Minha conta
    Tempos Modernos
    Média
    4,6
    888 notas
    Você assistiu Tempos Modernos ?

    30 Críticas do usuário

    5
    20 críticas
    4
    5 críticas
    3
    1 crítica
    2
    4 críticas
    1
    0 crítica
    0
    0 crítica
    Vinipassos
    Vinipassos

    Seguir usuário 205 seguidores Ler as 178 críticas

    5,0
    Enviada em 31 de março de 2013
    Nossa, Chaplin é gênio, o filme é um clássico. Ele consegue criticar diversos elementos da sociedade em que vivia, todas eles relacionados ao modelo industrial idealizado por Henry Ford.
    Brilhante. É engraçado e subversivo. Antes de tudo, uma excelente obra da Sociologia.
    Larissa S.
    Larissa S.

    Seguir usuário 4 seguidores Ler a crítica

    5,0
    Enviada em 21 de agosto de 2013
    É um filme inteligente e muito bem elaborado, com um tema polemico, penso que Chaplin foi muito inteligente ao usar do humor, que é uma grande arama de protesto. Para mostra a situação da sociedade na época que era escravizada pelo trabalho, algo que não esta muito longe dos dias atuais.
    O inicio do filme quando mostra as ovelhas correndo e em seguida as pessoas saindo da estação do metro ja mostra a ideia central do filme. Chaplin não usa de indiretas mais é bem claro ao mostrar a situação da sociedade em todos os ângulos como a pobreza que é retratada através da personagem vivida pela atriz Paulette Gorddar, a alienação mostrada na cena em que Carlitos sai descontrolado pela fabrica apertando tudo, e outra cena clássica do filme é quando o personagem é engolido pela maquina. Penso que Chaplin quer mostrar nessa cena que o homem esta virando a maquina.
    O filme mostra também a dificuldade em arruma um emprego ja que o filme se passa na decada de 30 especificamente no ano de 1936 que é durante a grande depressão após o crack da bolsa em 1929, a situação e a insatisfação dos trabalhadores com grandes jornadas de trabalho e pequenos salários.
    Ao meu ver o filme de Charlie chaplin feito há 77 anos atrás ainda pode ser usado para criticar a sociedade dos dias atuais, o progresso continua crescendo, os homens continua correndo como ovelhas, os salarios continuam baixos, só que o homem não se tornou a maquina mais sim a maquina que esta a cada dia mais próxima do homem. Mais no meio de tudo isso podemos fazer como o personagem Carlitos ter a esperança de um mundo melhor.
    Rafael V
    Rafael V

    Seguir usuário 312 seguidores Ler as 210 críticas

    2,5
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
        O clássico máximo do Cinema Mudo Norte-Americano, "Tempos Modernos", do gênio Charles Chaplin, um dos maiores cineastas do Cinema Mudo, senão o maior, ao lado de Sergei Eisenstein, Fritz Lang, F. W. Murnau e D. W. Griffith, amigo deste último, mas enquanto este fazia filmes mais restritos, Chaplin fazia um cinema mais cômico, popular e comercial, mas se deixar de ter em seus filmes um forte conteúdo político, social, humano, sentimental, e às vezes, ideológico, é o caso de "Tempos Modernos" de forte crítica à sociedade capitalista dos anos 30 do século XX, à industrialização e mecanização da mão-de-obra, que causava (e ainda causa!) o desemprego e alienação do proletário, etc., e critica também o sistema que ficou conhecido como "Fordismo ou Taylorismo", idealizado por Taylor e aplicado, pioneiramente, por Ford em suas fábricas de carro, que é retratado e satirizado por Chaplin em várias cenas desse filme em questão (como na cena em que ele fica parafusando as coisas, mesmo sem ser no emprego, chega a "parafusar" os botões do vestido de uma senhora, e a cena antológica é que ele é "engolido" pelas encrenagens da fábrica); filme cômico, na essência, mas de forte conteúdo político e social (já que mostra também a miséria, pobreza e desemprego do povo americano durante a Grande Depressão) e também sentimental ao mostrar seu relacionamento com uma jovem órfã; comovente, contudente, profundo, atemporal e universal. Só podia ser do gênio Charles Chaplin! nota: 10.
    Bruno M.
    Bruno M.

