Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Cinquenta Tons de Liberdade
    Críticas AdoroCinema
    1,5
    Ruim
    Cinquenta Tons de Liberdade

    Enfim livres

    por Lucas Salgado
    Lançado em 2015, Cinquenta Tons de Cinza chegou aos cinemas pegando carona no grande sucesso literário de E.L. James, que tinha como característica principal a forte presença do sexo na história. Num cenário geralmente conservador, acabou chamando a atenção de quem buscava um programa, digamos, mais picante, ainda que tudo seja muito sugestivo. Dois anos depois foi a vez de Cinquenta Tons Mais Escuros chegar às telonas, e agora temos a estreia do capítulo final da trilogia, Cinquenta Tons de Liberdade.

    Se o primeiro filme já era bem fraquinho, a coisa foi piorando nos seguintes. Os conflitos foram perdendo sentido e, para piorar, havia pouca evolução narrativa nas histórias dos protagonistas e antagonistas. O novo longa nada mais é do que a união de vários pequenos videoclipes musicais com um background soft (bom softporn. Há muito pouco de desenvolvimento, o que vemos é uma colagem de cenas eróticas - nada muito diferente do visto antes - com uma trilha musical insistente. Falando em colagem, o filme tem a coragem de inserir uma "retrospectiva de melhores momentos do casal" no final de tudo, assumindo de vez sua natureza brega e piegas. 

    O longa começa praticamente onde terminou o anterior, seguindo com o casamento entre Ana e Christian. Casados, eles se adequam a vida juntos, ao mesmo tempo que ainda lidam com a ameaça do ex-chefe dela, que tem uma grande obsessão pela família Grey. Abandonando quase que por completo a história de Elena, a ex-amante de Christian, o longa é muito falho do ponto de vista narrativo.


    James Foley segue na direção e realiza um trabalho confuso e pouco inspirado, tanto do ponto de vista visual, quando com relação ao ritmo. A montagem realizada à seis mãos não ajuda, insistindo em pequenos cortes como forma de apresentar a passagem de tempo.

    O roteiro de Niall Leonard é o pior de toda trilogia, com alguns diálogos e momentos completamente sem sentido. Após o casamento, Christian leva Ana para a Lua de Mel em seu jatinho particular, quando vemos a jovem surpresa com o fato dele ter um avião. Já estamos no terceiro filme e ela ainda não entendeu que ele é muito rico? Há demonstrações bem claras desde o início. Todo o desenvolvimento do vilão Jack também é pobre, principalmente a história por trás, que aborda sua relação com ex-secretárias e assistentes, numa dinâmica de chantagem completamente invertida.

    É claro que Niall também não teve muita ajuda do texto original. Ainda que disfarçadamente o filme tente tratar de empoderamento, ele evidentemente falha ao investir num relacionamento repleto de bandeiras vermelhas. Por trás do que a autora entende como romance, há um comportamento machista permanente, de posse. E a obra é machista em vários sentido. É o caso quando Christian se revolta com a forma como a esposa se veste. É o caso quando o filme joga mulheres uma contra as outras, sempre brigando por homens. É o caso quando uma amiga de Ana é tratada como louca ou temperamental ao desconfiar do namorada. E por aí vai...

    E mais grave, com poucos minutos de filmes, logo após o casamento, já vemos uma cena em que a mulher faz uma referência deslocada e sem sentido a uma possibilidade de gravidez, mais uma vez reforçando estereótipos femininos. Quer algo mais clichês do que a mulher puxar uma conversa sobre gravidez e o homem não demonstrar interesse. Não faz sentido algum, até porque a personagem passa por um momento de afirmação em sua vida pessoal e profissional. Ela quer se manter independente do marido e mostrar seu valor no trabalho.


    Dakota Johnson e Jamie Dornan seguem como rostinhos (e corpos) bonitos, mas o mesmo não pode ser dito de seus talentos dramáticos. A atriz adota um tipo de atuação "não sei se falo ou respiro", com pausas exageradas e um sussurro quase que permanente. O ator, por sua vez, possui uma cara de confuso ao longo de todo o filme, como se não estivesse entendendo o roteiro. Em sua defesa, o espectador passa pela mesma situação. 

