Minha conta
    Corpo Elétrico: Diretor Marcelo Caetano explica como fazer um filme de temática LGBT para além dos estereótipos (Exclusivo)
    Por Bruno Carmelo — 18 de ago. de 2017 às 09:50

    O retrato da juventude na cidade de São Paulo.

    Elias (Kelner Macêdo) se mudou da Paraíba para São Paulo. Ele trabalha numa fábrica de roupas no centro da cidade, enquanto passa as noites com os amigos ou outros homens com quem se relaciona. O jovem não tem muitas perspectivas de futuro, mas aproveita os seus dias ao máximo.

    Essa é a premissa simples e interessante do filme brasileiro Corpo Elétrico, dirigido por Marcelo Caetano. O projeto tem despertado elogios da crítica pelo retrato LGBT de classe média distante dos estereótipos e julgamentos de valor.

    O AdoroCinema conversou com o cineasta sobre o realismo no cinema, o rótulo "cinema gay" e a função da história otimista em nossos tempos "bastante sombrios", como diz Caetano.

    Corpo Elétrico já está em cartaz. Leia a nossa crítica.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top