Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Vida é Bela
    Média
    4,7
    4105 notas e 563 críticas
    distribuição de 563 críticas por nota
    330 críticas
    181 críticas
    24 críticas
    17 críticas
    5 críticas
    6 críticas
    Você assistiu A Vida é Bela ?

    563 críticas do leitor

    Victor Tavares Alves
    Victor Tavares Alves

    Segui-los Ler as 10 críticas deles

    5,0
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    É um dos filmes mais bonitos que eu já assisti! Na verdade faltam adjetivos para ele. Mostra além de horrores do nazismo, o esforço de um pai pra manter a inocência e esperança de seu filho mesmo no pior lugar do mundo. Perfeito. Assista antes de morrer! rs
    Álvaro M.
    Álvaro M.

    Segui-los 2 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 10 de abril de 2013
    A Vida É Bela Foi com essa frase tão otimista, e ao mesmo tempo controversa, que os roteiristas Roberto Benigni e Vincenzo Cerami decidiram entitular a produção da Melampo Cinematografica. E é o versátil Benigni, agregando os papéis de protagonista e diretor, que conduz com excelência essa comédia tipicamente italiana. Pois a Itália é o grande palco dessa história, com direito a belas paisagens e cidade. Aliás, o país foi homenageado pelo filme. Contribuindo com o visual, pode-se dizer que o áudio apresenta-se no mesmo nível de qualidade; tanto é que "A Vida É Bela" recebeu o Oscar 1999 de Trilha Sonora Original. A um belo cenário e a uma boa música, um grande texto não poderia deixar de constar. E isso também foi pensado pelos roteiristas. Um texto inteligente, rico, leve, e que se manteve regular durante todo o filme. Igualmente merece menção o encadeamento de detalhes de uma cena com a sua subsequente. Isso só não passa despercebido pelo espectador atento. Um ponto alto do filme é o encontro entre Guido e o Dr. Lessing, oficial nazista seu conhecido, no campo de concentração. O prisioneiro esperava a qualquer custo conseguir ajuda para salvar o filho. E é o que todos aguardam ver; mas, quebrando a expectativa, o lunático Dr. Lessing apenas propõe a Guido uma charada. Tudo isso através de um pedido de ajuda, pelo amor de Deus. Outra marca registrada do enredo é o romantismo entre Guido (Roberto Benigni) e Dora (Nicoletta Braschi). O amor do protagonista pela bela professora deu-se no primeiro momento. E a partir daí o garçom faz de tudo para encantar e conquistar Dora. "Bom dia princesa" é a recorrente frase dita por Guido. Roberto Benigni (Oscar 1999 de Melhor Ator) é exato no papel de Guido, personagem esse marcado pela irreverência e humor, o que acaba amenizando a carga dramática da obra. Durante todo o filme, o personagem será visto com um sorriso no rosto, até mesmo quando percebe que sua morte é inevitável. Tudo isso para preservar o pequeno Giosué dos horrores da 2ª Guerra e do Holocausto. Aproveitando o gancho, o filme não tem a intenção de encenar a guerra, mas apenas contextualizá-la. Isso é feito com toda a sutileza, deixando o filme não tão dramático. O mesmo é feito com relação ao ódio pelos judeus. Apesar de ser retratado, é apenas no meio do filme que se percebe que o protagonista é judeu. Não era a intenção de Guido que o filho soubesse desse preconceito, e é esse o olhar adotado pelo filme. Com toda a certeza, essa relação entre pai e filho é dos aspectos mais tocantes de "A Vida É Bela". E é justamente isso que permanece com o pequeno órfão no final da guerra, e que reafirma o dizer do título como verdadeiro. "A Vida É Bela" é um filme que merece ser assistido e admirado, por todos os elementos que o tornam uma obra-prima impecável, um verdadeiro Oscar.
    Cícero P.
    Cícero P.

    Segui-los 9 seguidores Ler as 59 críticas deles

    5,0
    Enviada em 26 de janeiro de 2013
    Simples, alegre, emocionante e uma das mais belas obras de arte do cinema mundial!
    Condessa de Monte Cristo
    Condessa de Monte Cristo

    Segui-los 1 seguidor Ler as 65 críticas deles

    5,0
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    ...Não tem uma vez se quer que eu não me emocione ao assisti-lo. Simplesmente, Magnífico. Roberto Benigni é encantador neste filme. Impressionante sua luta em não deixar seu filho ver o lado negro do ser humano.
    Isabela S.
    Isabela S.

