Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Após descobrirem temática contra o aborto, atores abandonam filme
    Por Manuella Braz — 14 de jul. de 2018 às 08:35
    facebook Tweet

    Diretores são acusados de mentir para os profissionais e esconder polêmico roteiro pró-vida.

    Getty Images

    Atores e membros da equipe do novo filme de Nick Loeb e Cathy Allyn estão abandonando as filmagens por se sentirem enganados em relação ao conteúdo abordado no longa. Muitos deles só descobriram a real mensagem da trama quando chegaram ao set e receberam, pela primeira vez, o polêmico roteiro que condena a prática do aborto nos Estados Unidos. Esse fato incomodou grande parte dos profissionais que concordaram em participar da produção, dando início a uma onda de demissões voluntárias (e não muito amigáveis).

    Intitulado de Roe v. Wade, a obra ilustra a batalha judicial, realizada no ano de 1973, que garantiu o direito ao aborto em todas as clínicas familiares nos Estados Unidos. Embora retrate uma conquista histórica para as mulheres americanas, o roteiro é baseado em um discurso pró-vida, contrário à decisão judicial vencedora. Inicialmente Nick e Cathy eram responsáveis apenas pelo script e pela produção, mas a pessoa contratada para dirigir o longa desistiu assim que as filmagens foram iniciadas, em junho. Mesmo sem nenhuma experiência prévia na função, os dois tiveram que assumir a direção do filme para garantir a execução do projeto.

    Nick Loeb, diretor de Roe v. Wade

    Segundo o site The Daily Beast, ex-membros da equipe comentaram que “quando as pessoas finalmente recebiam o roteiro, elas desistiam na hora. Depois desses acontecimentos, eles [Nick e Cathy] decidiram não enviar para mais ninguém. Ao invés disso, mudam as falas e as cenas um pouco antes de gravar.” Stephen Baldwin e Kevin Sorbo foram alguns dos profissionais que abdicaram do projeto quando perceberam o real foco do trama. "Eles não tinham a menor ideia do que estavam fazendo, eles só recebiam suas falas quando chegavam ao set", contou a fonte.

    Além disso, as filmagens vêm sendo canceladas em boa parte das locações. Segundo relatos também divulgados pelo The Daily Beast, os responsáveis pela Universidade de Tulane, que concentra grande parte das cenas, vetaram todas as atividades na instituição depois que descobriram a verdadeira mensagem por trás de Roe v. Wade. O mesmo aconteceu em uma sinagoga que estava sendo utilizada como base pela equipe. O próprio Loeb confirmou ao The Hollywood Reporter que todos foram expulsos abruptamente. A polícia teve que ser acionada para que pudessem recuperar os seus pertences.

    Por outro lado, há quem esteja satisfeito em participar do longa. Atores conservadores como Jon Voight, pai da atriz Angelina Jolie, e Robert Davi interpretarão dois juízes da Suprema Corte, enquanto Corbin Bernsen, John Schneider, Steve Guttenberg, William Forsythe, Wade Williams e Richard Portnow assumem papéis secundários. A atriz Stacey Dash, conhecida pela sua participação em As Patricinhas de Beverly Hills e integrante do Partido Republicano, também faz parte do elenco.

    Não é a primeira vez que Nick Loeb ganha destaque por assuntos polêmicos. Em 2015, um ano após o término do seu relacionamento com Sofia Vergara, estrela da série Modern Family, Loeb solicitou a custódia de dois embriões da atriz, que foram fecundados pelo seu esperma e depois congelados, na Califórnia. No entanto, em 2013, o ex-casal assinou um contrato que impedia que qualquer decisão em relação aos embriões fosse tomada sem a aprovação de ambos. Sendo assim, Loeb saiu derrotado, mas continua lutando pela vida de Emma e Isabella, nomes dados por ele aos embriões em questão.

