Meu AdoroCinema
  • Meus amigos
  • Meus cinemas
  • Notas Express
  • Minha coleção
  • Minha conta
  • Promoções
  • Desconectar
Uma Noite de Crime: Anarquia
Nota média
2,8
11 publicações
  • Cinema com Rapadura
  • The Hollywood Reporter
  • Cineweb
  • Almanaque Virtual
  • Papo de Cinema
  • Screen International
  • The Guardian
  • Omelete
  • Rubens Ewald
  • Variety
  • Télérama

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

11 críticas da imprensa

Cinema com Rapadura

por David Arrais

No campo das atuações, a grande força do elenco está no bom entrosamento visto em tela. O diretor se mostrou competente na condução tanto das cenas de ação quanto nos momentos mais intimistas, em que os personagens discutem temas mais profundos ou pessoais.

A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

The Hollywood Reporter

por Frank Scheck

Levando a ação, literalmente, para as ruas, "Uma Noite de Crime: Anarquia" explora de forma eficiente a sua premissa de acesso direto ao entregar um suspense muito mais visceral do que seu antecessor. Goste ou não, uma nova franquia parece ter nascido.

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

Cineweb

por Alysson Oliveira

Rituais de sacrifício [...] ganham uma nova dimensão na era da superexposição: a noite de caçada é televisionada ao vivo e em tempo integral. E é impressionante – pois a utopia é dialética, trazendo dentro dela a distopia. Nessa noite é quando fica mais evidente.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

Almanaque Virtual

por Gabriel Gaspar

... [se] passa no mesmo universo do primeiro filme, mas traz personagens e tramas completamente novas. Esse é outro mérito da franquia, que não escolheu a opção preguiçosa de repetir a fórmula do primeiro...

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Papo de Cinema

por Roberto Cunha

O argumento é, no mínimo, insano. Além de botar o dedo na ferida da eterna divisão de classes, o suspense reserva ainda uma interessante inversão de papéis (perto do final), quando a vingança, mola propulsora de um dos personagens, torna-se um prato que se come quente e ao amanhecer.

A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

Screen International

por Tim Grierson

"Uma Noite de Crime: Anarquia" é um pouco mais bem feito do que a média do gênero. Ele não vai permanecer na sua memória por mais de 12 horas, mas pelo menos é eficaz, sombrio e empolgante.

A crítica completa está disponível no site Screen International

The Guardian

por Mike McCahill

Parece uma versão modesta de "Fuga de Nova York", com o lobo solitário Frank Grillo representando os sobreviventes entre motociclistas góticos e soldados. Para a Universal, a franquia não representa riscos altos, mas DeMonaco melhorou como diretor.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

Omelete

por Marcelo Hessel

O gás de "Anarquia" dura pouco. O espectador precisa se contentar com tipos manjados do terror de baixo orçamento (o maníaco de avental, o bando de mascarados) e o texto não faz mais que martelar as ligações armamentismo/fundamendalismo da extrema direita americana e os bordões dos revoltosos.

A crítica completa está disponível no site Omelete

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

O elenco é fraco e tudo resulta inferior ao original (as cenas de rua são canhestras e nada espetaculares) e a premissa da história continua a não me convencer, e por vezes irritar.

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

Variety

por Guy Lodge

Uma sequência esperta, mas sem surpresas [...] Esta continuação barulhenta muda de gênero, trocando a invasão doméstica pelo suspense urbano que expande a sátira de classes. O sucesso, no entanto, acabou tornando essa possível franquia em algo que se leva a sério demais.

A crítica completa está disponível no site Variety

Télérama

por Nicolas Didier

Esta crítica da sociedade americana e do liberalismo triunfante é profundamente hipócrita: o cineasta filma de maneira complacente a violência que pretende denunciar.

A crítica completa está disponível no site Télérama
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top