Meu AdoroCinema
    Amor e Revolução
    Amor e Revolução
    Data de lançamento 22 de junho de 2016 para DVD (1h 46min)
    Elenco: Emma Watson, Daniel Brühl, Michael Nyqvist mais
    Gêneros Drama, Histórico, Romance
    Nacionalidades Alemanha, França, Luxemburgo, Reino Unido
    Ver o trailer
    Usuários
    4,1 159 notas e 12 críticas
    notar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Chile, 1973. Em meio ao golpe de estado que derrubou o presidente eleito Salvador Allende e possibilitou a ascensão do ditador Augusto Pinochet, as massas estão nas ruas protestando, entre eles um casal alemão, Lena (Emma Watson) e Daniel (Daniel Brühl). Quando o rapaz é levado pela polícia secreta de Pinochet, Lena procura por ele e descobre que seu amado está em um lugar chamado Colonia Dignidad, uma suposta missão de caridade dirigida por um pregador (Michael Nyqvist), só que na verdade é uma prisão de onde ninguém nunca escapou. A fim de encontrar Daniel, a moça decide se juntar ao culto religioso da Colonia.
    Título original

    Colonia

    Distribuidor UNIVERSAL PICTURES
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2015
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades -
    Orçamento $14,000,000
    Idiomas Inglês, Espanhol
    Formato de produção -
    Cor Colorido
    Formato de áudio -
    Formato de projeção -
    Número Visa -
    Amor e Revolução Trailer (3) Legendado 2:08
    Amor e Revolução Trailer (3) Legendado
    8 991 visualizações
    Amor e Revolução Trailer Original 1:00
    15 161 visualizações
    Amor e Revolução Trailer (2) Original 2:16
    Pela web

    Elenco

    Emma Watson
    Personagem : Lena
    Daniel Brühl
    Personagem : Daniel
    Michael Nyqvist
    Personagem : Paul Schäfer
    Vicky Krieps
    Personagem : Ursel
    Ficha completa

    Críticas de usuários

    Daniel M.
    Crítica positiva mais útil

    por Daniel M., em 29/04/2016

    5,0Obra-prima
    Incrível como a ditadura foi tratada As atuações são surpreendente A atmosfera de aflição, indignação e alívio ...
    Leia mais
    Estácio B.
    Crítica negativa mais útil

    por Estácio B., em 22/04/2016

    1,0Muito ruim
    Colonia entrega uma trama banal. Vai na idiotice dramática e boba do "baseado em fatos reais". Traz atuações ok, mas ...
    Leia mais
    Todas as críticas de usuários
    17% (2 críticas)
    33% (4 críticas)
    42% (5 críticas)
    0% (0 crítica)
    8% (1 crítica)
    0% (0 crítica)
    Você assistiu Amor e Revolução ?
    12 Críticas de usuários

    Fotos

    26 Fotos

    Últimas notícias

    Estreias de janeiro na Netflix
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    sábado, 15 de dezembro de 2018
    Morre Michael Nyqvist, de Os Homens que Não Amavam as Mulheres e Missão Impossível - Protocolo Fantasma
    NOTÍCIAS - Personalidades
    terça-feira, 27 de junho de 2017
    Ator sueco tinha 56 anos.
    Carga Preciosa: Novo filme de Bruce Willis arrecada 86 libras no Reino Unido
    NOTÍCIAS - Pré-Produção
    quinta-feira, 21 de julho de 2016
    Críticas negativas e circuito reduzido foram decisivos na arrecadação pífia.
    10 Notícias e Matérias Especiais