    Segui-los 18 seguidores Ler as 22 críticas deles

    5,0
    Enviada em 18 de junho de 2013
    Filme comovente que mostra a relação entre pai e filho mais linda que eu já vi. Ele prova que a imaginação,o amor a família e a fantasia pode ganhar tudo. O filme é bem fantasioso com certeza,mas ainda sim,não deixa de ser incrivelmente lindo. Mesmo em um cenário terrível como era o massacre nazista,vemos que sempre temos um motivo para sorrir e continuar a vida. Como já diz o título: a vida é bela.
    Leandro M.
    Leandro M.

    Segui-los 29 seguidores Ler as 79 críticas deles

    5,0
    Enviada em 4 de junho de 2013
    Filme maravilhoso! de uma sensibilidade sem tamanho. Um dos melhores filmes que já assisti, juntamente com Labirinto do Fauno, Crash e poucos outros. Vale muito assistir.
    Estevan Magno
    Estevan Magno

    Segui-los 3439 seguidores Ler as 490 críticas deles

    4,0
    Enviada em 18 de abril de 2013
    Nada mais belo do que o amor verdadeiro, o amor de mãe, de namorados, de pai. Neste película belíssima, Italiana à moda. A Segunda Guerra é novamente palco de histórias emocionantes e de rasgar o coração. Esta família vai te deixar impressionado com a capacidade de amar incondicionalmente alguém. A vida bela, quando acreditamos que é, e é isso em que o pobre garoto acredita, e muito graças ao pai, que não deixou o filho até o último momento, onde o fim é conhecido por todos nós.
    Raildon L.
    Raildon L.

    Segui-los 25 seguidores Ler as 22 críticas deles

    3,0
    Enviada em 13 de setembro de 2013
    Uma inusitada comédia dramática no cenário da 2ª guerra mundial. A ousadia de Roberto Benigni em A Vida é Bela valeu o reconhecimento de público e crítica, além de vários prêmios para o filme, entre os quais, o Oscar de Filme Estrangeiro e o de Ator, para o próprio Benigni. O longa é uma miscelânea de humor pastelão e drama que mostra as peripécias de um pai (Benigni) para encobrir do seu filho (Giorgio Cantarini) a cruel realidade vivenciada nos campos de concentração. Tudo seria parte de um jogo, com um prêmio para quem fizesse mais pontos. Se esconder dos “homens maus” aumentava essa pontuação. O filme é dividido em duas partes. Na primeira, o atrapalhado Guido chega do interior para a cidade grande em busca de trabalho. Por diversas vezes ele, literalmente, esbarra com Dora (Nicoleta Braschi), que termina se apaixonando pelo jeitão histriônico dele. Até lá, sobram palhaçadas, como na cena em que o protagonista entra montando num cavalo numa recepção de grã-finos e a convida para sair daquele lugar. Depois, já casados, o pequeno Giosuè (filho do casal) entra na história. Os tempos são difíceis com as restrições impostas ao povo judeu. Um dia, pai e filho são levados para um campo de concentração. Inconformada, Dora pede para ir junto. Chegando lá, Guido tenta minimizar a situação aos olhos do filho. A história é fantasiosa e absurda. É difícil imaginar que, diante de tanto sofrimento, coisa do tipo pudesse realmente acontecer. Contudo, a proposta do filme é mostrar o quão grande é o amor entre pai e filho e que, mesmo diante do horror do Holocausto, ainda era possível fazer germinar a semente da esperança. Visto por esse lado, a inocência pueril de A Vida é Bela chega a encantar. Central do Brasil (de Walter Salles) concorreu com o filme italiano na categoria de produções estrangeiras, no Oscar. Na ocasião, a Academia preferiu apostar suas fichas no lirismo do filme italiano, que investiu numa forte campanha publicitária para conquistar as estatuetas douradas. Sem tanto bá-fá-fá, o filme se revela eficiente em seus propósitos, mas menor do que parecia ser na época. Competindo de igual para igual, hoje, talvez a história fosse outra, já que Central é um filme mais coeso. Mesmo assim, A Vida é Bela tem seus méritos ao conseguir contar uma história, já tão repetida no cinema, por um olhar diferente. O que já é um feito e tanto.
    Johnny M.
    Johnny M.

    Segui-los 5 seguidores Ler a crítica deles

    4,5
    Enviada em 24 de março de 2012
    spoiler: o filme mostra uma grande prova de amor....
    anônimo
    Um visitante
    5,0
    Enviada em 12 de novembro de 2013
    E sempre que assisto o magnífico "A vida é Bela" mais um vez, vejo que "A central do Brasil" não tinha a mínima chance de levar aquele oscar! Esse filme, apesar de ser muito triste, transmite uma mensagem maravilhosa aos telespectadores. Muito, muito bom mesmo!!!!
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top