Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Scarface
    Média
    4,6
    1570 notas e 69 críticas
    distribuição de 69 críticas por nota
    40 críticas
    14 críticas
    8 críticas
    6 críticas
    1 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Scarface ?

    69 críticas do leitor

    Marize F.
    Marize F.

    Segui-los 12 seguidores Ler as 5 críticas deles

    5,0
    Enviada em 19 de junho de 2013
    Al Pacino foi brilhante! Com o passar do filme a gente vê a degradação do personagem até pelo semblante, pelo olhar... Tony Montana me conquistou desde o primeiro momento, e mesmo quando ele está cego em sua ganância e passa a se destruir, não consegui deixar de gostar dele nem por um segundo! Muitos diálogos inteligentes e emocionantes durante a construção do seu império, que dá margem a diversas interpretações, inclusive nos levar a questionar todo este sistema que ostenta o luxo, até que ponto a ambição vale a pena, o que pode ser necessário para realizar todos os seus sonhos: de não ter medo a corromper seus princípios. Qual o seu limite para se tornar o dono do mundo? E dentre tantas cenas espetaculares, uma das minhas preferidas é o momento reflexão de Tony, quando ele começa dizendo: "É isto, então? Vale a pena? Me matei por isto?", a cada fala dele, eu ficava cada vez mais vidrada no filme: "Tem o ventre tão poluído que não pode me dar filhos". Fala sério, eu sofri junto com ele, de alguma forma parecia que eu já conhecia todos os detalhes da sua vida inteira, senti uma nostalgia, raiva, angústia, desgosto. Ótima atuação de Michelle Pfeiffer também: "Meu melhor amigo é Nick, o porco! E isso é vida?", para culminar na fala de Tony que fechou a cena com chave de ouro: "Vocês são todos uns idiotas! Sabem por quê? Não têm ganas de ser o que querem. Precisam de gente como eu para apontar o dedo, para dizer: 'O bandido é ele'. E vocês o que são? Bons? Não são bons. Sabem se esconder. E mentir. Eu não tenho esse problema. Sempre digo a verdade, mesmo quando minto.". Sem palavras pra descrever essa obra-prima. Sensacional demais. Um dos meus filmes preferidos. Nota 10.
    anônimo
    Um visitante
    3,0
    Enviada em 1 de abril de 2020
    Stone, Pacino, e De Palma devem mesmo achar que ''Dinheiro não é tudo'' é uma mensagem original e profunda...Scarface é frequentemente lembrado como um dos filmes gângster essenciais. Embora a saga The Godfather seja a mais reverenciada do gênero, este aqui é o filme cujas frases e cenas são o sonho de qualquer jovem adulto com um conhecimento limitado de cinema. Mas depois de 30 e poucos anos, o longa que demorou tanto para ser legal ironicamente agora parece tão somente um filme de ação qualquer dos Anos 80, com cenas de tiroteio bem feitas. Só. De resto, é apenas aquele show de indulgência sem fim que marcou a sua época, com muito estilo e pouca substância. Scarface foi o divisor de águas para muitas carreiras. Para Al Pacino, seu desempenho aqui pode ser visto como o início de sua escalada over-the-top, que lenta, mas seguramente começou a corroer sua técnica, o transformando em nada mais que uma caricatura de si mesmo, uma versão exagerada e menos inspirada do grande ator que foi um dia. Para Oliver Stone, foi o filme que o revelou, tendo lançado poucos anos depois uma sequencia de sucessos, lhe dando alguns Oscars. E para Brian De Palma, marca o ponto em que seu amor pela extravagância visual começou a dominar seu senso de disciplina narrativa. Seus trabalhos posteriores viriam a ser, no mínimo, irregulares. Ao refazer o clássico de 1932 dirigido pelo icônico Howard Hawks, Stone e De Palma mudam o cenário de Chicago para Flórida e mudam o crime central, de contrabando de álcool para tráfico de cocaína. O original foi inspirado pelo gângster da vida real Al Capone, que teria gostado tanto do filme que mandou encomendar várias cópias. Enquanto os dois filmes apresentam um personagem que sobe ao topo se livrando dos seus antigos chefes, esta versão adiciona a reviravolta de ter um protagonista estrangeiro. Ao fazer de Tony Montana um imigrante cubano, os realizadores tentaram fazer algum tipo de sátira do sonho americano, mas tudo é feito de forma óbvia e clichê demais. Nós não conseguimos nos importar com a trama nem com o personagem principal, pois seu arco pessoal é pobremente apresentado e desenvolvido, além de soar manipulativo, como se pelo fato de Montana ''se importar'' com a mãe e a irmã apagasse o fato dele ser um traficante assassino. E o final é particularmente cínico, pois tenta nos fazer simpatizar com ele pelo fato dele não ter conseguido matar uma mulher e uma criança...Ora, então todas as outras centenas de pessoas que tiveram suas vidas destruídas pelas drogas que ele trafica não importam né? É um filme que carece de figuras empáticas e originalidade. Na verdade, Scarface é um filme que parece muito mais interessado em mostrar banhos de sangue da melhor forma do que construir um comentário social minimamente interessante, ou apresentar cenas com repercussões e significados mais amplos. Ninguém pode negar o brilhantismo de De Palma em termos de cenografia e coreografia, mas uma vez que você para de admirar uma determinada cena ou construção deliciosamente caricata e ridícula do Montana de Pacino, não há muito mais para justificar a duração do filme. Em suma, é um filme com a mesma profundidade de uma colher de chá. Scarface para pode parecer um filme luxuoso e excessivo, mas a verdade é que ele não tem nada a dizer além do velho sermão ''O crime não compensa''. O problema é que demoramos muito para saber quem de fato é Tony, e, quando conhecemos, não gostamos. Aqui, todas as caixinhas de um conto criminal clichê são checadas : Ascensão rápida? Checado. Deslumbre e ostentação com o dinheiro? Checado. Que do pedestal pela ambição e arrogância? Checado. Se o roteiro fosse menos previsível e os 20 minutos finais fossem mais bem dirigidos, esse poderia ter sido um excelente drama criminal. Você pode argumentar que este é o filme que influenciou diretamente Tarantino no começo de carreira, mas pobre é a obra que sobrevive apenas do que fizeram dela e não do que ela fez. Scarface é um épico inchado e indulgente que te deixa encantado, confuso, e exausto ao mesmo tempo. Para apreciá-lo, é necessário suspender uma grande quantidade de pensamento crítico, tratar como uma experiência sensorial, e não como um desafio intelectual. Apesar de todas as suas falhas e excessos, ainda é uma boa pedida para uma sessão descompromissada com os amigos.
    Dead Lucas
    Dead Lucas

