Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    The Umbrella Academy: Queremos que essa família continue uma bagunça, diz Robert Sheehan sobre segunda season (Entrevista)
    Por Fernanda Pineda — 29 de jul. de 2020 às 20:00
    facebook Tweet

    De volta ainda mais adulta, série promete amadurecimento para os personagens de Ellen Page, Aidan Gallagher e Emmy Raver-Lampman. Confira a entrevista completa no vídeo!

    Mais apocalipse. Mais viagem no tempo. Mais uma leva de looks fantásticos para Klaus. A segunda temporada de The Umbrella Academy chega à Netflix nesta sexta (31) e promete aprofundar sua trama trazendo os irmãos poderosos de volta ainda mais adultos. Mas não espere ver questões familiares resolvidas, pelo menos não tão cedo.

    "Por que a gente vai querer que eles se resolvam? A gente quer que eles continuem uma bagunça, é muito mais divertido", comentou Robert Sheehan, o intérprete de Klaus, aos risos. Na entrevista exclusiva ao AdoroCinema, disponível no player acima, o elenco falou sobre as possibilidades que surgem a partir de agora para esta família desajustada. 

    Como visto no trailer, os irmãos terão a chance de reencontrar o pai ainda vivo e anos antes dos acontecimentos da primeira leva de episódios. Para o Número 5, no entanto, o conforto emocional pode vir só mais para o final da temporada, conforme garantiu o ator Aidan Gallagher. "Para ele, é o espaço temporal de apenas duas semanas, todo mundo teve mais tempo para se reajustar. Então ele só está tentando impedir o fim do mundo, isso é a prioridade número um. Ele está colocando seus pequenos problemas pessoais de lado para ter certeza de que não vamos exterminar toda a existência", contou.

    Se a vida pessoal não é um destaque para o Número 5, o mesmo não pode ser dito sobre Vanya, agora renovada nos anos 60. Com menos cenas musicais ou violentas e muito mais autoconfiança, a personagem de Ellen Page perde a memória, mas consegue se redescobrir e descobrir também o amor: 

    "Eu acho que para ela é uma grande libertação, no que diz respeito à raiva reprimida, trauma e essas coisas. Não é benéfico para o mundo, porque ela explode a Lua, mas, para ela, eu acho que cria muita clareza. Então, no começo da segunda temporada, [...] ela está confortável com seu corpo, ela consegue se conectar com suas emoções de uma forma que parece autêntica e não perigosa. Ela se apaixona pela primeira vez", revelou Page.

    Enquanto isso, a irmã Allison aos poucos recupera sua voz e se vê envolvida com o movimento dos direitos civis, também nos anos 60. À reportagem do AdoroCinema, Emmy Raver-Lampman destacou o quanto as cenas de militância acabam agora se tornando ainda mais impactantes, especialmente após as manifestações antirracistas de 2020. 

    "Apesar de nós não termos filmado pós-George Floyd, brutalidade policial, racismo estrutural, micro agressões, violência e discriminação com pessoas e grupos marginalizados não são coisas novas no nosso país, e isso não é novidade no mundo. Eu acho que esse era um tópico que eu queria tratar com cuidado. Sabendo que estaria em milhões de televisões ao redor do mundo, era muito importante que fizéssemos certo. Agora que a série está sendo lançada, isso parece até mais relevante".

    Com tantos temas relevantes na segunda temporada, é possível dizer que a série não foge de assuntos de alta relevância do mundo real, desde homofobia até racismo. No entanto, não espere ver nada relacionado à pandemia (ou aos estranhos acontecimentos de 2020!) em uma futura temporada. Steve Blackman, o showrunner, garantiu que gosta de "aterrisar" sua produção, mas que deseja manter a fantasia presente. "Quero que as pessoas curtam e relaxem enquanto assistem à série, e não que fiquem pensando em Covid ou coisas do tipo", explicou. 

    Com 10 episódios, a segunda season de The Umbrella Academy chega à Netflix no dia 31 de julho. Confira a crítica clicando aqui. 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top