Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Aposta Máxima
    Média
    3,9
    352 notas e 70 críticas
    distribuição de 70 críticas por nota
    12 críticas
    12 críticas
    19 críticas
    23 críticas
    3 críticas
    1 crítica
    Você assistiu Aposta Máxima ?

    70 críticas do leitor

    Daniela A.
    Daniela A.

    Segui-los 11 seguidores Ler as 13 críticas deles

    2,5
    Enviada em 13 de outubro de 2013
    A história em si não é ruim. Mas de todos os filmes do Timberlake, esse é o mais fraco.
    Ferris Bueller N.
    Ferris Bueller N.

    Segui-los 22 seguidores Ler as 94 críticas deles

    1,0
    Enviada em 6 de outubro de 2013
    Sempre apreciei filmes sobre jogos de azar, mas este foi realmente um tiro pela culatra. Chato do início ao fim, atuações horrorosas e roteiro desinteressante. A cara de bunda de Justin Timberlake so termina de afundar o filme
    mariana X.
    mariana X.

    Segui-los 19 seguidores Ler as 49 críticas deles

    4,0
    Enviada em 11 de outubro de 2013
    O suspense do filme gira em torno de um jovem que não tem como pagar seus estudos , uma das formas de conseguir isso era apostando online , mas suas apostas levam ele a perceber que estava sendo trapaceado , inconformado com a injustiça de ter sido trapaceado ele viaja ate a Costa Rica em busca de uma resposta , mas essa viagem traz muitas confusões para ele , percebe-se que o filme tem um bom enredo , uma boa trilha sonora mas com um suspense que deixou a desejar mas vale a pena ver um filme que consegue prender você do começo ao fim .
    Henrique Paraguassú C.
    Henrique Paraguassú C.

    Segui-los 9 seguidores Ler as 5 críticas deles

    4,0
    Enviada em 6 de outubro de 2013
    Muito bom. achei interessante como aborda o tema de jogos (especialmente poquer e black jack), a hora certa de entrar e sair de qualquer partida. Recomenda.
    Fabiana K.
    Fabiana K.

    Segui-los 15 seguidores Ler as 3 críticas deles

    4,0
    Enviada em 11 de outubro de 2013
    Aposta Maxima prende a atenção do começo ao fim. Praticamente um suspense, mas com um final obvio demais. Ponto positivo pra Justin que cada dia se torna mais ator e menos cantor.
    anônimo
    Um visitante
    2,0
    Enviada em 23 de dezembro de 2013
    Em Aposta Máxima,fica claro a obsessão de Brad Furman por histórias bem como ele mostrou a mesma forma de direção em O Poder e a Lei,ele retorna aqui,novamente apostando fielmente nas conversas poderosas entre os está aí,uma coisa que não deu certo,na primeira até que vai,mas agora ele abusou muito de seu poder.O que acabou tornando o filme fraco e sem ânimo do meio até seu fim.O filme mostra algo interessante apenas,no romance escondido de dois isso,vimos atuações fortes,principalmente de Justin Timberlake e Ben Affleck,que combinaram não posso dizer o mesmo de Gemma Artenton,que faz um trabalho que não é a sua cara.
    Luiz C.
    Luiz C.

