Minha conta
    O Rei
     O Rei
    8 de abril de 2020 na Netflix | 2h 20min | Biopic, Drama, Histórico
    Direção: David Michôd
    |
    Roteiro Joel Edgerton, David Michôd
    Elenco: Timothée Chalamet, Robert Pattinson, Ben Mendelsohn
    Título original The King
    Imprensa
    3,6 5 críticas
    Usuários
    3,9 238 notas, 29 críticas
    Assistir em streaming
    Avaliar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse

    Após a morte de seu pai, Henrique V (Timothée Chalamet) é coroado rei, obrigado a comandar a Inglaterra. O governante precisa amadurecer rapidamente para manter o país consideravelmente seguro durante a Guerra dos 100 Anos, contra a França.

    Classificação indicativa a definir por http://www.culturadigital.br/classind

    Assista ao filme

    SVOD / Streaming
    Netflix
    Netflix
    Por assinatura

    Trailer

    O Rei Trailer Legendado 1:39
    O Rei Trailer Legendado
    21.716 visualizações
    O Rei Trailer (2) Legendado 2:09
    1.525 visualizações

    Últimas notícias

    Dicas do Dia: O Rei e Deadpool são os destaques da programação
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    Dickinson também está na programação.
    sábado, 2 de novembro de 2019
    O Rei: Novo trailer traz Timothée Chalamet e Robert Pattinson em guerra
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    Novembro na Netflix.
    quinta-feira, 24 de outubro de 2019
    Estreias de novembro na Netflix
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    The Crown, O Rei, O Irlandês, várias produções de época este mês!
    quarta-feira, 23 de outubro de 2019
    Netflix promete lançamento nos cinemas de O Rei, Dois Papas, História de um Casamento e mais sete filmes
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    Campanha pesada para o Oscar.
    terça-feira, 27 de agosto de 2019

    Elenco

    Timothée Chalamet
    Personagem : Henry V.
    Robert Pattinson
    Personagem : Louis, Duke of Guyenne
    Ben Mendelsohn
    Personagem : Henry IV.
    Joel Edgerton
    Personagem : Falstaff

    Críticas dos usuários: eles gostaram

    As melhores e mais úteis críticas
    Ricardo M.
    Ricardo M.

    12.642 seguidores 697 críticas Seguir usuário

    4,0
    Enviada em 2 de novembro de 2019
    Diante de uma mortal doença que acomete o rei Henrique IV (Ben Mendelsohn), o rebelde Hal (Timothée Chalamet) precisa assumir precocemente o trono deixado pelo pai. Agora sob o título de Henrique V, o jovem tem em mãos a complicada tarefa de apaziguar os ânimos de seus seguidores e, ao mesmo tempo, planejar a delicada tarefa de controlar as constantes provocações do franceses acerca da legitimidade de seu trono. Tocada sem preocupações ...
    Leia Mais
    Paulo F.
    Paulo F.

    1 seguidor 1 crítica Seguir usuário

    4,0
    Enviada em 2 de novembro de 2019
    Um ótimo filme de época.
    Um filme com boa trama, bons atores e boa direçāo.
    Me surpreedeu.
    Vale a pena assistir.
    Italo S.
    Italo S.

    1 seguidor 12 críticas Seguir usuário

    5,0
    Enviada em 28 de abril de 2020
    Esse filme é perfeito muito melhor que "O Parasita" digno de Oscar, boas atuações, lutas e cenários muito bons me lembrou um pouco "Coração Valente" de Mel Gibson.
    Estou tentando entender a mente dos "críticos" daqui que deram 1 estrela a esse filme maravilhoso.
    Luiz Antônio N.
    Luiz Antônio N.

    27.661 seguidores 1.298 críticas Seguir usuário

    3,5
    Enviada em 30 de novembro de 2019
    Após a morte de seu pai, Henrique V (Timothée Chalamet) é coroado rei, obrigado a comandar a Inglaterra. O governante precisa amadurecer rapidamente para manter o país consideravelmente seguro durante a Guerra dos 100 Anos, contra a França. Filme muito bom que mesmo com quase 2:30 não vi nem o tempo passar queria conhecer muito mais a história por trás do legado do Rei Henrique V só achei que o final ficou muito em aberto queria ver o ...
    Leia Mais

    Fotos

    Curiosidade das filmagens

    Festival de Veneza

    Selecionado na mostra "Fora da Competição", no Festival de Veneza de 2019.

    Detalhes técnicos

    Nacionalidades Reino Unido, Hungria
    Distribuidor Netflix
    Ano de produção 2019
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 1 curiosidade
    Orçamento -
    Idiomas Inglês, Francês
    Formato de produção -
    Cor Colorido
    Formato de áudio -
    Formato de projeção -
    Número Visa -