    Seguir usuário 18 seguidores Ler as 16 críticas

    5,0
    Enviada em 28 de setembro de 2013
    filme incrível recomendo para todos aqueles que gostam de arte do surrealismo. Adorador do surrealismo David Bowie exibia o filme no começo dos shows da turnê "Station to Station", de 1976. O que mais gosto nesse fantástico filme e a sua arte nada mais nada menos dirigida por Salvador Dalí,. O filme não possui uma história na ordem normal dos acontecimentos, e.g. passa de "era uma vez" direto para "oito anos depois". Utiliza a lógica dos sonhos, baseado em conceitos da psicanálise de Freud, como o inconsciente e as fantasias.
    Tammy T
    Tammy T

    Seguir usuário 4 seguidores Ler as 10 críticas

    5,0
    Enviada em 21 de maio de 2014
    O que falar de Chaplin? O mestre do cinema mudo, o mito do cinema mundial! Neste filme retrata com magnificência a verdadeira sétima arte.. Com seu bom humor que definitivamente dispensa palavras! Charlie Chaplin é um ícone que atrai e prende qualquer geração que tenha o prazer de assistir seus esplêndidos filmes! Sempre será recomendado, tal como reverenciado, pois mesmo com o sofrimento da guerra, Chaplin soube usar os cacos que sobraram, fazendo deles grandes espetáculos. Um salve!!
    anônimo
    Um visitante
    4,0
    Enviada em 2 de fevereiro de 2016
    -Filme assistido em 02 de Fevereiro de 2016
    -Nota 8/10

    O cinema sempre foi de contribuir com a sociedade em si.Mostrar aquilo que realmente é verdadeiro,deixando a ficção de lado.É lógico que isso sempre funciona de uma maneira positiva,já que o cinema tem uma força com todos os públicos.
    Nos anos 30,sofria bastante com o desemprego.E as poucas pessoas que tinha emprego,era submetidos a trabalhar de uma forma escravizante.E ainda,tinha o grande problema com o crescente aumento das máquinas nas indústrias.Daí,os poucos funcionários temiam em perder seus valiosos empregos fixos.

    "Tempos Modernos'' é um filme que está muito a frente de sua época de lançamento.Charlie Chaplin era um dos grandes ícones do cinema da época.Resolveu então produzir esse que é considerado um de seus maiores e melhores trabalhos,em uma época que os Estados Unidos vivia mesmo na verdadeira crise industrial.Em meio a tanto desespero,Chaplin estava ali para fazer rir.
    Na história,vimos Carlitos como um operário,que acaba enlouquecendo por trabalhar horas exaustivamente.Chaplin nesse filme,volta a produzir,escrever e dirigir.Outro ponto positivo para o artista.
    Ainda temos a presença da lindíssima Paulette Goddard,que vive Gamim.Uma moça que cuida de seus outros tantos irmãos,já que se pai acabara de falecer em uma manifestação.

    Apesar de "Tempos Modernos" ser uma crítica pesada a indústria norte-americana,Chaplin nos faz rir com facilidade.Ali vimos que o ator trata a história com muita piada,tudo é motivo de riso.É claro que não poderia ser diferente
    Mr. Dean Corso
    Mr. Dean Corso

