Meu AdoroCinema
    Wanda Sykes deixa a equipe de Roseanne após comentários racistas da protagonista
    Por Taiani Mendes — 29 de mai. de 2018 às 14:38

    Roseanne Barr chamou a advogada de "cria da Irmandade Muçulmana com Planeta dos Macacos".

    Roseanne Barr, criadora e estrela da sitcom Roseanne, atacou novamente. Volta e meia envolvida em polêmicas nas redes sociais por seu apoio incondicional ao presidente Donald Trump e ofensas aos democratas, a atriz postou um tweet na manhã de hoje chamando Valerie Jarrett, assessora de Barack Obama durante oito anos, de "filha da Irmandade Muçulmana com Planeta dos Macacos". Imediatamente criticada e acusada de racismo, a atriz rebateu afirmando que "muçulmano não é raça", mas por fim acabou apagando a publicação, pedindo desculpas e anunciando seu afastamento do Twitter:



    "Peço desculpas a Valerie Jarrett e todos os americanos. Estou realmente arrependida de ter feito uma piada ruim sobre sua política e visual. Deveria ter pensado melhor. Desculpas - foi uma piada de mau gosto."

    O mea culpa, no entanto, não foi o bastante para Wanda Sykes, que anunciou que não voltará a trabalhar na série. A comediante, conhecida por Black-ish e As Novas Aventuras de Christine, constava nos créditos do reboot como consultora de produção.

    Exibida originalmente entre 1988 e 1997, a série Roseanne foi retomada com sucesso este ano pela ABC, rendendo alta audiência. Uma nova temporada já foi confirmada e um dos últimos episódios irônicamente mostrava a protagonista lidando com vizinhos muçulmanos.

    Internautas no momento espalham a hashtag #FireRoseanne e atores como Don CheadlePatricia ArquetteJulianne Moore estão entre os apoiadores.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Ronaldo Cesar
      Vixe, se Roseanne Barr queria ofender a Valerie Jarret por ser do partido Democrata tudo bem (Tipo xingar alguém de Coxinha, Mortadela e Bolsominion aqui no Brasil), mas descer tão baixo assim para apelar ao racismo é vergonhoso e triste... Pena que nos EUA não existe prisão para comentários racistas, senão essa mulher ia apodrecer no xilindró, já que as Penas nos EUA não são tão leves como aqui no Brasil, ela iria pegar uns 30 anos, se lá comentários Racistas fossem crime. :(
    Mostrar comentários
    Back to Top