos outros.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Irleyson M.

    Eu gosto muito dos filme de 
    Tim Burton  e Johnny Depp
    eles trabalham muito bem!!

  • Anamaria R.

    Senti pena dos ótimos atores trabalhando nesse filme. Tim Burton decepcionou. Enredo muito fraco e o que era para ser uma comédia, se tornou algo muito bobo e sem risos dentro da sala de cinema.

  • Larissaads

    Engraçado, até que é legalzinho ^^'

  • Lorena

    Vi os comentários abaixo e já fui assistir o filme meio com pouca esperança, mas felizmente achei o filme sensacional. Acho que o problema está em terem classificado como uma comédia, eu diria que é mais um drama-cômico, grandes artistas para uma produção ímpar, com uma salva de palmas para o desfecho da "relação" entre Barnabas e Angelique, a atuação de Johnny Depp e Eva Green e os efeitos especiais da cena. Amei.

  • Den?s V.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk filme bom, trilha sonora boa.. fiel aos anos 70 (década do cenário do filme), Tim Burton como sempre trazendo suas "brizas" com mistura de comédia e um ar sombrio.
    Me arrependo por não ter ido assistir o filme no cinema!

  • Mere B.

     Amo,amo,amo, amo, amo..todos os filmes com o Johnny Depp..

  • Liv E.

    Fraco esse filme... esperava mais desse filme e de Alice No País das Maravilhas também...

  • Gabriel R.

    Muito bom esse filme, ri muito kkkkk Johnny Depp sempre me surpreendendo, ainda mais com a participação do Alice Cooper um ótimo cantor, filme muito engraçado!!

  • Andrezza ..

    Muito legal,esse humor sombrio.Mas Johnny Depp não surpreendeu em nada,parece uma mistura de Michael Jackson e todos os personagens que ele fez com Tim Burton.Ele tem que tomar cuidado para não ficar caricato.

  • Werberte F.

    Vou te contar a pessoa não rir de algumas cenas desse filme deve realmente ter pouco senso de humor gostei muito desse filme principalmente quando o Jonhy Deep é libertado e sai sem saber em que época está e não entendendo muito bem os hábitos do começo dos anos 70" sem falar da cena do "M" do McDonald's que ele julga ser do Mefistofeles é Hilário de +, quem não se lembra dos velhos tempos da comédia pastelão americana de Corra que a Polícia vem aí, vai sentir um poço nesse filma a forma como ele aborda alguns temas e por isso recomendo o filme...

  • Senhor Ivan!

    Inúmeras vezes,vimos direções de Tim Burton,que aborda temas esquisitos,acompanhado de uma fotografia sombria.Sombras da Noite,era pra ser um dos melhores dele,mas a impaciência tomou de conta do filme.Apesar de ser bastante atrativo,no quesito entreter,o filme tem seus momentos ruins.Já vimos também inúmeros personagens de Johnny Depp,bem esquisitos também,mas esse passou dos limites,bem surreal,mas ao mesmo tempo engraçado.E tem também um bom elenco de apoio,destaque para Eva Green,Michelle Pfeifer,Helena Bonham Carter e a llinda e branquela Chloe Grace Moretz.Me recordei o tempo em que eu assistia Família Addams.

Mostrar comentários