Meu AdoroCinema
"Eu queria desconstruir os contos de fada", explica o diretor de Romance à Francesa (Exclusivo)
Por Bruno Carmelo — 20/10/2016 às 09:00
facebook Tweet

A história de Emmanuel Mouret começa com o "final feliz", mas depois introduz problemas na vida do casal.

O diretor Emmanuel Mouret não se considera ator, mas em Romance à Francesa, ele aparece mais uma vez em seu próprio filme. "É o meu produtor que me pede para fazer. Eu sempre digo que no próximo filme não vou atuar, mas aí olha o que acontece!", ele brinca.

Conhecido pelas comédias românticas (A Arte de Amar, Faça-me Feliz), o cineasta experimenta desta vez um quadrado amoroso: na trama, o tímido professor Clémence (Mouret) se apaixona pela famosa atriz Alicia (Virginie Efira), e para sua surpresa, é correspondido. Mas quando o relacionamento anda bem, ele conhece a imprevisível Caprice (Anaïs Demoustier), que o persegue e acaba mostrando seu charme... Ao mesmo tempo, o melhor amigo de Clémence, Thomas (Laurent Stocker), começa a se apaixonar por Alicia.

O AdoroCinema conversou em exclusividade com o diretor sobre Romance à Francesa, que estreia nos cinemas dia 20 de outubro:

Paixão ao contrário

Sobre esta história curiosa, que parte do amor perfeito e depois complica a vida do casal, o diretor explica: "Eu queria desconstruir o conto de fadas, porque Clémence faz o que ninguém faria, ele se declara para a atriz, que é o oposto da personagem de Caprice. Isso se torna um sonho". Ele completa: "Na verdade, tudo é possível no cinema. Meus filmes não tentam fazer uma análise do mundo, minha única obsessão são as relações amorosas".

Cinema clássico

Mouret é frequentemente comparado a Woody Allen e Eric Rohmer, graças aos filmes leves, pautados pelos diálogos entre personagens apaixonados. O cineasta assume essas referências: "São diretores que admiro muito. Também tem o Ernst Lubitsch, que transformou completamente a história do cinema, e sem dúvida Jean Renoir. Eu me inspiro muito do cinema clássico". 

Mas ser clássico não é um problema, pelo contrário: "Desde o renascimento, as pessoas se inspiram do período anterior a elas. Por isso, o cinema dos anos 1940, 1950 e 1960 permanece uma grande fonte de inspiração no cinema atual. O clássico, para mim, é o que não envelhece, que continua moderno. Isso não impede a invenção formal. É possível ser atual e clássico ao mesmo tempo, em filmes cuja forma ultrapassa as fronteiras da atualidade".

Corpos que falam

Sobre a paixão pelos diálogos e repetições, Mouret afirma que esta é a própria essência do cinema: "Três quartos do cinema são diálogos, corpos que falam. Os diálogos são muito cinematográficos, eles aproximam o olhar do personagem do olhar do espectador. Nós ficamos verificando a expressão dos rostos para saber se o que dizem é verdade, se corresponde realmente ao personagem. A direção consiste em olhar, e saber quando esconder, quando deixar informações ocultas".

As repetições também ocupam um espaço importante em Romance à Francesa. O obcecado Clément assiste várias vezes à mesma peça de Alicia, e Caprice só consegue conquistar o professor depois de muita insistência. "Repetições são relações geométricas, e todos somos muito sensíveis a isso. São como as rimas na poesia. Existe uma ligação forte com o imaginário, como uma figura de linguagem. Busco uma forma que instigue o pensamento, ao invés de apenas descrever a história. É um jogo de formas, para despertar o pensamento e as sensações do espectador", ele conclui.

Romance à Francesa Trailer Legendado

 

 

facebook Tweet
Links relacionados
Pela web
Comentários
Mostrar comentários
Siga o AdoroCinema
Trailers
A Morte Te Dá Parabéns 2 Trailer Legendado
Patrocinado
Cinderela Pop Trailer
A Caminho de Casa Trailer Dublado
A Maldição da Freira Trailer Legendado
Calmaria Trailer (1) Original Legendado
Não Olhe Trailer Original Legendado
Todos os últimos trailers
Notícias de cinema Entrevistas
Festival de Berlim 2019: "Temos não só o direito, mas a obrigação de resistir", explica Wagner Moura sobre Marighella
NOTÍCIAS - Entrevistas
domingo, 17 de fevereiro de 2019
Festival de Berlim 2019: "Temos não só o direito, mas a obrigação de resistir", explica Wagner Moura sobre Marighella
First Reformed: "As pessoas não levam mais o cinema a sério", critica o diretor Paul Schrader (Entrevista Exclusiva)
NOTÍCIAS - Entrevistas
domingo, 17 de fevereiro de 2019
First Reformed: "As pessoas não levam mais o cinema a sério", critica o diretor Paul Schrader (Entrevista Exclusiva)
Últimas notícias de cinema Entrevistas
Filmes da semana
de 21/02/2019
Sai de Baixo - O Filme
Sai de Baixo - O Filme
Diretor: Cris D'Amato
Elenco: Tom Cavalcante, Miguel Falabella, Marisa Orth
Trailer
A Morte Te Dá Parabéns 2
A Morte Te Dá Parabéns 2
Diretor: Christopher Landon
Elenco: Jessica Rothe, Israel Broussard, Suraj Sharma
Trailer
Querido Menino
Querido Menino
Diretor: Felix Van Groeningen
Elenco: Steve Carell, Timothée Chalamet, Jack Dylan Grazer
Trailer
Todos Já Sabem
Todos Já Sabem
Diretor: Asghar Farhadi
Elenco: Penélope Cruz, Javier Bardem, Ricardo Darín
Trailer
Lembro Mais dos Corvos
Lembro Mais dos Corvos
Diretor: Gustavo Vinagre
Elenco: Julia Katharine
Trailer
Normandia Nua
Normandia Nua
Diretor: Philippe Le Guay
Elenco: François Cluzet, Toby Jones, François-Xavier Demaison
Trailer
Lançamentos da semana
Filmes mais esperados
  • Superação - O Milagre da Fé
    Superação - O Milagre da Fé

    de Roxann Dawson

    com Chrissy Metz, Mike Colter

    Filme - Drama

    Trailer
  • Capitã Marvel
  • A Cinco Passos de Você
  • Vingadores: Ultimato
  • A Caminho de Casa
  • Cinderela Pop
  • O Rei Leão
  • After
  • A Maldição da Freira
  • Não Olhe
Filmes mais esperados
Back to Top