Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Ghost in the Shell: Michael Pitt comeu comida crua e inventou um passado para seu personagem no filme (Entrevista Exclusiva)
    Por Renato Hermsdorff — 2 de abr. de 2017 às 08:23
    facebook Tweet

    Mas não se mostrou muito disposto a falar sobre seu “método”.

    Mais conhecido por atuar em filmes “independentes”, como nos ótimos Hedwig - Rock, Amor e Traição (2001) e Os Sonhadores (2003), é até estranho imaginar Michael Pitt em uma superprodução como A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell.

    Dedicado ao teatro, afastado há um tempo dos cinemas (de títulos de destaque, pelo menos), o ator caprichou na preparação para viver o “vilão” da versão live-action do “clássico” japonês: Escreveu páginas e mais páginas sobre o passado de seu personagem (inventado por ele); comeu apenas comida crua – é o que garantem as “production notes”, ou seja, o material de divulgação do filme.

    No entanto, cumprindo o extenso calendário de divulgação que um blockbuster exige, o ator se mostrou um tanto indisposto a discutir o próprio “método”. “Não é uma questão de vaidade como as pessoas podem pensar. Sempre que ouço um ator dizer que trabalhou muito, que fez uma dieta de comidas cruas, reviro meus olhos...”, ele revira os olhos.

    Divulgação
    Pitt como Kuze.

    Como Michael mesmo explica, ele entrou para o elenco do longa tardiamente, em função de sua amizade com o diretor, Rupert Sanders (Branca de Neve e o Caçador). “Ele [Sanders] estava lidando com uma máquina muito grande, um projeto enorme repleto de personagens e alguns pontos do roteiro foram deixados em aberto” – daí a necessidade encontrada pelo ator de preencher lacunas.

    Num lampejo de paciência, Pitt explicou como a questão da alimentação poderia tê-lo ajudado a compor o personagem – “Kuze”, que, de voz e gestual bem específicos, parece uma tentativa do ator de fazer sua própria versão do Coringa de Heath Ledger em termos de “esquisitice”. “Não comer nada que foi cozinhado, não beber álcool... Essas coisas são extremamente difíceis de se fazer e mudam sua postura, seu comportamento, sua atitude. Então, foi uma coisa extrema que pensei em fazer, que me modificaria rapidamente e que eu nunca tinha feito antes para outro papel”.

    Confira a entrevista, completa, no vídeo acima. A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell está em cartaz nos cinemas brasileiros.

    Abaixo, nossas demais entrevistas com o elenco:

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top