    Roe vs. Wade tem previsão de lançamento para janeiro de 2019.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Alex Lannister
      Olá Bateu na porta de quantos pais q abandonaram os filhos pra exigir que eles voltem pra casa para ser pais?Fez quantos trabalhos voluntários para tirar crianças das ruas? Quantos trabalhos voluntários para ajudar crianças vítimas de abuso de pais que não as queriam?Até certo ponto na gestação, o feto é apenas isso, mas se necessita de uma imagem , ele é praticamente um caroço de feijão que não sente nada.Mas aparentemente vc prefere ver o sofrimento de crianças abandonadas pelo pai , que tem sua vida negligênciada por um casal que não queria e/ou n podia ter uma criança.Incrível como vcs são extremamente empáticos com um feto mas ignoram o sofrimento de crianças que sentem frio, fome, abandono, dor...
    • Rafa Almeida
      Se não é ser, é o quê? Uma lâmpada 220V?
    • Alex Lannister
      Se não existe vida , não é assassinato. Se o ser ainda não é um ser, não existe assassinato.De que adianta defender um feto e ignorar as crianças abandonadas na rua, as crianças abandonadas pelo pai, as crianças vítimas de abuso de pais que não as queriam...Adota elas , faça algo por elas. Se não é só mais um discurso fraco e egoísta.Homens já abortam direto, cadê vc cobrando algo deles?
    • Rafa Almeida
      Não, questão de lógica, apenas.
    • Alex Lannister
      Ata. Só se acabou na sua cabecinha kkkkkkk agora pronto
    • Rafa Almeida
      Independente de lado religioso. Aborto é assassinato e acabou.
    • João Spinelli
      chora mais conservador desgraçado
    • Mateus
      É, ainda não entendi como fazem estimativas a partir de práticas, inicialmente clandestinas e nem porque, ao ser legalizado o aborto diminuiria.Tbm estou com pouco tempo para leituras; qualquer hora dessas, verei se consigo ler mais sobre.
    • Lara Lannister
      Em minhas leituras eu vi que parte dessas mulheres que abortavam , faziam pq estavam sós e n sabiam como criar sozinha uma criança. Ai o Estado entrava com um auxílio psico emocional, inclusive falando dos traumas de um aborto.Tipo assim, falava os prós e contras e deixava a mulher escolher.Mas tem outras pesquisas e artigos mais recentes sobre , eu q to sem tempo pra ler
    • Mateus
      Concordo que já vi alguns dados a respeito; não sei como seria aqui no brasil. Também não sei ao certo como fazem para quantificar e fazer comparações, na medida em que, quando feito na clandestinidade, creio que não deve haver registros claros. Vc sabe dizer por que eles diminuem?
    • Lara Lannister
      Agora, me pergunto até que ponto a prática seria estimulada se fosse legalizada. Se vc tem conhecimento no assunto , sabe que nos paises onde o aborto é legalizado, os numeros de aborto tendem a diminuir
    • Mateus
      É, enquanto não for legalizado, de fato, haverá punição. Não se pode fazer aquilo que a lei proíbe. Agora, me pergunto até que ponto a prática seria estimulada se fosse legalizada. Já existem os anticoncepcionais e preservativos (o que todo verdadeiro cristão deve rejeitar), e a prática clandestina de abortos. Afirmar que há gravidez acidental é meio complicado. Ela é a finalidade da relação sexual (o que NÃO IMPLICA necessariamente que não haja prazer para ambos). Qualquer pessoa que mantém relações sabe que isso pode acontecer. Se desejam manter relações, homens e mulheres, é poque SE SENTEM RESPONSÁVEIS. Aí, só descobrem que não são responsáveis o suficiente, que não estão prontos quando a gravidez ocorre? No caso de problemas médicos, ou derivados de violência sexual, concordo que a mulher deva escolher a interrupção ou não. Os anticoncepcionais, como vc já falou, tem diversos efeitos colaterais para a mulher, são bombas hormonais. O preservativo não é 100% seguro e o aborto, como vc disse, é traumático para mulheres. Às vezes me parece que essa discussão apenas visa encontrar mais uma forma de eliminar a responsabilidade que manter uma relação sexual EXIGE, além de tentar eliminar, também, a gravidez que é seu RESULTADO. Acho que a ideia de planejamento faz com que os casais sejam responsáveis como se deve, sem excluí-los da responsabilidade, caso haja gravidez.
    • Lara Lannister
      verdade
    • Mateus
      no mais, tudo tranquilo;pelo menos pudemos conversar, o que nesses temposatuais, tem se tornado cada vez mais difícil;
    • Lara Lannister
      Pena que elas não são pq olha as opções que elas tem 1. Cadeia2. Risco de morte.Elas teriam se o aborto fosse legalizado e elas pudessem escolher faze-lo em condições não desumanas e sem riscos a sua vida (literal e metaforicamente)Eu entendi essa questão do Planejamento familiar mas mtas vezes uma gravidez ocorre por acidente. Mta mulher engravida mesmo tomando pilula e transando com camisinha. Ou seja, nem sempre as coisas ocorrem como planejado e o casal ou a mulher simplesmente não estão prontos para a responsabilidade que é cuidar de uma criança
    • Lara Lannister
      Eu tive um pré conceito, a partir de seus comentários anteriores e comentei. Não significa que eu estou certa , relaxaMas muitos cristãos como vc , resumem o sexo a penetração(isso eu falo com ctz pq eu ouvi da boca deles) . De novo, só um comentário, n significa que estou certa e eu n tinha intenção de ofender , de vdd.Mas eu entendi.
    • Lara Lannister
      Praticamente vc disse que sexo era apenas pra reprodução. Eu só comentei em cima disso com uma certa cara de pau
    • Lara Lannister
      Tbem respeito muito essas mulheres. O foda é que muitas fazem isso pq é praticamente a unica opção :/ as outras são cadeia ou possível morte.
    • Bruno
      E idiota é vc seu cretino, arrombado
    • Bruno
      É mesmo é? foda-se!
    Mostrar comentários
    Back to Top