Minha conta
    Noivo Neurótico, Noiva Nervosa
    Média
    4,1
    522 notas
    Você assistiu Noivo Neurótico, Noiva Nervosa ?

    17 Críticas do usuário

    5
    8 críticas
    4
    5 críticas
    3
    3 críticas
    2
    0 crítica
    1
    1 crítica
    0
    0 crítica
    Paulo Roberto S
    Paulo Roberto S

    Seguir usuário 2 seguidores Ler as 20 críticas

    5,0
    Enviada em 8 de julho de 2022
    Para mim de longe o melhor filme de Woody Allen. Assisti este filme quando ainda morava em Porto Alegre, minha cidade de criação - hoje vivo no Rio há mil anos, no ano de 1978 - abril de 1978, então com 22 anos. E na época adorei o filme. E realmente Diane Keaton está maravilhosa em cena, com uma química perfeita com Allen, o filme é bem anos 70, despojado e conta a história do relacionamento de ambos, com muitos cortes de cenas, flashbacks do passado, e sem um final feliz. Fiquei triste com a cena final em que os dois se despedem e ela vai embora. Mas Annie Hall a personagem central do filme é Diane Keaton que é realmente a alma do filme, musa de Allen na época, Diane neste tempo, fez outro filme memorável, forte e impactante, como ¨Looking for Mrs. Goodbar¨. Hoje em dia, em um Brasil totalmente destroçado economicamente e decadente, dá uma saudade que dói daquela época. Hoje em dia sequer temos mais filmes, pura arte, como estes. Felicidade a todos.
    Mateus Olivotti
    Mateus Olivotti

    Seguir usuário 3 seguidores Ler as 36 críticas

    5,0
    Enviada em 4 de novembro de 2020
    Annie Hall é uma comédia romântica dirigida por Woody Allen e lançada em 1977.

    O filme conta a história do romance entre Alvy Singer, um humorista neurótico que faz terapia a quinze anos e Annie Hall, uma cantora em início de carreira e que tem uma personalidade forte e bem diferente da de Alvy.

    Uma das coisas mais divertidas do filme é a quebra da quarta parede, isso acontece com uma certa frequência no longa e todas as vezes são muito engraçadas(a cena da fila para o cinema é ótima).
    A química entre Woody Allen e Diane Keaton é ótima e ajuda ainda mais excelente roteiro também escrito por Allen, a claro, um dos maiores destaques do longa é a atuação de Diane Keaton, que na época até ganhou um Oscar pelo seu papel no filme.

    Confesso que nunca fui muito fã de comédia romântica, pois eu acho a maioria delas clichê e "mais do mesmo', porém, em Annie Hall Woody Allen inovou o gênero trazendo uma comédia realmente engraçada e um romance ótimo e muito bem construído. Ao invés de trazer o romance de uma maneira sempre "linda" e sem problemas algum (como acontece na maioria das comédias românticas) Allen traz uma história mais realista e até mesmo pessimista.

    Annie Hall é uma das melhores comédias românticas de todos os tempos e o segundo melhor filme da carreira de Woody Allen.
    Luana O.
    Luana O.

    Seguir usuário 334 seguidores Ler as 557 críticas

    5,0
    Enviada em 6 de fevereiro de 2020
    Amei o roteiro, a química entre Woody Allen e Diane Keaton é perfeita, é um filme delicioso de assitir. Pra mim um dos melhores filmes dele.
    Luciano L
    Luciano L

    Seguir usuário Ler as 4 críticas

    5,0
    Enviada em 4 de novembro de 2019
    Uma divertida e leve comedia sobre amores e desamores de nossa vida nesse que considero o melhor filme de Woody Allen. Nao se deixe enganar, apesar de ser uma divertida comedia, é um perfeito estudo de relacionamentos humanos e suas angustias. A fotografia de uma NY suja, cinza e claustofica nos ajudam a entender melhor as duvidas dos personagens.
    cinetenisverde
    cinetenisverde

    Seguir usuário 23.557 seguidores Ler as 1.122 críticas

    5,0
    Enviada em 17 de janeiro de 2017
    Uma comédia romântica se faz pelos seus personagens, como eles interagem, o que fala, quais seus dramas, suas origens, seu crescimento e, principalmente, como se relacionam. Quanto mais reais mais eficiente se torna o filme. Portanto, quando Woody Allen realiza Annie Hall como uma homenagem a Diane Keaton e seu longo relacionamento juntos, a ênfase com que ele a coloca, e se coloca, em um processo de descobrir o que deu errado no romance entre eles é tão grande que a linguagem ultrapassa os limites dos diálogos e temos uma meta-exposição tão "Woody Allen", com a quebra da quarta parede e X outros artifícios, como visitas ao passado comentadas, e em contrapartida, uma participação tão "Diany Keaton" na leveza e naturalidade com que as histórias vão definindo essas duas pessoas, suas manias, suas neuroses e ambições, que a arte quebra sua quarta parede com a vida real e quando percebemos estamos assistindo a uma carta de amor entre um artista autêntico em suas discussões filosóficas sendo entregue publicamente para a pessoa com quem ele parece ter uma dívida de vida, e para quem parece estar pedindo desculpas por segurar seu enorme talento em sua mesquinharia e egocentrismo típicos desse judeu bem-humorado em seu próprio pessimismo.
    Bruno Maschi
    Bruno Maschi

