Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Beasts of No Nation
    Média
    4,4
    383 notas e 36 críticas
    distribuição de 36 críticas por nota
    14 críticas
    14 críticas
    8 críticas
    0 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Beasts of No Nation ?

    36 críticas do leitor

    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 8975 seguidores Ler as 1 587 críticas deles

    4,0
    Enviada em 16 de janeiro de 2016
    Um filme forte com cenas para adultos e para os fortes, roteiro deslumbrante e atuação incrível de Idris Elba que por sinal foi esnobado no óscar não sendo indicado, absurdo, sendo que ainda não concorreu a nenhum óscar e assim começo a pensar em marmelada, fora isso, o filme é espetacular!!
    Hugo D.
    Hugo D.

    Segui-los 321 seguidores Ler as 318 críticas deles

    4,5
    Enviada em 16 de dezembro de 2015
    O filme é um soco no estômago e mostra claramente como as guerras civis fazem para recrutar crianças para seu exército. Aqui o fato se passa na África, mas é igual nas favelas brasileiras, no Oriente Médio, nas Farcs colombianas e nas facções terroristas como o Estado Islâmico. Abraham Attah vive o protagonista com maestria, narra e também vivencia as situações chocantes mostradas, na minha opinião merecia uma indicação ao Oscar. Idris Elba vive perfeitamente um coadjuvante que é quase ator principal na pele do Comandante que recruta e treina as crianças para sua cruzada de poder. Vale a pena ver o filme.
    B.Boy Jc
    B.Boy Jc

    Segui-los 339 seguidores Ler as 372 críticas deles

    4,0
    Enviada em 25 de março de 2016
    Filme muito forte, atuações espetaculares, não entendo por quê esse filme não concorreu ao Oscar,super merecia!
    Cristian T.
    Cristian T.

    Segui-los 4 seguidores Ler a crítica deles

    4,5
    Enviada em 1 de novembro de 2015
    Souberam ser sensíveis em um mundo insensível. Retrataram a crueldade de homens transformados em animais.
    Miguel T.
    Miguel T.

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 12 de novembro de 2015
    Uma ótima trama por parte do Netflix, com um ótimo enredo que tende a mostrar fatos de guerras civis vividas na Africa. Esse não e mais um daqueles filmes de 2 horas que fazem você dormir no sofá, e sim um filme que faz você entrar e tentar entender cada vez mais a historia ali contada, ficando na expectativa do que ira acontecer na cena seguinte. A forma da historia ali contada sobre Agu que de um simples garoto que vivia em meio miséria e a guerra civil, tendo sua vida mudada ao ter de virar um guerrilheiro, coisa não muito anormal em países mais pobres e no mínimo genial. Se você quer um filme que realmente mostra a verdade do que acontece em paises que enfrenta este tipo de conflito,e nao o que vemos na televisao todos os dias, Beasts of No Nation e o filme perfeito.
    Marcelo B.
    Marcelo B.

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 7 de julho de 2017
    O Filme prende o espectador com o drama que é exposto de maneira suave e que vai sendo levado ao lado sombrio do humano, onde sua atenção eata presa junto com a vida dos personagens
    anônimo
    Um visitante
    4,0
    Enviada em 24 de outubro de 2015
    Filme que explora bem a difícil vida dos seres humanos,mais precisamente na nação africana.Os primeiros minutos de "Beasts of No Nation" lembra bastante "Diamante de Sangue".Deixando as comparações de lado.O primeiro longa metragem produzido pelo Netflix,não erra em nenhum momento.O filme nos apresenta o jovem Agu (uma ótima estreia de Abraham Attah),que acaba presenciando o massacre de seu pai e irmão.Já que sua mãe antes tinha fugido.Logo ver sua vida mudar drasticamente,quando é capturado por rebeldes.Sendo comandado com firmeza por Comandante (Idris Elba),que o já treina para ser um soldado logo na sua infância. Escrito e dirigido perfeitamente pelo diretor Cary Joji Fukunaga.Ele separa bem a história.Narra a vida do garoto com perfeição,em meio aos conflitos,tem espaço para o garoto ter ótimas lembranças de sua família,que mesmo tendo perdido sua infância,ele não esquece e nem perde a fé de um dia reencontrar sua mãe. O filme é intenso,traz um realismo absurdo.Explora bem as jovens atuações,talvez seja as melhores cenas.Eles matam com qualquer ferramenta que tiver em suas mãos.Tudo isso acompanhado de perto pelo seu fiel Comandante.Que acaba gerando uma confiança extra sobre os garotos. -Filme assistido em 24 de Outubro de 2015 -Nota 8/10
    Kamila A.
    Kamila A.

