Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Okja
    Média
    4,3
    476 notas e 60 críticas
    distribuição de 60 críticas por nota
    23 críticas
    19 críticas
    7 críticas
    5 críticas
    5 críticas
    1 crítica
    Você assistiu Okja ?

    60 críticas do leitor

    Rafael O.
    Rafael O.

    Segui-los 23 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 28 de junho de 2017
    Uma das histórias mais lindas qir já vi. Filme emocionante!! Na minha opinião, um dos melhorés filmes já feito pela Netflix. Estão de parabéns!
    Nelson J
    Nelson J

    Segui-los 21772 seguidores Ler as 1 227 críticas deles

    2,5
    Enviada em 30 de junho de 2017
    Sou fã do cinema sul coreano. Okja traz alguns de seus traços, mas no fundo é uma grande mistura de ecologia, estória infantil, consumismo, defesa dos animais e outros temas. Visto sob este prisma é aceitável, mas com um olhar mais crítico é insatisfatório para crianças e adultos, sendo um produto desfocado e deslocado.
    Maíra Pilz Fidelis ..
    Maíra Pilz Fidelis ..

    Segui-los Ler as 2 críticas deles

    4,0
    Enviada em 1 de julho de 2017
    A princípio, ao ver o primeiro trailer, confesso que desprezei o filme. Nem chegou a entrar na minha lista de filmes para assistir. Mas uma noite de insônia foi suficiente para dar uma chance ao tão polêmico OKJA. É bem difícil classificar um filme como esse, que ao mesmo tempo me lembrou um pouco sessão da tarde dos anos 90, também me deixou inquieta e reflexiva. OKJA traz um propagandismo político (um pouco clichê), numa história de amizade entre uma menina e seu companheiro de quatro patas. Nos faz torcer pelos heróis e sentir odio/pena dos caras maus. Ou seja, nada de novo, grandioso e original. Mas o que me chamou a atenção foi a genealidade de enfiar no meio de tudo isso, uma crítica muito contudente em que, mesmo quando os vilões dançam no filme, as coisas continuam da mesma forma, na verdade até pioram, e que mesmo OKJA sendo salvo, nós, que torcemos pela dupla ao longo das duas horas de filme, não nos sentimos vitoriosos. Ao contrário, terminamos a sessão com um nó na garganta, nos identificando com os figurantes, que, no filme, não são nada além de uma grande massa de manobra do grande capital.
    Matheus H.
    Matheus H.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 8 críticas deles

    5,0
    Enviada em 2 de julho de 2017
    Sinceramente eu não esperava nada desse filme além de um bixo esquisito e uma garota ,porem agora acho que esse é um dos melhores filmes produzido pela Netflix , com seu roteiro emocionante, atuações são muito bem feitas e um final impactante ,eu recomendaria OKJA a todos
    Mauricio L.
    Mauricio L.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 11 críticas deles

    4,5
    Enviada em 29 de junho de 2017
    Inovador e Ousado! Tem todo um charme nos personagens, que são bem peculiares e com características marcantes. Ainda tem aquele humor negro bem sutil. Ótimo trabalho de Bong Joon Ho, Parabéns Netflix!
    Vitor Araujo
    Vitor Araujo

    Segui-los 1379 seguidores Ler as 489 críticas deles

    3,0
    Enviada em 12 de outubro de 2017
    Porco. Matadouros. Vegetarianos. Amizade. Corporações. Lento. Visual. Internacional. Mensagem. Legal.
    Maria Paula M.
    Maria Paula M.

    Segui-los 2 seguidores Ler as 4 críticas deles

    4,5
    Enviada em 12 de julho de 2017
    A história se inicia no ano de 2007 com a apresentação de um novo projeto de uma indústria de carne que a partir da criação de porcos geneticamente modificado pretendia acabar com a fome mundial. Para promover essa ideia foram distribuídos filhotes para fazendeiros locais ao redor do mundo e em 10 anos esses porcos voltariam para a empresa. É nesse contexto que somos introduzidos a pequena Mija, uma coreana, órfã de pai e mãe e criada na companhia de seu avô e da Okja, sua super porca. Dez anos se passam desde o inicio do projeto e Okja é premiada como a super porca mais bonita, mas para receber esse prêmio seria deslocada até Nova Iorque o que é muito traumático para Mija tendo em vista a conexão entre as duas. O filme é excelente no que se diz respeito a entreter e emocionar o telespectador, somos movidos por uma empatia e uma torcida para que tudo ocorra bem a trama toda. Além disso, é muito eficiente para transmissão de sua mensagem trazendo uma uma reflexão muito forte a indústria alimentícia atual, a crueldade que submetemos os animais e nossa tentativa de se alienar quanto a esse processo. Minha única ressalva quanto ao filme é a maneira caricata da qual a facção de proteção aos animais é representada, tendo em vista a maturidade com que toda a mensagem do filme foi transmitida esse núcleo poderia ter sido melhor desenvolvido, mas ainda assim, não é um fator que diminui a experiência que o "Okja" nos proporciona.
    Ric Brandes
    Ric Brandes

