Minha conta
    Oscar 2016: Academia de Artes e Ciências Cinematográficas promete dobrar o número de mulheres e minorias em seu quadro
    Por Taiani Mendes — 25 de jan. de 2016 às 18:04

    Até 2020. É a meta.

    Com ameaça de boicote e #OscarSoWhite cada vez mais forte, a Academia não quis perder tempo e anunciou na última sexta mudanças nas regras de admissão, visando minimizar o problema da falta de minorias votantes no Oscar. "A Academia não vai esperar a movimentação da indústria. As novas medidas terão impacto imediato e iniciarão o processo de mudança da composição do nosso quadro de membros", comunicou a presidente Cheryl Boone Isaacs em declaração oficial. E que mudanças são essas? Os diretores da entidade decidiram em reunião que os membros novos poderão votar no Oscar por dez anos e, ao fim desse período, a atividade do profissional na indústria será avaliada. Caso ele permaneça na ativa, terá mais dez anos de voto e, depois de outra avaliação, mais dez. Só então ele receberá a carteirinha de membro perpétuo. Os indicados e vencedores não terão de passar por esse processo. Os membros considerados inativos se tornarão eméritos, sem direito a voto no Academy Awards. Paralelamente, uma campanha global de recrutamento irá convidar expoentes cinematográficos de todas as partes do mundo para a Academia. As regras já valerão para o Oscar 2017. Atualmente a organização tem cerca de seis mil membros, 94% brancos, 76% homens.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top