Minha conta
    Oscar 2018: As maiores gafes do prêmio da Academia

    As edições do Oscar que quase se comparam ao anúncio de La La Land no lugar de Moonlight.

    Oscar 1940 - O furo do LA Times

    O Los Angeles Times se orgulha muito de sua importância na história do Academy Awards. Porém, essa mesma história mostra que o jornal não atua exatamente em favor da AMPAS, haja vista a patifaria cometida às vésperas do Oscar 1940: o LA Times simplesmente publicos a lista de vencedores a algumas horas da cerimônia de premiação, assim vendendo milhares de exemplares. Ao menos, a partir de então, a Academia passou a adotar critétios mais rigorosos, como o envelope lacrado e o segredo quase absoluto sobre os vencedores do Oscar.

    Oscar 1944 - A decepção de Bogart

    Humphrey Bogart foi um dos melhores atores de seu tempo, e era favorito à estatueta em 1943. Ele concorria como o dúbio Rick Blaine de Casablanca, um dos melhores romances de todos os tempos, tendo vencido os três maiores prêmios da noite: filme, direção e roteiro. Com isso, ele se levantou de seu assento e foi receber seu prêmio antes mesmo do apresentador anunciar o ganhador: Paul Lukas, pelo drama Horas de Tormenta. Coube a Bogart ter jogo de cintura e aplaudir o vencedor. Mesmo assim, estático, ele era o único a fazer isso em pé, tendo a plateia inteira permanecido sentada.

    Oscar 1952 - O tombo de Winters

    Shelley Winters não se lembrava do mico de Humphrey Bogart, e assim proporcionou um dos momentos mais engraçados da história do Oscar. Assim como o astro de Casablanca, a atriz de Um Lugar ao Sol levantou e correu ao palco para receber seu prêmio, até que o apresentador Ronald Colman anunciou Vivien Leigh, de Uma Rua Chamada Pecado, como vencedora. Percebendo a situação e antecipando a situação constrangedora, o ator Vittorio Gasman puxou o vestido de Shelley — então sua mulher. Em vez de impedir que todos notassem a situação, Gasman puxou a esposa forte demais e ambos caíram no chão.

    Oscar 1964 - O pai de Moonlight x La La Land

    Vamos combinar? A treta Moonlight x La La Land foi maravilhosa. Mas vamos combinar outra coisa: nem foi original. 53 anos antes aconteceria a primeira entrega errada de envelope, e justo com o irreverente Sammy Davis Jr. O músico anunciaria o compositor John Addison como vencedor pelo filme Tom Jones, quando na verdade ele pertencia a outra categoria. Uma vez avisado sobre o engano, e que o verdadeiro vencedor na categoria trilha sonora era Andre Previn por Irma La Douce, Davis Jr. diria, em tom de ameaça — e ironia: "Deixem só a NAACP saber disso". Brilhante!

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Back to Top