Minha conta
    Coletiva "X-Men Origens: Wolverine" - Hugh Jackman
    Por Francisco Russo — 11 de mai. de 2009 às 00:00

    Wolverine no Brasil

    por Roberto Cunha & Francisco Russo Fomos conferir a coletiva de imprensa de X-Men Origens: Wolverine no Copacabana Palace e, para variar, alguns problemas se repetiram. Fora o fato de que foi marcada de maneira relâmpago, o que impressionou foi a distribuição de credenciais sem identificação na hora do evento. E esse descontrole se repetiu durante a sessão de fotos no Forte Copacabana quando, do nada, surgiram fãs gritando e atrapalhando o trabalho dos profissionais ali presentes. Mas o principal ponto negativo continua sendo o critério do mediador da 20th Century Fox que, mais uma vez, abriu o microfone para veículos famosos, não necessariamente engajados com o cinema. Contudo, vale a ressalva que, desta vez, ele não selecionou apenas os "globais" e deu espaço para sites e veículos menores. A VISITA Como de praxe, Hugh Jackman elogiou o Brasil e fez questão de dizer que não era pelo fato de estar divulgando o filme. Para ele, "vir ao Brasil é sempre bom, sendo ator ou não". E elogiou as camisas temáticas que viu por aqui. WOLVERINE & RONALDO O encontro do astro com o fenômeno foi amplamente divulgado e também a deixa para o apresentador do CQC soltar uma pergunta sacana. Embora fora do contexto cinema, perguntou sobre a experiência de um "X-Men" encontrar um cara que gosta de "ex-Man", numa clara alusão ao episódio do jogador de futebol com os travestis, no Rio de Janeiro. WOLVERINE USA x WOLVERINE BRASIL Já que estava com a palavra e seu objetivo não era falar de cinema, o humorista aproveitou para fazer outra brincadeira. Dessa vez, ofereceu um disco do Nasi (ex cantor do Ira!) que usava costeletas parecidas com as de Wolverine. Jackman recebeu, olhou, brincou sobre a beleza de ambos e disse ter medo de Nasi. GARRAS Questionado sobre quais seriam suas garras na vida real, Jackman mais uma vez respondeu com bom humor. Ressaltou que tinha unhas curtas e que era uma pessoa calma, ao contrário de Nasi. O "Wolverine brasileiro" foi citação recorrente ao longo da entrevista. O PÂNICO COM WOLVERINE A musa do programa "Pânico na TV", Sabrina Sato, esteve presente com "piadas" sobre sua dificuldade com a língua inglesa. Devido a uma entrevista anterior concedida por Jackman onde o tema comida veio à tona, a apresentadora perguntou se ele gostaria que ela preparasse algo especial para ele em sua passagem por aqui. Percebendo o duplo sentido, Jackman devolveu o flerte. Cinema? Fica para depois. NOVOS FILMES Uma sequência ainda é tratada com cuidados, mas deve seguir a linha apontada pela cena extra pós-créditos: uma história de samurai com Wolverine. Vale lembrar que no mesmo dia a Fox anunciou a produção de um filme-solo de Deadpool - noticiada pelo Adoro Cinema (aqui) antes mesmo do início da entrevista. PIRATARIA Obviamente lamentou o vazamento, mas disse acreditar na força de assistir ao filme nas salas de cinema. Lembrou que o apelo da tela grande será sempre muito maior do que os maiores monitores de tv ou computador. O retrospecto nas bilheterias é um incentivo. MEDO DO PERSONAGEM Sobre o possível receio de ficar refém do personagem, Jackman foi objetivo. Soltou um sonoro não, frisando que detesta ter medo desde pequeno e que combatia esse sentimento, pulando de montanhas para enfrentar seus fantasmas. MUSICAL Os dotes de dançarino e cantor exibidos na cerimônia de entrega do Oscar em breve chegarão às telas de cinema. "Carrossel", de 1953, ganhará nova versão produzida e estrelada por Jackman. Sua parceira deve ser Anne Hathaway, com quem fez par na abertura da cerimônia. Uma pista de que em Hollywood, nada acontece por acaso. O PRODUTOR HUGH JACKMAN A opção, segundo ele, aconteceu naturalmente devido ao seu grande envolvimento com o personagem Wolverine. Afirmou o interesse por fazer cada vez mais e que tem aprendido muito. Outro ponto destacado foi a parceria existente com a Fox que o apóia plenamente nos projetos. A BARBA E A FAMÍLIA Apesar de galanteador com as mulheres, o ator citou diversas vezes sua esposa durante a entrevista. Disse, inclusive, que ela o obrigou a tirar a barba após o término do filme, algo que ele mesmo já não aguentava mais nos períodos de folga. Ao término da entrevista disse que voltava no mesmo dia para Nova York, pois sua família o esperava para participar de um evento beneficente. O QUE PERGUNTARÍAMOS "Quais foram os motivos para a escolha dos mutantes coadjuvantes e como estavam os planos para filmes destes personagens?" Esta era a pergunta que tínhamos preparado, também devido ao anúncio do filme solo de Deadpool (aqui) no mesmo dia. Estávamos na primeira fileira, pedimos a vez, falamos com o tradutor oficial do evento... e nada. Fizemos nossa parte. O resultado você conferiu acima e no blog. CRÍTICAS X-Men Origens: Wolverine Uma história mutante dos mutantes X-Men Origens: Wolverine Ação sem Preconceito

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top