Minha conta
    Sharp Objects: Amy Adams e tom obscuro evidenciam impacto da nova minissérie da HBO (Primeiras impressões)

    Baseada em livro homônimo de Gillian Flynn (Garota Exemplar), produção é dirigida por Jean-Marc Vallée (Big Little Lies) e estreia em 08 de julho.

    Após o sucesso estrondoso de Big Little Lies em 2017 e a season finale da segunda temporada de Westworld no último domingo (24 de junho), a HBO se encontra com um espaço na programação que faz toda a diferença para os amantes de séries: os domingos à noite. A rede de televisão sabe escolher muito bem seus projetos e, após tantos acertos, era imprescindível uma aposta inédita e ao mesmo tempo chamativa. Sharp Objects (Objetos Cortantes), além de ser adaptada de um livro (assim como Big Little Lies), possui todos os elementos necessários para prender a atenção do público no horário mais atraente de sua grade. O AdoroCinema conferiu os dois primeiros episódios da minissérie e conta aqui suas primeiras impressões.

    A minissérie acompanha, em oito episódios, a volta da jornalista Camille Preaker (Amy Adams, que também atua como produtora-executiva) à sua cidade natal para cobrir os assassinatos de duas jovens e investigar se eles possuem alguma relação. O retorno da protagonista, no entanto, desencadeia uma série de dramas e lutas pessoais com relação à sua própria família e um passado que evita revisitar.

    Como adaptação literária, a produção acerta de modo primoroso. Desde a escalação do elenco até a direção de Jean-Marc Vallée (que comanda todos os episódios) é possível ver a qualidade da produção. O roteiro dos primeiros episódios consegue dosar o drama de Camille e seu retorno forçado a Wind Gap com o drama da população conservadora da cidade, que em questão de um ano presenciou dois assassinatos brutais. Ao contrário do livro, em que é possível conhecer mais a fundo os inúmeros problemas da protagonista logo nas primeiras páginas, fica claro que a série busca resguardar o máximo de detalhes que for possível para manter o espectador ligado nas entrelinhas.

    Tal escolha se mostra ideal, pois é impossível tirar os olhos da tela quando Amy Adams está em cena. Mesmo em meio a ótimas adições no elenco como Patricia ClarksonChris Messina e Elizabeth Perkins, Adams se sobressai naturalmente e prova que sua carreira também pode ser brilhante na televisão. Ao mesclar o ar pessoal misterioso com seu instinto de repórter, ela poderia figurar facilmente entre os personagens mais intrigantes do ano.

    O suspense presente na protagonista também se estende a outros personagens, como a mãe de Camille, Adora (Patricia Clarkson). O desconforto entre mãe e filha é palpável em todas as cenas e se torna ainda mais incômodo quando o roteiro afiado se une ao trabalho de direção e de fotografia. Jean-Marc Vallée repete o excelente cuidado já visto em Big Little Lies e demarca alguns traços semelhantes entre as duas obras, mas sem transparecer que apenas replicou seus métodos de forma idêntica. Assim como no drama televisivo com Nicole Kidman, Sharp Objects impressiona pelos cortes secos entre cenas e pela harmonização de cores, que só complementam o clima inquietante. Todo detalhe importa e esta é mais uma série que deve ser vista atentamente.

    Objetos Cortantes tem tudo para ser uma das minisséries mais comentadas do segundo semestre de 2018. Intensa, sombria e sem receio de impactar pela crueza apresentada (não só com relação aos assassinatos), a história vai deixar seu público refletindo em como o passado pode atrapalhar em determinados momentos, mas como também pode acabar ajudando de maneiras inimagináveis.

    A estreia está marcada para o dia 08 de julho, às 22h, na HBO e HBO Go.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top