    Segui-los 65 seguidores Ler as 147 críticas deles

    2,5
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    "Say Hello to My Little Friend"!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Pfeiffer está um tesão! Não acredito que esse filme é renegado pelos E.U.A., e não recebeu nenhuma indicação ao Oscar! de Palma e Pacino estão soberbos!!!    
    anônimo
    Um visitante
    4,5
    Enviada em 28 de novembro de 2016
    O começo já nos explica o que vamos acompanhar."Scarface"começa descrevendo a situação de Tony Montana dos EUA até Cuba.Mas,o personagem de Al Pacino não é tão valorizado assim no começo.Tudo começa do zero,com muitas apresentações de desprezo,tentando achar seu espaço.Tecnicamente,"Scarface" se junta aos melhores filmes de gângster's que o cinema já produziu.Ainda nos apresenta a bela Michelle Pfeifer e Steven Bauer. Pacino está fantástico,me tornei fã desse filme pela competente atuação da lenda do cinema.A cena final ficou imortalizada como uma das melhores já produzidas. -Filme assistido em 20 de Novembro de 2015 -Nota 8/10
    anônimo
    Um visitante
    3,0
    Enviada em 9 de fevereiro de 2021
    Stone, Pacino, e De Palma devem mesmo achar que ''Dinheiro não é tudo'' é uma mensagem original e profunda...Scarface é frequentemente lembrado como um dos filmes gângster essenciais. Embora a saga The Godfather seja a mais reverenciada do gênero, este aqui é o filme cujas frases e cenas são o sonho de qualquer jovem adulto com um conhecimento limitado de cinema. Mas depois de 30 e poucos anos, o longa que demorou tanto para ser legal ironicamente agora parece tão somente um filme de ação qualquer dos Anos 80, com cenas de tiroteio bem feitas. Só. De resto, é apenas aquele show de indulgência sem fim que marcou a sua época, com muito estilo e pouca substância. Scarface foi o divisor de águas para muitas carreiras. Para Al Pacino, seu desempenho aqui pode ser visto como o início de sua escalada over-the-top, que lenta, mas seguramente começou a corroer sua técnica, o transformando em nada mais que uma caricatura de si mesmo, uma versão exagerada e menos inspirada do grande ator que foi um dia. Para Oliver Stone, foi o filme que o revelou, tendo lançado poucos anos depois uma sequencia de sucessos, lhe dando alguns Oscars. E para Brian De Palma, marca o ponto em que seu amor pela extravagância visual começou a dominar seu senso de disciplina narrativa. Seus trabalhos posteriores viriam a ser, no mínimo, irregulares. Ao refazer o clássico de 1932 dirigido pelo icônico Howard Hawks, Stone e De Palma mudam o cenário de Chicago para Flórida e mudam o crime central, de contrabando de álcool para tráfico de cocaína. O original foi inspirado pelo gângster da vida real Al Capone, que teria gostado tanto do filme que mandou encomendar várias cópias. Enquanto os dois filmes apresentam um personagem que sobe ao topo se livrando dos seus antigos chefes, esta versão adiciona a reviravolta de ter um protagonista estrangeiro. Ao fazer de Tony Montana um imigrante cubano, os realizadores tentaram fazer algum tipo de sátira do sonho americano, mas tudo é feito de forma óbvia e clichê demais. Nós não conseguimos nos importar com a trama nem com o personagem principal, pois seu arco pessoal é pobremente apresentado e desenvolvido, além de soar manipulativo, como se o fato de Montana ''se importar'' com a mãe e a irmã apagasse o fato dele ser um traficante assassino. E o final é particularmente cínico, pois tenta nos fazer simpatizar com ele pelo fato dele não ter conseguido matar uma mulher e uma criança...Ora, então todas as