    Segui-los 71 seguidores Ler as 102 críticas deles

    4,5
    Enviada em 11 de julho de 2017
    Uma poderosa empresa alimentícia. Um super porco, capaz de alimentar o mundo. Uma amizade para toda a vida. Eis o novo filme da Netflix, uma das grandes surpresas do cinema de 2017: Okja. Primeiro filme Netflix a disputar o Festival de Cannes, Okja é uma produção conjunta Coréia do sul / Estados Unidos com orçamento de 50 milhões de dólares, dirigida por Joon-Ho Bong (Expresso do Amanhã). Como principal mensagem, traz a questão do consumo da carne e da publicidade feita com os produtos animais. Após inúmeros elogios e comentários positivos, resolvi assistir o filme. E fiquei realmente surpreso com este novo trabalho da Netflix e seu super elenco: Tilda Swinton (Doutor Estranho) interpreta a presidente da Mirando, empresa mundial de alimentos que quer revolucionar o mundo com sua super carne. Giancarlo Esposito (once Upon a time) é seu secretário particular e fiel escudeiro. Jake Gyllenhaal (O abutre) é o principal cientista da empresa, responsável pelos testes e experimentos genéticos com os super porcos. No lado oposto da história, Paul Dano (12 Anos de Escravidão), (Steven Yeun (The Walking Dead), Lily Collins (Simplesmente Acontece) e Devon Bostick (The100) são os antagonistas, ativistas sociais que procuram desmascarar os métodos e pesquisas obscuros dos laboratórios da Mirando. Já a jovem Seo-Hyun Ahn rouba a cena e interpreta (com maestria) a menina Mija, a melhor amiga e protetora da super porca Okja. Uma amizade comovente e verdadeira, que cativa o espectador logo de cara. Com efeitos especiais super realistas, Okja tem um visual surpreendente e uma fotografia maravilhosa, e demonstra o quanto os filmes da Netflix estão evoluindo rapidamente em técnica e qualidade. Após assistir Okja, é difícil não se sentir tocado pela mensagem do filme sobre o consumo consciente da carne e sua produção industrial, além de tocar na ferida da questão da manipulação genética e de pesquisas secretas com animais. E, para quem achou que o filme termina repentinamente, na cena pós créditos há um trecho bem bacaba e divertido, que apresenta um mote para a possível seqüencia de Okja. Super recomendo, vale à pena conferir! Por RicBrandes
    Birovisky
    Birovisky

    Segui-los 95 seguidores Ler as 196 críticas deles

    4,0
    Enviada em 11 de setembro de 2017
    Na íntegra h t t p s : / / rezenhando . wordpress . com /2017/09/11/rezenha-critica-okja-2017/ E de repente neste fim de semana prolongado pude colocar em dia minha lista de filmes “quero ver”, no caso um que estava procrastinando há meses chamado Okja, original Netflix. Eu imaginava que por trás da obra havia algumas mensagens subentendidas de algum movimento pró animal, e quando tem algo do tipo seja qual for o movimento já torço o nariz para a imparcialidade. E mesmo assim, se você também pensou como eu tire o cavalo da chuva e assista. Se quer saber o porquê confiram a “rezenha” crítica de Okja. A obra trata da empresa Mirando, que comercializa carnes e cria o projeto de super porcos transgênicos. Para que essa imagem seja discretamente convertida para algo orgânico, enviam por 10 anos estes super porcos a pequenos fazendeiros espalhados pelo mundo, um destes é o avô de Mija. A jovem garota cria afeto por Okja, nome dado ao super porco. Porém após 10 anos a empresa a recolhe da fazenda contra a vontade de Mija, então a premissa é criada. Um elenco sensacional começando pelos antagonistas Tilda Swinton e Jake Gyllenhaal, caricatos mas sem tornar-se bizarro, pelo contrário dão raiva em quem está assistindo. A atriz mirim que interpreta Mija também está sensacional, faz você fica a todo momento tenso e torcendo por ela. O que incomodou é novamente a preguiça da produção em fazer algo real, por exemplo, a Okja poderia ter sido fabricada uma fantasia para que fosse utilizada por atores e não captação de movimentos, por mais que seus movimentos em algumas cenas seriam limitados ainda sim deixaria o filme mais emocionante e perto da perfeição, tudo que um filme que conta com um animal “fantástico” exige, exemplos não faltam como não canso de citar: Labirinto do Fauno, Labirinto a Magia do Tempo e História sem Fim, fora muitos outros bons exemplos. Fora esse detalhe de um cinéfilo exigente, vale a pena cada minuto da obra, emociona, te deixa tenso, arranca algumas risadas, tudo em nome do bom entretenimento. A crítica ao modo como os animais são tratados para alimentar o mundo está lá de forma ferrenha. Engana aos desinformados (que não leem sinopse) achando que é um filme infantil sobre amizade. O desenvolvimento da história em paralelo a esta crítica soam sem forçar e fazendo você repensar muita coisa. Logicamente não fará eu parar de comer carne, mas o objetivo da obra foi concluído com sucesso, trazendo à tona no mínimo uma reflexão de não apenas como os porcos são tratados, mas os demais animais num todo (bois, frangos, etc) e este sistema inescrupuloso de produção que permeia pelo mundo sem respeito algum a eles, bem ao estilo nascido para morrer, onde em muitos casos nem ver a luz do sol conseguem. Minha nota é 4/5.
    Kal-el Saadjian D.
    Kal-el Saadjian D.

    Segui-los Ler a crítica deles

    0,5
    Enviada em 12 de julho de 2017
    HORRÍVEL UM LIXO!! FRAQUÍSSIMO ENREDO.... NÃO RECOMENDO!!
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top