Minha conta
    Os heróis de Hollywood ainda são homens, brancos e heterossexuais, segundo relatório de 2016
    Por Bruno Carmelo — 2 de ago. de 2017 às 16:40

    A representatividade de negros, asiáticos e pessoas LGBT é mínima.

    Todos os anos, o instituto MDSC (Media, Diversity and Social Change), associado à Universidade da Califórnia do Sul, analisa a representação de minorias nos cinemas. Isso inclui a presença de mulheres, negros, indivíduos LGBT e pessoas com deficiências entre os personagens.

    O ano de 2016 mostrou que estes grupos continuam minoritários nas histórias dos grandes estúdios: entre os 100 filmes de maior bilheteria, apenas 29% dos personagens não eram brancos, e somente 31% eram mulheres com diálogos - ou seja, descontando figurantes e coadjuvantes de menor importância.

    Entre a representação LGBT, os resultados são ainda piores: apenas 1% dos personagens com falas eram assumidamente gays, lésbicas ou transexuais. Um único filme tinha gays como protagonistas: Moonlight - Sob a Luz do Luar, vencedor do Oscar de melhor filme. Já os deficientes foram representados em 2% dos personagens com falas.

    Nas equipes técnicas, a indústria norte-americana se revela tão desigual quanto suas histórias: 2016 trouxe apenas 4% de diretoras mulheres. Ampliando a categoria para roteiristas e produtores, o número aumenta, mas pouco: 17% de mulheres trabalharam nos principais setores criativos. Não é de se espantar que tantos homens brancos estejam desenvolvendo histórias sobre homens brancos.

    A pesquisadora Stacy L. Smith, líder do projeto, tira conclusões graves: "É impossível olhar para esses dados sem concluir que muitos dos protestos fora das telas sobre a representatividade nos últimos anos não têm obtido sucesso. Isso significa que a omissão de diferentes grupos ainda é aceitável para alguns - basta assistir aos filmes para ter uma visão dos Estados Unidos que não existe mais. Os filmes traçam um retrato alarmante de exclusão".

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top