Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Lascados
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    Lascados

    Road movie carnavalesco

    por Lucas Salgado

    Produzido e distribuído de forma independente, Lascados é uma exceção neste universo de comédias que tem feito tanto sucesso no Brasil nos últimos anos. Ainda que se escore em caricaturas e tipos, o longa oferece um humor mais genuíno, menos forçado do que estamos acostumados a ver.

    Lascados - PosterObviamente, conta com problemas sérios, como a falta de ritmo e insistência em algumas piadas que não funcionaram da primeira vez, ainda assim funciona como um entretenimento agradável e suave, sendo um bom passatempo.

    A direção de Vitor Mafra é correta, mas possui alguns excessos, como no momento em que um dos personagens está "viajando" pela ausência de um medicamento. Fica a clara impressão de que quiseram inserir um conflito na história, algo que não era necessário. Algumas transições também são exageradas, como na cena de perseguição pela cidadezinha.

    Passado nos anos 90, o longa conta a história de três amigos que desejam passar o carnaval em Salvador. Para isso, "roubam" a velha kombi de vender cachorro-quente da mãe de um deles. No meio do caminho, eles conhecem uma linda garota, que acaba seguindo viagem com eles, o que dá início a uma disputa saudável para ver quem vai ficar com ela. A situação fica mais complicada, ou mais fácil, pelo jeito atirado e amigável da jovem.

    Chay SuedeJosé TrassiPaulo Vilela vivem os garotos, enquanto que Paloma Bernardi é a jovem. O quarteto não compromete e possui uma ótima química em cena. O filme, por sinal, faz questão de utilizar os dotes de Suede como cantor e insere na trilha várias de suas músicas, além de outras mais consagradas.

    O elenco conta ainda com as presenças de João Côrtes, Guilherme FontesTheo WerneckRaul BarretoNando Cunha. Fontes é uma espécie de antagonista do filme, interpretando o religioso pai da personagem de Paloma, que vai atrás dos meninos.

    Um dos grandes méritos da produção está no fato de não ser moralista ou quadrada. Os meninos não são completos patetas. Eles são capazes de certas "imoralidades" para chegar ao seu destino final, inclusive alugando a kombi como motel para casais de um vilarejo. Casais, por sinal, formados por homens e mulheres, mulheres e mulheres, e homens e homens, sem nenhum preconceito ou caretismo. A figura da mulher também é tratada de forma bem interessante pela obra, sem julgamentos, mostrando uma jovem independente e bem resolvida sexualmente, que, é claro, está sempre em conflito com a figura do pai conservador e religioso.

    Filme assistido durante a cobertura do 21º Festival de Vitória, em setembro de 2014.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top