Minha conta
    King Richard: Criando Campeãs
    Média
    4,2
    211 notas
    Você assistiu King Richard: Criando Campeãs ?

    20 Críticas do usuário

    5
    6 críticas
    4
    6 críticas
    3
    7 críticas
    2
    1 crítica
    1
    0 crítica
    0
    0 crítica
    Rodrigo Gomes
    Rodrigo Gomes

    Seguir usuário 4.500 seguidores Ler as 664 críticas

    5,0
    Enviada em 13 de dezembro de 2021
    Excelente longa. Muito bem estruturado e direto, trazendo esperança e fé naquilo que queremos. O mais importante é que se mantém a base familiar todo o tempo. Uma história de superação e persuasão.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Seguir usuário 46.110 seguidores Ler as 2.249 críticas

    4,5
    Enviada em 18 de fevereiro de 2022
    Will Smith nos proporciona sua melhor atuação e uma performance marcante que será sempre lembrada. Filme baseado em fatos reais nos trás a vida de um pai rígido e protetor que levou as irmãs Willams ao extremo estrelado do tênis. Indicado a melhor filme.
    Jackson A L
    Jackson A L

    Seguir usuário 6.799 seguidores Ler as 841 críticas

    4,0
    Enviada em 20 de fevereiro de 2022
    Um bom filme e forte candidato ao Oscar. Will Smith excelente atuação, assim como as meninas no papel de Venus e Serena. Apesar de muita romantização no papel de Richard, pois ele era muito severo com as meninas, no filme vemos o abuso retratado como forma de superação. O ideal mesmo seria um filme contado pela visão das tenistas, pois o pai, lógico, teve forte influência na profissionalização das atletas, mas ao mesmo tempo, demonstra que ele lutou e persistiu pelo sucesso das filhas buscando uma vida confortável financeiramente.
    Daniel N.
    Daniel N.

    Seguir usuário 5.977 seguidores Ler as 681 críticas

    5,0
    Enviada em 22 de janeiro de 2022
    Sem retificação. Que filme, que história, que atletas, que família... uma representatividade sem igual, incrível.
    Kamila A.
    Kamila A.

    Seguir usuário 5.969 seguidores Ler as 723 críticas

    3,5
    Enviada em 17 de janeiro de 2022
    Antes mesmo de suas filhas Venus e Serena Williams nascerem, Richard Williams teve uma visão e criou um plano para ser colocado em prática assim que elas nascessem. No planejamento de Richard, Venus se tornaria a primeira mulher negra norte-americana a ser a líder do ranking mundial de tênis, na era aberta; e Serena seria considerada a melhor jogadora de tênis de todos os tempos.

    O filme “King Richard: Criando Campeãs”, dirigido por Reinaldo Marcus Green, nos conta a história de Richard (interpretado por Will Smith), tendo como recorte temporal a execução do planejamento dele. Chama a atenção, na trajetória dele, além do seu foco e da sua determinação, o fato de que ele superou inúmeros obstáculos para fazer de suas filhas duas vencedoras - sejam eles relacionados à origem humilde da família, às questões raciais, ao fato de que Richard não tinha histórico e nem formação no tênis…

    A verdade é que, durante o filme, a figura de Richard não nos será simpática o tempo inteiro. É incômoda a sensação de um pai que impôs os seus sonhos às suas filhas. A segurança de Richard de que suas filhas cumprirão o propósito que ele designou a elas nos dá, também, uma sensação de arrogância e de prepotência, como se a crença dele fosse o suficiente. Quando a verdade era: não bastava o plano de Richard. Venus e Serena tinham que fazer a parte delas. E elas acreditaram no pai e desenvolveram o dom e a técnica necessárias para vencerem.

    Um dos maiores acertos de “King Richard: Criando Campeãs” foi colocar Will Smith para interpretar o papel principal. A imagem pública que temos do ator faz um contraponto importante com a impressão que temos de Richard durante o filme. Além disso, o roteiro escrito por Zach Baylin oferece um combo poderoso que reúne o sonho americano, com redenção, com superação, que deve levar Smith ao Oscar 2022 de Melhor Ator.