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Thais
      tá disponível no netflix.o filme é ótimo, tenso e triste ao mesmo tempo! super recomendo
    • Andries Viljoen
      CuriosidadesFoi filmado no Chile, Luxemburgo, Alemanha e Argentina; Este é o segundo filme que Emma Watson fez sobre seitas/cultos perigosos, o primeiro foi o filme Regressão de 2015; O ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, anunciou em 26 de abril de 2016, que arquivos secretos sobre Colonia Dignidad serão tornados públicos;Colonia Dignidad foi estabelecida em 1961 por colonos alemães liderados por Schäfer. O ex-suboficial nazista transformou o lugar, 350 quilômetros ao sul de Santiago, numa espécie de seita, onde praticava pedofilia e onde ninguém podia entrar nem sair sem sua autorização;Durante a ditadura militar no Chile, entre 1973 e 1990, o enclave foi utilizado como centro de detenção ilegal, onde se praticou tortura e se assassinaram opositores do regime. Colonia Dignidad também serviu como depósito de armas e reduto de trabalho infantil escravizado; Steinmeier admitiu que, na época, o governo alemão não fez o suficiente para ajudar as vítimas da comunidade chilena – hoje chamada Villa Baviera. Esse é um capítulo obscuro da história da diplomacia alemã, e é evidente que os diplomatas alemães fizeram muito pouco para proteger as pessoas que tentavam escapar dos maus-tratos, afirmou; A colônia alemã no Chile foi palco de crimes que vão desde abusos sexuais de menores a tortura de opositores da ditadura de Augusto Pinochet; Segundo dados da Anistia Internacional, 119 presos políticos foram mantidos presos na Colonia Dignidad, muito deles foram torturados e mortos. O território da ex-seita alemã no Chile, hoje, se transformou em um Centro Turístico chamado “Villa Baviera”, onde se pode, agora, comer, dormir ou dirigir jeeps de tração nas montanhas dos Andes; Emma Watson visitou a Villa Baviera em setembro de 2014. Boa parte da mídia, na epoca, pensou/anunciou que ela apenas estava passeando de férias. Mais tarde descobrira verdade ela estava fazendo 'laboratório/pesquisas para o papel; Quem quiser mais detalhes a respeito da historia real, pode ler está matéria ou assistir a este documentário do youtube muito bacana (e pesado);
    • Andries Viljoen
      Impressões... Bom, já de cara, vale dizer que, como filme que trata da ditadura de Augusto Pinochet, no Chile, Colonia (2015) está muito aquém do ótimo (vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado -adaptação do livro de Thomas Hauser-) filme de Costa-Gavras, Missing – Desaparecido (1982), mas, pro meu gosto, esta muito além do enrolado, arrastado e chato filme de Pablo Larraín, com Gael García Bernal, No (2013).Mas aí entramos em uma outra análise que nos faz concluir, com tranquilidade, que este filme não é um documentário e quando se conclui isto, tudo fica mais fácil de aceitar. Até o final que tanta gente compara com o filme Argo (2012) pois, quando vemos que, embora inspirado em fatos reais, este filme não conta uma história/passagem verídica, nem narra a história de pessoas reais, fica mais fácil aceitar, entender e gostar (muito) desta experiência que, do seu jeito, mostra com detalhes os horrores da Colônia Dignidad e da Ditadura Chilena.Tá, aceito que, em tese, o filme poderia ser melhor produzido mas, por outro lado, eu não sei dizer como, até BOA PARTE dos seus defeitos são importantes para mostrar o que ele (filme) deseja, para conseguir chegar no objetivo primeiro da obra que é (repetindo) mostrar os horrores cometidos por lá (Chile) por chilenos e ALEMÃES!Eu até posso estar supervalorizando este filme, mas confesso que há tempos eu não me incomodava tanto com cenas de tortura, com cenas como a da prisão do casal, ou a cena no estádio (que não vou contar pra não estragar) o clima tenso que o filme consegue trazer em várias ocasiões realmente te coloca dentro dele (filme). Ao mesmo tempo eu confesso que acabei de ver o filme e já corri a pesquisar sobre a Colonia, o que me deixou mais incomodado e dando mais mérito ao filme...Ok, ok o final é super boboquinha e inverossímil, ainda mais levando em conta que era uma Ditadura numa republiqueta de bananas, mas como ele só serviu para o que finais normalmente servem, ou seja, dar um desfecho à trama, dá pra desconsiderar...O que mais, o que mais? Ah sim! as atuações estão muito boas e (acho que já deu pra entender, mas vale reforçar que) eu aconselho muito este filme, principalmente para que vocês conheçam algo que existiu na vida real (infelizmente) e teve várias facetas e variações, inclusive aqui no Brasil onde tivemos, por exemplo, o Manicômio de Barbacena - MG que, embora não tenha sido a sede de uma seita, e (acho) não tenha alemães/nazistas envolvidos (aleluia irmãos) serviu para o mesmo propósito da Colonia Chilena, como vocês podem ver no documentário Holocausto Brasileiro.Concluindo digo (o que vocês já repararam, ou seja) que este filme mexeu muito comigo (o que eu adoro, frise-se!!).
    Mostrar comentários
    Back to Top