    Segui-los 1352 seguidores Ler as 499 críticas deles

    3,5
    Enviada em 13 de abril de 2016
    Beasts of No Nation, filme dirigido e escrito por Cary Joji Fukunaga, já tem seu nome marcado na história do cinema por ter sido o primeiro filme original produzido pelo sistema de streaming Netflix, que adquiriu os direitos de distribuição mundial da obra, lançando-a simultaneamente online e nos cinemas – o que causou uma polêmica enorme, principalmente entre as grandes de redes de cinema dos Estados Unidos, que boicotaram o filme, relegando-o a um lançamento limitado nos cinemas pequenos e independentes do país. O filme é centrado na figura de Agu (Abraham Attah), um menino africano que vê a sua família ser destruída no meio de uma guerra civil de uma nação sem nome. Em consequência disso, Agu acaba sendo “acolhido” pela tropa rebelde liderada pelo Comandante (Idris Elba), que lhe abraça como um filho e o treina como um soldado-criança, uma máquina de violência, uma fera, que encara os fronts de batalhas como se fosse um verdadeiro adulto. Ou seja, Beasts of No Nation é uma história que mostra a perda da inocência por parte de Agu, que, no meio de todo esse conflito, entra em contato com o sentimento de perda, com a violência, com o uso de drogas, com a crueldade e é, literalmente, obrigado a fazer e a testemunhar atos que nunca deveriam ser feitos ou vistos por uma criança como ele. Por isso mesmo, Beasts of No Nation acaba sendo uma obra muito difícil de se assistir – ainda mais porque sabemos que a realidade retratada por Cary Joji Fukunaga (responsável também pela excelente direção de fotografia do filme) é muito condizente com o que ocorre nos países africanos que vivem envolvidos em disputas de poder. Chega a ser impressionante, por isso mesmo, acompanhar a evolução da atuação do estreante Abraham Attah, especialmente a partir do momento em que ele encara um verdadeiro embate dramático com Idris Elba, que está magnético e excelente como o Comandante que exerce uma influência enorme sobre os seus subordinados – que são mesmo capazes de tudo por ele. Mas, a mensagem mais positiva que adquirimos ao assistir a Beasts of No Nation é que, mesmo diante de tanto sofrimento e violência, o que Agu mais queria era a oportunidade de ser criança novamente, de ver a sua família reconstruída e, principalmente, de reencontrar a paz e a alegria que ele foi forçado a perder. Isso está presente nos seus diálogos com Deus, no decorrer do filme, e na sua própria consciência diante de tudo aquilo que ele pratica.
    Celso M.
    Celso M.

    Segui-los 113 seguidores Ler as 178 críticas deles

    5,0
    Enviada em 22 de novembro de 2015
    Um dos melhores filmes que já tive o prazer de conferir. Doído, crú e absolutamente bem feito. O diretor Fukunaga , com todo o elenco primoroso, simplesmente reproduziu arte em cada segundo. Prenda a respiração e deixe-se levar por uma viagem extrema , profunda e marcante. Maravilhoso!
    Neto S.
    Neto S.

    Segui-los 4367 seguidores Ler as 773 críticas deles

    4,0
    Enviada em 12 de janeiro de 2016
    Em uma cidade africana, Agu (Abraham Attah) é uma criança, que atingida pela guerra, é transformada em soldado. Após a morte de seu pai por militantes, ele é obrigado a abandonar sua família para lutar na guerra civil da África do Sul, instruído por um grande comandante (Idris Elba) que o ensinará os caminhos de um conflito.Muito bom, esse filme tem uma historia muito boa, o jovem ator Abraham Attah esta excelente assim como o resto do elenco,uma bela fotografia, o filme otimas cenas, recomendo. Nota 9.2
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top