Meu AdoroCinema
Um Momento Pode Mudar Tudo
Críticas AdoroCinema
2,0
Fraco
Um Momento Pode Mudar Tudo

Título genérico, trama genérica

por Lucas Salgado
Hilary Swank tem uma carreira curiosa. Surgiu para o mundo em Karatê Kid 4 - A Nova Aventura e acabou mandada embora de Barrados no Baile, o que acabou sendo algo positivo, por fechou com Meninos Não Choram, pelo qual levou o primeiro Oscar. O segundo viria cinco anos depois pelo belo trabalho em Menina de Ouro. Apesar das conquistas, a atriz parecia sempre em busca de um grande sucesso de bilheteria, o que a colocou em enrascadas como O Dom da Premonição, O Núcleo - Missão ao Centro da Terra, A Colheita do Mal e por aí vai.

Um Momento Pode Mudar Tudo - FotoAgora, a atriz volta a deixar o circuito comercial mais de lado e foca em produções independentes mais dramáticas, como foi o caso de Dívida de Honra e este Um Momento Pode Mudar Tudo. Por sinal, ela deve ter se visto subindo no palco da Academia para receber uma terceira estatueta após ler o roteiro deste último. Sua personagem é tudo que os organizadores do Oscar amam. Ela sofre com uma doença degenerativa e é obrigada e mudar sua vida após a traição do marido. Em tese, seria um papel perfeito para premiações. Em tese.

O problema é que estamos diante de um drama repleto de clichês de superação e de cenas forçadas. Diante do tema, é até possível que alguém se emocione em determinado momento, mas é tudo muito condicionado e pouco envolvente. Swank não vai mal, mas sua personagem está longe de ser tão complexa como aponta a premissa. O roteiro também não ajuda, oferecendo cenas desconexas e pouco interessantes.

A direção de George C. Wolfe (Noites de Tormenta) é apenas ordinária, criando um filme sem ritmo e sem alma. A trilha sonora é discreta, mas não consegue evitar sequências melodramáticas.

Destaque da série Shameless e conhecida pelo trabalho em O Fantasma da Ópera, Emmy Rossum é o destaque do elenco, criando uma personagem divertida e exótica, mas também dependente. O problema, mais uma vez, pode ser atribuído ao roteiro, que coloca a personagem como uma potencial artista que tem medo do palco. Mais clichê impossível.

Josh Duhamel, Stephanie Beatriz, Jason Ritter, Ali Larter e Marcia Gay Harden completam o elenco. Com exceção do primeiro, que vive o marido, os outros quatro dão vida a personagens desimportantes e desinteressantes. O mesmo vale para os veteranos Loretta Devine e Ernie Hudson.

Embora possa funcionar como um filminho de Sessão da Tarde um dia, a verdade é que Um Momento Pode Mudar Tudo ("tradução" para You're Not You) é um longa destinado ao esquecimento.
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

Mostrar comentários
Back to Top