    Porém, como uma cinebiografia, “King Richard: Criando Campeãs” falha num ponto importante: não me senti próxima a Richard e nem chegando ao fim sabendo quem ele era. O filme foca no seu grande feito como pai, sem se aprofundar no ser por trás da façanha.
    Felipe F.
    Felipe F.

    Seguir usuário 2.524 seguidores Ler as 684 críticas

    4,0
    Enviada em 3 de fevereiro de 2022
    Filmes com uma boa história real sempre me pegam, envolvendo esporte então nem se fala. King Richard consegue ser um filme divertido e emocionante ao mesmo tempo, te traz sentimentos diferentes sobre o personagem central. O roteiro é muito bom e a atuação de Will Smith é ótima. Muito bom.
    Adriano Silva
    Adriano Silva

    Seguir usuário 1.164 seguidores Ler as 366 críticas

    4,5
    Enviada em 21 de janeiro de 2022
    King Richard: Criando Campeãs (King Richard)

    O longa dirigido por Reinaldo Marcus Green e roteirizado por Zach Baylin realmente nos impressiona pela audácia aplicada em nos surpreender, em nos contar uma história em que possivelmente todos (assim como eu) achavam que seria sobre a vida das duas maiores tenistas da história - Venus e Serena Williams. Até podemos considerar que sim, que o roteiro também abrange o início da vida de cada uma (até mais da Venus), mas o fato que realmente me ganhou e me surpreendeu, é exatamente o foco em nos entregar uma cinebiografia pela perspectiva do Richard Williams (o pai delas, que foi magistralmente interpretado por Will Smith).

    O roteiro de Zach Baylin nos confronta diretamente com a verdadeira fé, garra, força, motivação, ambição, determinação por parte do Richard, ao focar no treino das filhas usando seus métodos próprios para torná-las campeãs. Richard já havia traçado o seu plano em sua cabeça de tornar as suas filhas campeãs desde o início, ele sempre esteve focado nesse objetivo como pai, como treinador, como incentivador, enfrentando todas as suas dificuldades e principalmente com o objetivo de afastá-las das ruas, até por residirem em uma bairro pobre e violento. Richard sempre teve que conviver com o preconceito, com a desigualdade, com a indiferença, até por ter sido criado na época da segregação racial, dessa forma ele estava remando contra a maré ao dedicar a sua vida em tornar as suas duas filhas negras em futuras campeãs no tênis, consequentemente um esporte voltado para os brancos.

    Will Smith mais uma vez nos impressiona e nos impacta com mais uma bela atuação, assim como já havia feito em suas performances em "Beleza Oculta", "À Procura da Felicidade" e "Sete Vidas". Will Smith é um ator incrível, que usa uma versatilidade incrível em suas atuações, que consegue nos levar do riso ao choro em questões de segundos. Em 'King Richard' ele traz um personagem que era tido como um velho ranzinzo, rabugento, reclamão, chato, aquele mau humor imposto pela vida, que lhe obrigava a criar aquela casca dura pra se defender e defender a sua família de tudo e de todos ao seu redor. A caracterização do Will Smith estava muito fiel ao personagem, assim como o trabalho de maquiagem, que o deixou mais envelhecido, que nos mostrava aquele rosto sofrido e cansado. Will Smith tem uma veia para o drama, ele sempre consegue nos impactar em suas atuações, exatamente como ele faz aqui, ao nos entregar um personagem que está completamente carregado emocionalmente. Depois de alguns trabalhos que facilmente já poderia ter lhe rendido a estatueta do Oscar, eu acho que de fato chegou a sua hora (Will Smith já levou o Globo de Ouro e está indicado em praticamente todas as premiações).