    Cinquenta Tons de Liberdade possui vários defeitos, mas um bom título. Ainda que Anastasia esteja longe de alcançar uma liberdade, pelo menos nós, espectadores, estamos sim, enfim, livres.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Alana N
      olha, concordo um pouco, correspondeu ao livro mas apagou completamente a história e as partes importantes da história, antes fazer um filme longo e detalhado do que fazer um filme curto que tirava 3/4 do livro
    • Alana N
      mas por que exatamente seria um relacionamento abusivo se a mesma assinou um contrato onde permitia o Christian de fazer BDSM com ela? Você assistiu mesmo o filme e leu mesmo o livro? Porque a todo momento o Christian dava algo à Anastasia e ela sempre negava ou brigava com ele por comprar coisas caras pra ela, acho que deveria ler o livro novamente e aprender a interpretar, porque a triologia no cinema é bem ruim mesmo, mas sua crítica sobre o casal foi muito ??????????
    • Rafael Ferreira
      É normal que filmes ruins tentem cativar o público por meio de trilha sonora, prática antiga já.Mas essa trilogia, nem isso salva.
    • Brenda Cruz
      Perfeito seu ponto de vista. Parabéns!!
    • Mutley
      A trilogia do cinema é péssima e que se dane os livros, tudo lixxo.
    • Silva
      Tem certeza que vc realmente leu o livro??? me desculpe, leia novamente!!!Li a trilogia apenas seis vezes. ;)
    • Elianne Carvalho
      assistir a trilogia e não li livro, pq já sabia que era fanzine do sem noção do crepúsculo outra historia insossa. Agora 50 tons sempre foi abaixo do esperado pra mim, sempre imaginei um filme mas forte e visceral, algo 9 semana e meia de amo misturado com atração fatal, eu imaginava outra coisa, sempre fico faltando e a quem, ou seja até como romance ficou podre. não tem nada pra gosta, nem a cenas picante era boas, não havia tensa apropriada nas cenas dramáticas, foi tudo água com açúcar, chato e previsível.
    • AIMI HAYATO
      sim sim sim sim, é exatamente isso, os livros são maravilhosos porém esse ultimo filme, em especial, deixou muuuito a desejar, tanto no enredo do mesmo e o final
    • AIMI HAYATO
      ao contrario do livro, que foi maravilhoso de se ler, o filme destruiu toda a historia original cortando as partes em que deveria ter mais enfoque, e alem de pular muitas partes importantes que estão no livro, o filme adiciona cenas que contradizem o original; sinceramente esperava muito. mais
    • Amanda Silva
      Gostei do filme,não tem como seguir a risca um livro em apenas 02:00 horas de filme,para quem gosta desse gênero de filme ,recomendo.
    • Mikaellen Appil
      Eu gostei do filme, apesar de ver muitos comentários ruins. Acho que o diretor quis colocar um romance diferente atingindo mesmo os menores de 18 anos. Se o filme fosse seguir certinho tudo que está no livro acredito que ficaria muito difícil atingir à todos. É um romance diferente. Senti falta de alguns personagens importantes onde podiam ter desenvolvido mais o drama, concordo com isso. Mas Hollywood gosta de mostra que no final tudo dá certo.
    • Ju Fassy
      Vdd, tbm notei, rola até uma vergonha alheia!!!
    • Ju Fassy
      A Deusa Interior, kkkk!!! Tinha até esquecido dela!
    • Ju Fassy
      Vi há pouquinho, realmente tem muita pieguice, cenas de constranger mesmo, tinha muitos casais, imaginei o sofrimento dos homens, provavelmente queriam ver Pantera Negra se pudessem escolher, rs. E sim, cortaram muitos trechos do livro, mas fazer o que; livros são sagrados, as adaptações geralmente são inferiores, ainda mais quando o livro já não é lá essas coisas...
    • Alexine R.
      Ainda não vi este último, não deve ficar muito atrás dos outros. Se for seguir a linha dos anteriores e dos livros... é uma higiene mental com cenas, gente, figurino bonitos. Passa tempo. A autora já tinha perdido a chance de explicar e desenvolver os personagens, os filmes não iriam fazer isso.
    • aline
      filme continua muito ruimmmmm pelo amor sou mais o livro mesmo afff sem pé e cabeça só quem leu assim como eu tres vezes pq amou vai entender que os fimes foram pessimos
    • Silene H.
      Fui assistir porque uma amiga ganhou os ingressos, graças à Deus eu não paguei para assistir o filme, a pipoca e a coca foram de graça. O cinema foi bom pq o filme atrasou e deu pra conversar um pouco, mas o filme é péssimo! Assistir esse filme é puro constrangimento, não pelas cenas de sexo, mas porque é ruim mesmo! Ele é voltado na riqueza e luxo que o Tal do Grey pode proporcionar. Audis, jatinhos e mansões servem para provar o quando o dinheiro pode fazer uma mulher se submeter a uma relação abusiva , ser feliz e enganar se a si próprio achando que está no poder por que faz tudo que o tal do Grey pede na cama. Mas quem manda na situação toda é o tal do Grey, que tem sérios problemas afetivos, mas que tem grana pra jogar na privada ... assim como fazemos com o nosso tempo quando assistimos esse filme.
    • Thalita Gomes
      Eu ameiiiiiiii...correspondeu ao livro. Se não leu o livro, não queira fazer criticas ao filme :)
    • Ademar Ramos Brilhante
      Quem assiste essa bosta? Eca!!!!
    • Alan B.
      Essa franquia é uma verdadeira abominação, os livros não são grande coisas, com histórias bem fracas e os filmes não ficam atrás, ainda bem que essa trilogia acabou, já vai tarde.
    Mostrar comentários
    Back to Top