    Segui-los 42 seguidores Ler as 36 críticas deles

    2,5
    Enviada em 15 de outubro de 2013
    Ambição, um crime sem razão Sabe aquela sensação de que você não deveria ter seguido certo caminho? Você até tem a noção de que ele é perigoso, sinuoso, estreito e um tanto proibido, mas sua ganância e sua ambição fala mais alto e você escolhe essa rota torta. Esse é o mote do filme “Aposta Máxima”, de Brad Furman, que traz Justin Timberlake e Ben Affleck no elenco principal. Tudo começa quando Richie Furst, personagem de Timberlake – que já provou ser um bom ator desde “Alpha Dog”, “A Rede Social” e “Curvas da Vida” –, tem problemas para pagar o mestrado e entra no mundo das apostas online para ganhar um dinheiro extra. Seu esquema é descoberto e, então, ele arrisca tudo o que tem no maior portal de apostas na internet. Por ironia do destino e uma “falha no sistema”, Richie perde tudo e vai atrás do dono do site, o rei da jogatina Ivan Block (Ben Affleck), na Costa Rica. A partir daí, o jovem se envolve no mundo perigoso e exótico de dinheiro, festas, mulheres e promessas que o magnata dos jogos online oferece. Nesse exemplo do roteiro do longa, que é baseado numa história verídica, uma vez no mundo do crime e fora da lei, não tem mais saída, não há espaço para o arrependimento. É entrar de cabeça e esperar pela vida curta. O filme não é tão bom assim para render uma coluna cheia de elogios. Na verdade, ele é bem médio. Além de Timberlake, Ben Affleck demonstra ser um vilão bem caricato, frio e enojado; e isso, pra mim, já valeu o ingresso. Fui ao cinema pelo cantor e pelo novo Batman mesmo! Agora, essa ideia de que o realmente errado e criminoso acontece muito mais nos países latinos, que histórias com cassinos e apostas mirabolantes ainda vingam e que essas corridinhas tipo gato e rato ainda fazem sucesso, isso tudo já deu. Não me pega mais, nem a muitos amantes do cinema. Eu quis tocar nesse assunto mesmo só porque, em certo momento do filme, fiquei com dó do protagonista. Volto ao momento inicial desse texto: quantas vezes você já não ficou arrependido de entrar numa fria e só percebeu que não tinha mais volta depois que já tinha mergulhado nas águas profundas? Desde o menininho da favela que entra na tentadora vida do tráfico ao político corrupto que começa a receber altas propinas, para vender sua alma, deve-se estar disposto a pagar um preço absurdo logo ali na frente. Não adianta chorar, implorar, pedir arrego ou espernear. Caiu na lama? Então vai ter que abusar do alvejante, meter a barriga no tanque e limpar toda a sujeira que fez. É esse sentimento que teríamos que ter dentro de nós, inerente às nossas atitudes no meio em que vivemos. Tive pena do protagonista do filme porque ele caiu numa cilada. Mas foi ele que resolveu arriscar e ganhar dinheiro pela forma mais ágil, fácil e proibida. Temos a mania de esquecer o que o outro fez de errado e nos solidarizar pela carinha de anjo demonstrada no fim. Não dá pra acreditar, mas, na época do julgamento do goleiro Bruno, acusado de matar cruelmente sua amante Eliza Samudio, inacreditáveis mulheres não engoliram o choro e apoiaram o assassino, dizendo que ele estava arrependido e deveria ter uma nova chance. Sim, todos nós devemos ter uma segunda chance. Mas, uma vez que entrou no jogo, vai ter que dar a cartada final. Nem que essa seja uma jogada mortal. Você tem a opção na palma da mão e na pureza de um escondido e iluminado coração... É só não seguir esses tais caminhos da ambição.
    Thatiane S.
    Thatiane S.

    Segui-los 3 seguidores Ler as 5 críticas deles

    4,0
    Enviada em 21 de outubro de 2013
    é bom mas achei um pouco parado .... adorei a história e como se desenrrolou e o final é demais
    Ricardo M.
    Ricardo M.

    Segui-los 9195 seguidores Ler as 697 críticas deles

    2,5
    Enviada em 6 de fevereiro de 2019
    Bom articulador para convencer pessoas, Ritchie (Justin Timberlake) tenta buscar meios para concluir seu mestrado na universidade de Princeton, a isso inclui incentivar alunos a jogar em sites de jogos de cassino online. Questionado pela direção da instituição, Ritchie resolve investir tudo que tinha na jogatina e acaba perdendo. Ao investigar o fato, fica nítido que há trapaça no site, motivo este que o leva à Costa Rica para propor ao executivo Ivan Block (Ben Affleck) trabalhar novas ideias na empresa, rendendo complicações e maquinações inesperadas. APOSTA MÁXIMA possui uma abordagem que se não é inovadora, pode ser até apreciada sem muitas expectativas. Isto porque tutor e pupilo colocam-se em uma curiosa tentativa de mostrar quem é melhor na sua função, tramando e articulando em interesse próprio que pouco a pouco vai ficando claro, representando o único fator relevante no longa. A história frágil e com Timberlake tornando as coisas ainda menos interessantes, temos em Affleck e no final dois itens realmente significativos. Só vale pela curiosidade.
    Isis Lourenço
    Isis Lourenço

    Segui-los 4126 seguidores Ler as 753 críticas deles

    4,0
    Enviada em 12 de março de 2016
    Suspense de tirar o fôlego do inicio ao fim,é aquela coisa,você sabe que está agindo errado,mas passa por cima dos seus principios e se joga na loucura,final surpreendente.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top