    Saniyya Sidney faz um grande trabalho ao interpretar a jovem Venus Williams, principalmente na cena do jogo final, onde podemos comprovar ainda mais o seu grande talento para atuar. Saniyya já nos chamou a atenção em "Fences", onde ela interpretava a pequenina Raynell, filha do casal Troy e Rose (Denzel Washington e Viola Davis), logo em sua estreia nos cinemas com apenas 10 anos. Saniyya Sidney está indicada no Critics à Melhor Revelação. Demi Singleton fez a Serena Williams, e de certa forma ela não teve o mesmo destaque da Saniyya, mas ai já foi uma decisão de roteiro (que explicarei adiante). Aunjanue Ellis faz a esposa Brandi Williams, sendo mais uma que entrega uma ótima atuação. Aunjanue faz aquela esposa que apoia o marido em suas decisões, que sempre está ao seu lado para o que der e vier, sempre ativa e que não aceita a submissão, tanto que uma das melhores cenas do filme é exatamente um confronto de ideias e opiniões entre ela e o Richard (Aunjanue Ellis foi indicada à Atriz Coadjuvante no Globo de Ouro e está indicada no Critics). Sem deixar de mencionar o Jon Bernthal, que esteve ótimo como o treinador Rick Macci.

    A fotografia do longa é boa, de certa forma até mais escurecida e acinzentada, que nos dava a dimensão de todo o drama familiar, e mesmo nas cenas em que teoricamente exigiria uma fotografia mais viva e animada (como na cena da disputa final), ela continuava com aquele tom mais denso. A trilha sonora de Kris Bowers (Green Book: O Guia) está bem dosada, bem adicionada e acompanha muito bem a trama. A direção de arte também se destaca, a cenografia é muito boa, assim como a montagem, a edição, tudo se destaca pelas riquezas de detalhes.

    O roteiro de Zach Baylin nos ganha exatamente pela forma como ele decide contar a história focada propriamente no Richard Williams e não em suas duas filhas que aspiravam ao estrelato. De fato o filme é sobre o Richard, sobre a sua visão da história, sobre a sua forma adotada para treinar as suas duas filhas, até por isso que nos perguntamos: porquê será que a Venus teve um maior destaque (um maior tempo de tela) do que a Serena? Até pelo fato de ela ser a mais velha e o Richard já ter em sua mente (seu plano) em tornar a Venus como a número 1 do mundo e a Serena como a maior tenista de todos os tempos - exatamente na cena em que o Richard conversa com a Serena, que por sinal é uma cena maravilhosa!

    "King Richard" esteve indicado no Globo de Ouro em quatro categorias, levando apenas a de Melhor Ator para Will Smith e perdendo a categoria principal de Melhor Filme Drama para "Ataque dos Cães". No Critics o longa está indicado em Melhor Canção ("Be Alive" da Beyoncé), Roteiro Original (Zach Baylin), Revelação (Saniyya Sidney), Melhor Atriz Coadjuvante (Aunjanue Ellis), Ator (Will Smith) e Melhor Filme. No SAG o filme só aparece nas categorias de Melhor Elenco e Melhor Ator, para Will Smith. A grande disputa de "King Richard" ficará para o Oscar, que com certeza estará entre os favoritos da noite.
    Eu ainda não assisti a todos os indicados (até porque a lista ainda não saiu), mas eu acredito que a maior disputa de "King Richard" será com "Ataque dos Cães". Na categoria de Melhor Ator eu acredito que a disputa ficará entre Benedict Cumberbatch e Will Smith, e se eu tivesse que decidir entre os dois, seria muito difícil, mas eu escolheira o Will Smith por muito pouco, apesar do trabalho do Benedict em "Ataque dos Cães" está estupendo. Já pensando na disputa de Melhor Filme somente entre esses dois, eu daria a estatueta para "Ataque dos Cães", que por mais que "King Richard" seja carregado em um excelente drama familiar verdadeiro, "Ataque dos Cães" é mais completo, mais surpreendente e mais fantástico como um todo. [18/01/2022]
    Anderson  G.
    Anderson G.

