Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Big Little Lies 2x02: A verdade dói em Monterey
    Por Katiúscia Vianna — 16 de jun. de 2019 às 23:53
    facebook Tweet

    Leia nossa crítica de "Tell-Tale Hearts", com spoilers sobre a 2ª temporada de Big Little Lies.

    "Eu vou expor ela". O famoso meme da internet poderia ser aplicado, perfeitamente, para qualquer uma das filhas de Madeleine (Reese Witherspoon). Sem querer, Abgail (Kathryn Newton) e Chloe (Darby Camp) foram responsáveis por um efeito dominó bombástico, capaz de tornar públicas boa parte das mentiras presentes no título de Big Little Lies.

    O momento mais chocante surgiu com a revelação que Max (Nicholas Crovetti) e Josh (Cameron Crovetti) sabem que têm um irmão como colega de classe. Por sua vez, Ziggy (Iain Armitage) também descobriu que Perry (Alexander Skarsgård) é seu pai. Como isso aconteceu? Chloe ouviu Madeleine falando ao telefone e contou para os amigos. Além de fazer playlists, essa garota é aprendiz de Nelson Rubens, é moçe? A partir daí, a bomba-relógio explodiu. 

    Numa cena bem emocionante, Jane (Shailene Woodley) é obrigada a explicar a verdade para seu filho, inclusive como ele é fruto de um estupro (a dor dela em ter que explicar tal palavra já foi suficiente para causar lágrimas no público). Já Mary Louise (Meryl Streep) rejeita aceitar o lado violento do falecido (ou sua traição), mesmo após Celeste (Nicole Kidman) contar como era agredida pelo marido. Pelo contrário, usa todas as acusações recentes para reforçar sua teoria que a morte do filho não foi um acidente. Pelo lado bom, tal confusão culminou num belo momento entre os três pequenos irmãos, graças a encontro familiar promovido por Jane e Celeste (cuja união já comprova ser uma das coisas mais bacanas da temporada).

    Porém, quando todo mundo achava que o momento "fofocalizando" tinha chegado ao fim, é a vida de Madeleine que começa a desmoronar de vez. Se Ed (Adam Scott) já tinha ficado bem irritado ao saber que a esposa tinha guardado tal segredo, isso nem se compara a dor que ele sentiu ao saber do caso dela com Joseph (Santiago Cabrera). Num confronto brutal, Witherspoon e Scott trazem grandes performances: ela, tentando justificar suas ações (provavelmente, pela primeira vez na vida, sem saber o que dizer); ele, magoado por descobrir como sua filha de coração sabia da traição por quase um ano, colocando um ponto final no casamento e deixando sua futura ex-esposa devastada.

    O mundo também virou para Renata (Laura Dern), diante da súbita prisão do marido, Gordon (Jeffrey Nordling). Aparentemente, o moço se envolveu com fraude e a família pode entrar em falência até o fim do ano. Dentre grandes ataques histéricos (e fica aqui nosso agradecimento para quem escalou Dern perfeitamente no papel), alucinações com um tribunal rindo de sua cara e deixar o esposo no meio da estrada; o compreensivo desespero da executiva é palpável. Afinal, como aceitar que está prestes a ver todo o esforço de sua vida ser desperdiçado pelo erro alheio?

    Um marido que também errou feio foi Nathan (James Tupper), que chamou a sogrona Elizabeth (Crystal Fox) para tentar ajudar uma perdida Bonnie (Zoë Kravitz). Só que a chegada da avó de Skye (Chloe Coleman) não ajuda muito, vide seu total desprezo pelo genro no meio do jantar e o péssimo relacionamento entre as duas. Ao perceber que a mãe está espalhando talismãs pela casa, Bonnie pede que ela vá embora, se recusando a repetir os mesmos erros — algum detalhe do passado da jovem ainda precisa ser revelado para compreender melhor essa conversa. Mesmo assim, Elizabeth deixa claro que teve visões de alguém se afogando: seria um sonho metafórico sobre como Bonnie se sente no momento? Ou uma premonição sobre o final trágico de algum dos moradores de Monterey? A essa altura do campeonato, qualquer dica é útil...

    via GIPHY

    Melhor frase: "Eu não vou deixar de ser rica!"/"Eu costumava sentar na sua cara, você acha que isso vai acontecer de novo?" - Renata, obrigada por existir.

    Hinos do episódio: "The Wonder Of You" nos créditos, a mesma canção que Ed cantou para Madeleine na primeira temporada.

    Número de gritos histéricos na temporada: 3

    Considerações finais:

    - Dentre tanta reviravolta, seria triste não ressaltar a bela atuação de Nicole Kidman em mais uma sessão de terapia, onde Celeste é obrigada a imaginar Madeleine sofrendo agressões de Perry no seu lugar. 
    - É curioso ver o debate sobre família em BLL. Celeste conta para os filhos como devem ser honestos, enquanto Elizabeth defende que famílias normais se metem nos problemas dos outros. Já a família de Renata pode colocar todo seu trabalho a perder, enquanto a saída de Nathan em buscar mais parentes, sem consultar a esposa, só piora a situação de Bonnie. Tais cenas não são jogadas por acaso nas telinhas...
    - O episódio ainda teve espaço para um breve encontro entre Jane e Corey (Douglas Smith). Moço, por favor, não nos decepcione, pois essa garota merece um pouco de alegria nessa vida.
    - "Que tipo de emergência?" "Emergência de gente baixinha!", Madeleine, nunca mude. <3

    via GIPHY

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Tim Meme
      Essas mães das mães de BLL estão se revelando Monsters !
    • Nei G.
      Também tinha grandes dúvidas sobre essa 2oTemporada, geralmente fazem um puxadinho somente para aproveitar o sucesso da 1oTemporada. Essa 2oTemporada realmente surpreende pelo lado positivo destacando a atuação de todo o elenco feminino!
    • Skine
      Confesso que não botava muita fé nessa segunda temporada. Foi pensado como uma minissérie e já tinham adaptado o livro. O primeiro episódio foi bom, foi legal rever essas personagens e sempre vale a pena contemplar a atuação de Meryl Streep, mas pra mim ainda não justificava um novo ano. Só que esse segundo episódio foi fenomenal, mostraram mesmo as consequências da mentira, estabelecendo grandes viradas na trama e trazendo o que a série tem de melhor (foi o segundo melhor episódio de Big Little Lies pra mim). Teve uns momentos psicológicos profundos e bem construídos nesse episódio, como a consulta de Celeste e o julgamento de Renata, Laura Dern dá um show mesmo (ainda não superei em 2017, quando ela entregou atuações excelentes em Big Little Lies e depois em Twin Peaks), Kidman também está entregando uma atuação excelente representando bem todo o trauma que a personagem dela está enfrentando, elas devem ser as atrizes da série consagradas em premiações novamente. Gosto da relação dela com Jane, ambas sofreram abusos de Perry, mas acho que o interessante está no contraste entre as duas, tipo quando Jane conta sobre a violência do pai a Ziggy, mas Celeste opta por fazer exatamente o oposto com os filhos. Shippo Jane com Corey, ele é meio estranho como ela observou, mas acho que é por isso que combina com ela e Ziggy. Tem algo no passado de Bonnie com a mãe sobre se afogar e terá uma cena dela se afogando, como mostrou o trailer dos próximos episódios, mas por enquanto ela tá se afogando na culpa. Enfim, esse episódio estabeleceu várias tramas e conflitos, e abordou temas importantes de maneira única e muito bem feita.
    Mostrar comentários
    Back to Top