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Comentários

    • Thiago Soares Mota
      - 75º filme de 2.020! Visto em 27/02 (o quinto filme do ano na Netflix)...- Nota: 7,5/10! Bom! Um bom filme no geral, com uma produção caprichada! No elenco, bons nomes como Ben Mendelsohn, Joel Edgerton, Lily-Rose Depp (belíssima) e uma pequena participação da revelação Thomasin McKenzie, que posteriormente iria roubar a cena no ótimo Jojo Rabbit (2.019)! Mas tem o super-hiper-mega valorizado Timothée Chalamet! O Jesuíta Barbosa de Hollywood continua ruim, atuando (?) como se estivesse fazendo uma favor a humanidade! Mas a grande vantagem desse filme é calar os críticos que dizem que o péssimo Robert Pattinson é um bom ator! A atuação (?) dele aqui é simplesmente constrangedora, beirando o ridículo nas poucas (ufa) cenas em que ele aparece! Ridículo e risível! Não adianta a crítica dizer o contrário, ele é péssimo e ponto! Simplesmente não evolui! Assistam e tirem as suas próprias conclusões...
    • Senhor Ivan
      Outra grandiosa produção original Netflix.Traz um épico de Guerra de encher os olhos.Viaja bem por extensas locações e as batalhas são bem realizadas.Timothée Chalamet impressiona vivendo Henrique V.Mesmo com a pouca idade,o ator,passa aquela moral ao personagem.Joel Edgerton é uma peça fundamental ao filme.Robert Pattinson aparece nos momentos certos.>Assistido em 28 de Dezembro de 2019-Dou nota 7/10
    • Jonatas B
      A Netfilix vêm tentando já faz algum tempo variar um pouco mais o seu catálogo de originais. Ano passado tivemos o subestimado Legítimo Rei, com Chris Pine, em uma sinalização de que a companhia passaria a tentar investir em projetos de maior estirpe, envergadura. Uma vez que filmes com um teor mais sério, e de preferência dramas de época com batalhas medievais, trazem mais prestígio e a sensação de que não é porque estamos nos acomodando com um tipo de entretenimento mais caseiro nos últimos anos que não podemos desfrutar de algo em grande escala. Pois bem, aqui em O Rei, mais nova empreitada da companhia pelo cinema épico, o que se vê é uma obra que, apesar de não oferecer absolutamente nada de provocante ou inovador ao seu já hiper saturado gênero, pelo menos consegue oferecer uma aventura sucinta, bem filmada, e (aqui sua maior força) atuada. Embora o argumento traga diálogos clichês, pouco inspirados, em um enredo de temas batidos e mensagens esquecíveis, seu ótimo elenco faz a assistida mais que válida. Embora Timothée Chalamet não pareça exatamente o tipo ideal de ator para o papel, o jovem talento dessa nova geração consegue entregar a carga dramática exigida em Henrique V, completando com competência o arco do jovem festeiro problemático que nunca quis ser da realeza. Mas quem rouba a cena mesmo é Joel Egerton, também produtor e roteirista do filme, em um trabalho absolutamente contido, despretensioso, e eficiente. Transformando seu John Falstaff no personagem mais carismático do sisudo filme. Outros grandes nomes completam o elenco de apoio, mas não entregam performances particularmente marcantes, sobrando para Robert Pattinson o papel mais espalhafatoso, que a princípio se mostra uma figura interessante, mas depois vira apenas uma caricatura ridícula. Uma fanfic medieval assumida, The King assume suas imprecisões e cria algo minimamente substancial por cima de sua camada verídica, mas seu impacto é quase anulado por um desenvolvimento narrativo raso demais, em uma dramaturgia pobre e apática, e é basicamente salvo por seu elenco talentoso e apuro técnico. Enfim, não é nada que já não vimos antes e não é nem um pouco marcante, mas é uma boa aventura medieval bem filmada.
    • Jonatas B
      Apanhado histórico é foda...O filme é praticamente uma fanfic...
    • Ricardo Martins
      Tocada sem preocupações financeiras pela produtora Plan B e a Netflix, o longa O REI traz para as telinhas um breve apanhado histórico sobre o complicado reinado da coroa inglesa, aqui no período situado no início do século XV. O rei Henrique V conhece bruscamente a alta cúpula da monarquia e como a teia que controla cada artimanha é tecida minunciosamente visando muito mais interesses pessoais do que coletivos. Os bastidores não são realçados em detalhes pontuais e históricos, muitas vezes obscurecidos em prol de liberdades artísticas que visam um melhor desenvolvimento narrativo, o que por um lado tende a ser funcional no contexto do entretenimento.A famosa batalha de Azincourt tem destaque no terceiro ato e, embora não tenha a devida grandeza histórica traduzida nas telas, ainda sim é competente ao representar a essência do que ocorreu no período. O diretor David Michôd explora bem os cenários e os belos figurinos que criam uma boa ambientação de época, além de ter um bom elenco capitaneado pelo ótimo Timothée Chalamet, Joel Edgerton e um divertido Robert Pattinson quase como participação especial.Não há dúvidas que o maior mérito do filme reside na transcrição do cotidiano de Henrique V e como cada decisão tem um peso não só em sua vida, mas também nas diversas outras pessoas, sejam elas próximas ou inimigas. As consequências impostas ao monarca chamam atenção pela dureza, frieza e retidão sem atenuadores, gerando grandes resultados que nem sempre são esperados ou planejados com grande cuidado.Como adaptação histórica o filme tem pouco a oferecer aos amantes da precisão, mas tem diversão na medida para quem curte um bom filme de época que inspira-se em ocorridos reais. Os interesses políticos e as crenças nas pessoas são bem traduzidas pelo personagem Sir John Falstaff na seguinte fala: um rei não tem amigos, mas inimigos e seguidores, sendo essa a máxima que permeia cada momento revelador do longa.
    Back to Top