    Seguir usuário 32 seguidores Ler as 49 críticas

    5,0
    Enviada em 9 de março de 2016
    Um verdadeiro clássico, um épico da história do cinema, e porque não, da história da humanidade. Um filme que retrata com precisão, a vida após a revolução industrial, e como o ser humano ser tornou escravo dessa nova era.
    Chaplin no conduz nesse longa, a uma reflexão sobre a forma com que o ser humano é tratado no período pós revolução, onde a produção e os lucros, são mais importantes que o indivíduo. A primeira tomada do filme demonstra bem isso, quando vemos um bando e ovelhas correndo em uma direção, e logo após, vemos os trabalhadores na mesma situação entrando na fábrica, verdadeiramente como um rebanho, que não pensam, e são conduzidos numa mesma direção por seus superiores.
    O detalhe é que Chaplin tem a capacidade de nos conduzir ao cenário político e social dos anos 30, de uma forma leve e descontraída, mas sem perder o foco da crítica social. A própria forma com que a justiça é abordada nos mostra como foi a época da caça as bruxas comunistas, fato que se intensificaria anos mais tarde.
    Um filme que aborda as manifestações dos trabalhadores por melhores condições de trabalho, os sonhos e as frustrações do proletariado, as decisões arbitrarias das autoridades que deveriam zelar pelo cumprimento da lei, as dificuldades enfrentadas pelos desempregados, as greves... Tudo isso com o carisma e humor de um verdadeiro mito do cinema, e sem dizer uma única palavra.
    Tempos Modernos, apesar de datar 1936, nos parece cada vez mais atual, quando vemos que, em tantos anos parece que muita coisa definitivamente não mudou. E essa brilhante obra continua a nos impressionar.
    Paulette Godard interpreta uma pobre garota órfã, que vive com suas dua irmãs e seu pai desempregado, e se vê em enormes dificuldades até mesmo para se alimentar, e tem uma atuação de gala, brilhando ao lado de ninguém mais do que o gênio dos gênios: Charles Chaplin. De quem se tornara esposa.
    Chaplin como sempre, está magistral, pois consegue nos fazer rir e ao mesmo tempo refletir, sobre uma situação séria e importante.
    A cena de Chaplin nas engrenagens da máquina na fábrica é inclusive até hoje, uma das mais famosas da história do cinema, e faz parte de um dos momentos mais hilários desse filme, tal como a chegada dele e de sua companheira ao novo lar: um barraco de madeira, onde tudo fatalmente despencava de alguma forma.
    A fotografia do filme, em preto e branco, é simplesmente deslumbrante, e o desenrolar da história é fantástico, tal como o número musical de Chaplin, perto do fim, e o seu emocionante desfecho.
    Em resumo, acredito não ser digno de falar muito mais sobre esse grande clássico, pois não há mais palavras que possam descrever a grandeza que é a experiência de assisti-lo, e aqueles que realmente amam a Sétima Arte pensarão da mesma forma ao verem, e se sentirão honrados por estarem frente a frente com a grande obra, do mestre dos mestres do cinema, o magnífico Charles Spencer Chaplin.

    Nota: 10
    Ronaldo M
    Ronaldo M

    Seguir usuário 19 seguidores Ler as 36 críticas

    5,0
    Enviada em 1 de maio de 2016
    Essa obra-prima de Charles Chaplin (1936), carrega no seu bojo com bastante humor, a crítica social e política pós revolução industrial, confrontando duas realidades:

    - De um lado a elite dominante do capitalismo selvagem, influente junto ao Poder constituído, detentora das mega indústrias já automatizadas, esfolava a classe trabalhadora com longas jornadas de trabalho (quase escrava), em que os operários executavam em cada repartição, funções repetitivas e contínuas ao longo de todo o expediente. A alienação do operariado nas linhas de produção, inteligentemente ilustrada no início do filme com a analogia entre um rebanho de ovelhas e operários saindo do metrô à caminho da fábrica.

    - Do outro lado da realidade, na imensa maioria da população, a pobreza, a míséria e a fome, o desemprego, a baixa auto-estima, eternizada pela atriz Paullete Godard, interpretando uma pobre órfã faminta que cuidava de suas irmãs. A brilhante atriz Paullete Godard mais tarde se tornara esposa de Chaplin.

    - O operário, maravilhosamente interpretado por Chales Chaplin (Carlitos), na linha de produção, corre contra o tempo, numa das cenas que ficaram para sempre na memória da Sétima Arte.
    Fael Moreira
    Fael Moreira

    Seguir usuário 12 seguidores Ler as 12 críticas

    5,0
    Enviada em 25 de junho de 2016
    Fantástico! Um dos 10 melhores filmes de todos os tempos. Chaplin era um gênio do cinema mudo. Inovador, caricata, divertido, brilhante!
    Elvira A.
    Elvira A.

    Seguir usuário 767 seguidores Ler as 266 críticas

    5,0
    Enviada em 22 de setembro de 2013
    Um dos melhores filmes do genial Charles Chaplin. Consegue mesclar com maestria ingredientes como amor, humor e crítica social, resultando numa mensagem atemporal. Muito boa a atuação de Paulette Goddard. A cena final se tornou um clássico. Capaz de agradar a todas as gerações.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top