    Seguir usuário 361 seguidores Ler as 215 críticas

    4,5
    Enviada em 24 de janeiro de 2016
    Um roteiro brilhante. Um dos meus romances favoritos. Engraçado, diferente, único. Os primeiros 30 minutos são fantásticos, infelizmente o longa vai perdendo a força com seus atos finais, mas não deixa de ser meu filme predileto de woody allen até o momento. By the way, que brilhante edição de filme.
    Lucas Alcântara
    Lucas Alcântara

    Seguir usuário 11 seguidores Ler as 49 críticas

    4,0
    Enviada em 6 de janeiro de 2016
    Dirigido e estrelado por Woody Allen, "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", inicialmente parece um filme despretensioso, descontraído e nada audacioso. Mas não se engane. Ao longo de apenas uma hora e trinta minutos a sua (ou a minha), opinião pode mudar facilmente.
    A narração do filme em off pelo personagem de Allen (Alvy) nos remete a algo bastante teatral, o que é agradável e ao mesmo tempo delicioso. Na trama, Alvy, um comediante, conhece Annie Hall, uma cantora, e a partir daí os dois começam a ter uma relação inicialmente saudável, mas que muda rapidamente de termo ao longo do longa.
    Em geral, é um ótimo romance bastante moderno que reflete acerca de qualquer relacionamento entre um casal, a dependência entre um homem e uma mulher presos ao suposto amor, que não se foca somente no romance dos protagonistas, mas se preocupa também em suas construções, formando personagens sólidos e adoráveis, uma história que mesmo sendo ficção, é bastante real.

    - Nota - 8/10 -
    Alvaro S.
    Alvaro S.

    Seguir usuário 1.913 seguidores Ler as 349 críticas

    4,0
    Enviada em 3 de dezembro de 2015
    Este é um dos mais famosos e premiados filmes do Woody Allen. Optei por usar na foto o título original.
    O charme das comédias do autor e diretor Woody Allen, estão na verborragia dos diálogos. Ele nunca opta pelo óbvio e escancarado. É sutil, inteligente, trabalhando a favor do intelecto da plateia. Por isso usam bastante uma definição para ele: “Ame ou odei-o”
    A história. Comediante divorciado (Allen), se encanta e se apaixona por uma aspirante a cantora (Diane Keaton). Keaton está encantadora em cena.
    O filme é uma crônica sobre relacionamentos, sem um final conto de fadas. Destaque para a química dos protagonistas.
    Curiosidade. Foi indicado para 5 Oscar. Ganhou 4, Melhor Filme, Direção, Atriz e Roteiro
    Outra Curiosidade. Aparece em 187º entre os 250 melhores filmes no site IMDB.
    Mais uma curiosidade. Este filme bateu no Oscar Star Wars na categoria Melhor Filme, tendo sido super criticado na época por sua vitória.
    Nota do público: 8.1 (IMDB)
    Nota dos críticos: 98%(Rotten Tomatoes)
    Bilheterias
    EUA - $38,2 milhões
    Acesse o blog 365filmesem365dias.com.br para ler sobre outros filmes.
    Anderson L.
    Anderson L.

    Seguir usuário 4 seguidores Ler as 5 críticas

    3,0
    Enviada em 13 de outubro de 2015
    O filme pode ser considerado uma comédia romântica, mas num conceito bem diferente do que se tem atualmente por comédias românticas. Primeiro porque a comédia não é tão engraçada, ou, sob outro ponto de vista, trata-se de um humor inteligente (às vezes até demais). Ainda assim é possível umas boas risadas no desenrolar dos fatos. O mais marcante da história, no entanto, não está nos risos, mas sim na bela história do casal Alvy Singer e Annie Hall. Um relacionamento que inicia “aberto”, tendo ele quase que como um controlador, termina com ele buscando ser “controlado” por ela. Os personagens de certa forma se misturam em suas qualidades e defeitos e ao final invertem-se em suas perspectivas sobre a necessidade de um relacionamento mais sério. Ao final, Woody brinda os telespectadores com mais uma “piada” sobre a necessidade que temos das pessoas, mesmo admitindo que vivemos num mundo caótico.
    Guilherme Duarte O.
    Guilherme Duarte O.

    Seguir usuário 1 seguidor Ler as 3 críticas

    4,0
    Enviada em 9 de agosto de 2015
    O filme traz um humor muito inteligente e perspicaz sem falar do desfecho nem um pouco tradicional se tratando de comédias românticas. Woody Allen traz para o filme um roteiro cheio de piadas profundas e até mesmo de humor negro sem perder a delicadeza e suavidade do roteiro .
    Anne Hall traz um conceito muito legal que é a quebra da 4 parede quando o personagem conversa com o espectador e isso serve para uma quebra total da tensão de alguns diálogos deixando o filme leve e engraçado.
    Em suma o filme traz muitas referencia e faz uma critica muito interessante de como funciona os relacionamentos atuais , pois é "nós precisamos dos ovos".
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top