Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    GLOW: Criadoras da série comentam o impactante episódio sobre aborto
    Por Laysa Zanetti — 4 de jul. de 2017 às 15:49
    facebook Tweet

    "Não devemos desviar de mostrar isso, já que é uma experiência tão verdadeira."

    Erica Parise/Netflix

    [Atenção: contém spoilers da primeira temporada de GLOW]

    Ser plataforma para o debate de assuntos polêmicos parece ser um modus operandi em ascensão dentre as séries da Netflix. Neste ano, a controvérsia foi posta à mesa com 13 Reasons Why, e agora outro assunto sensível foi tratado em telas, dessa vez na comédia GLOW: o aborto.

    O episódio 8 da série deixa de lado brevemente o drama dentro dos ringues para tratar da história pessoal de Ruth (Alison Brie) e sua recém-descoberta (e indesejada gravidez). Se em 2017 o aborto ainda é tratado como um tabu tão grande, imagine em 1985, ano em que a temporada se passa.

    No episódio, o momento do aborto – da decisão tomada ao fim do procedimento – é tratado de forma bem crua e até fria, algo que fez sentido para a atriz:

    "Eu simpatizei com o momento imediatamente. É desta mesma forma que eu iria reagir se eu fosse a Ruth, e eu não a questionei em momento algum", respondeu Brie em entrevista ao The Hollywood Reporter, quando questionada sobre a falta de emoção de sua personagem quando decidiu não ter o bebê.

    GLOW: Um começo promissor para Alison Brie e o time da Luta Livre de Mulheres (Crítica da primeira temporada)

    Mas para as criadoras da série, Liz Flahive e Carly Mensch, a decisão de Ruth não foi uma valente, mas sim realista.

    "Nós tínhamos algumas discussões na sala dos roteiristas sobre querermos ou não ter aborto na série", revelou Mensch, pontuando: "Se estamos contando uma história honesta sobre as coisas pelas quais as mulheres passam, seja ou não na década de '80, muitas de nós sentimos que seria algo normal [tratar do aborto], e que não deveríamos desviar de mostrar isso, já que é uma experiência tão verdadeira."

    "É muito importante, principalmente agora, destacar que as mulheres devem ser capazes de fazer esta escolha e que isso não tem que ser o fim do mundo", defendeu Alison Brie, à luz do atual clima político norte-americano que ameaça os direitos das mulheres. "É uma série a respeito dos corpos femininos e das mulheres tomando o controle de si mesmas, e isso é destacado de uma forma muito bonita no episódio", finalizou.

    A primeira temporada de GLOW tem 10 episódios e já está na Netflix.

     

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top