    Seguir usuário 1.041 seguidores Ler as 328 críticas

    3,5
    Enviada em 7 de março de 2022
    "King Richard" é um filme sobre predestinação, focado em contar a história da dupla vitoriosa de tenistas Serena e Venus Williams, mas com um ponto de vista diferente, aqui vemos o protagonismo do pai das atletas, ele é o grande astro do filme, um personagem quebrado e que carrega uma alcunha de fracassado mas tem consigo uma visão.

    O roteiro é bom e trabalha muito bem em aprofundar os pais da dupla de tenistas, apesar do roteiro às vezes tentar dar uma importância a mãe de forma forçada -sabemos que a mãe foi fundamental- mas não temos um grande enfoque nela, o que é uma pena pois a personagem é ótima, o filme apesar de longo passa rápido, sua montagem é boa e o roteiro sabe tratar o tema do racismo de forma perfeita, é sempre ruim vermos o racismo sendo tratado como algo exagerado e obvio, e muitas vezes o preconceito está nos detalhes, não na obviedade, e aqui o roteiro sabe muito bem trabalhar esses pontos, o único ponto negativo que fica é que às vezes algumas informações são simplesmente jogadas e deixam o telespectador perdido, principalmente no que tange ao passado dos personagens.

    A direção é boa, gosta de trabalhar muito com a atuação de seus personagens, procura sempre o protagonismo dos atores com uma câmera sutil e bem documental, cores frias e uma trilha pontual. O figurino é bom e a direção de arte também, o destaque está nas atuações de Will Smith e Aunjanue Ellis.

    Reinaldo Marcus Green, diretor de "King Richard" é um diretor muito jovem, com poucos trabalhos para o cinema mas já mostra uma maturidade muito grande, pois consegue trazer um filme bibliográfico, com poucos erros e com um enfoque diferente. 7/10.
    Phelipe A.
    Phelipe A.

    Seguir usuário 39 seguidores Ler as 135 críticas

    4,0
    Enviada em 12 de maio de 2022
    Depois da premiação de Will Smith como melhor ator no Oscar 2022, o filme King Richard: Criando Campeãs ganhou destaque então para conhecer um pouco mais da sua história confira nossa crítica.

    São muitos os filmes que contam trajetórias de esportistas, desde sua infância até se tornarem grandes atletas, e desta vez vamos ver como um pai pode influenciar a vida de suas filhas e ajuda-las a se tornarem as melhores tenistas de todos os tempos.

    King Richard: Criando Campeãs é um filme agradável de se assistir e que tem foco na luta do pai de Serena e Venus Williams para tornar suas filhas em tenistas profissionais, em uma época onde meninas pobres e negras não tinham espaço em esporte elitista.

    Fato esse que fica como algo secundário já que temos a visão do pai das meninas, Richard Williams, interpretado por Will Smith, que passa por cima de todas as dificuldades e segue sempre em frente para que suas filhas não sofram com as adversidades e permaneçam focadas em mostrar o seu talento para o Mundo.

    Sem sombra de duvidas (ainda mais depois do Oscar) podemos cravar que o destaque do filme é a interpretação de Will Smith (Richard Williams), que passa uma carga dramática incrível e pesada em alguns momentos marcantes do filme. As meninas Aunjanue Ellis (Serena Williams) e Saniyya Sidney (Venus Williams) também não deixam a desejar e são bastante carismáticas, talentosas e nos fazem torcer pelo seu sucesso.
    King Richard: Criando Campeãs vale ser assistido e está disponível na HBO Max.
    Edson T.
    Edson T.

    Seguir usuário 9 seguidores Ler as 22 críticas

    5,0
    Enviada em 7 de abril de 2022
    Obra prima porque me emocionei muito. Quem conhece esse esporte sabe que o filme foi emocionante. A trilha sonora, o roteiro, enfim, a muito não senti tanta emoção em um filme.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top