outras centenas de pessoas que tiveram suas vidas destruídas pelas drogas que ele trafica não importam né? É um filme que carece de figuras empáticas e originalidade. Na verdade, Scarface é um filme que parece muito mais interessado em mostrar banhos de sangue da melhor forma do que construir um comentário social minimamente interessante, ou apresentar cenas com repercussões e significados mais amplos. Ninguém pode negar o brilhantismo de De Palma em termos de cenografia e coreografia, mas uma vez que você para de admirar uma determinada cena ou construção deliciosamente caricata e ridícula do Montana de Pacino, não há muito mais para justificar a duração do filme. Em suma, é um filme com a mesma profundidade de uma colher de chá. Scarface pode parecer um filme luxuoso e excessivo, mas a verdade é que ele não tem nada a dizer além do velho sermão ''O crime não compensa''. O problema é que demoramos muito para saber quem de fato é Tony, e, quando conhecemos, não gostamos. Aqui, todas as caixinhas de um conto criminal clichê são checadas : Ascensão rápida? Checado. Deslumbre e ostentação com o dinheiro? Checado. Queda do pedestal pela ambição e arrogância? Checado. Se o roteiro fosse menos previsível e os 20 minutos finais fossem mais bem dirigidos, esse poderia ter sido um excelente drama criminal. Você pode argumentar que este é o filme que influenciou diretamente Tarantino no começo de carreira, mas pobre é a obra que sobrevive apenas do que fizeram dela e não do que ela fez. Scarface é um épico inchado e indulgente que te deixa encantado, confuso, e exausto ao mesmo tempo. Para apreciá-lo, é necessário suspender uma grande quantidade de pensamento crítico, tratar como uma experiência sensorial, e não como um desafio intelectual. Apesar de todas as suas falhas e excessos, ainda é uma boa pedida para uma sessão descompromissada com os amigos.
    Felipe F.
    Felipe F.

    Segui-los 1744 seguidores Ler as 539 críticas deles

    5,0
    Enviada em 29 de setembro de 2018
    Filmaço, atuação brilhante de Al Pacino, trilha sonora espetacular, cenas de ação ótimas e um roteiro afiadissimo, filmaço, talvez um dos melhores do gênero já feito.
    Wallace F
    Wallace F

    Segui-los 30 seguidores Ler as 23 críticas deles

    4,5
    Enviada em 10 de julho de 2020
    Amigo, tem Al Pacino e é um clássico. Isso já basta! Ação, porrada, tiro, drogas, tiro, máfia, tiros, lealdade, tiros... De tirar o fôlego. Trilha sonora sensacional.
    Rodrigo R.
    Rodrigo R.

    Segui-los 17 seguidores Ler as 73 críticas deles

    4,0
    Enviada em 6 de junho de 2018
    Demorei bastante para assistir esse tão aclamado filme e não me decepcionei. Interpretação impecável do Pacino, elenco maravilhoso, ótima produção, enfim tudo muito bem feito. Nos faz refletir até que ponto vale a pena a ganância pelo dinheiro e poder.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 36716 seguidores Ler as 1 841 críticas deles

    3,5
    Enviada em 7 de abril de 2015
    Um bom filme do super ator Al Pacino e da deslumbrante Michele Pheifer! um filme rodando em Cuba e nos Estados Unidos mostrando o lado negro dos países envolvidos! um roteiro bem elaborado e descolado! Recomendo Para os fãs do genêro!!!
    Sidney  M.
    Sidney M.

    Segui-los 18105 seguidores Ler as 1 082 críticas deles

    3,5
    Enviada em 1 de dezembro de 2014
    Confesso que não achei um filme excepcional como muitos dizem. Mas sem dúvida é um grande filme, que merece ser visto, só pela atuação de Al Pacino que está "monstruoso".
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top