Meu AdoroCinema
Até que a Sorte nos Separe
Sessões Trailers em destaque Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Filmes Online Curiosidades Bilheterias Filmes similares Notícias
Críticas AdoroCinema
1,0 Muito ruim
Até que a Sorte nos Separe

Dinheiro fácil

por Bruno Carmelo

Até que a Sorte nos Separe é um filme sintomático. Mais do que ilustrar o modo Globo Filmes de produção, ele representa um certo tipo de humor burlesco e televisivo, frequentemente associado às crianças (Os Trapalhões vêm à mente), mas cada vez mais vendido ao público adulto. Trata-se do humor da caricatura, que exagera os mais famosos estereótipos sociais: gordos, nerds, gays, mulheres fáceis, femmes fatales etc.


Foto - FILM : 204056Este tipo de humor encontra a representação perfeita na imagem de Leandro Hassum, ator preso ao físico igualmente caricatural. Não por acaso, sua barriga saliente aparece no filme antes do seu rosto: Hassum não tem um físico, ele é este físico. Sua veia cômica se manifesta sempre nas formas do ator, e não nas possíveis formas de seus personagens. Assim, que ele esteja presente em Os Caras de Pau, em programas infantis ou em qualquer outra história, Leandro Hassum interpreta sempre Leandro Hassum.


No caso, ele faz o sujeito que ganha na loteria, gasta todo o dinheiro mas precisa esconder a nova situação financeira, já que sua esposa está convenientemente passando por uma gravidez de risco. Está instaurada a farsa, e sua simples mecânica de opostos: os personagens são ricos ou pobres, gordos ou magros, frígidos ou loucos de tesão. Logicamente, como este é o mundo mágico de Globo Filmes, o estado de "pobreza extrema" em que se encontram os personagens é representado pelo trabalho em uma loja já bem instalada e lucrativa, recebida como presente de um tio bilionário. Santa miséria.


Se o roteiro esquemático fosse o único problema de Até que a Sorte nos Separe, esta ainda poderia ser uma comédia tolamente divertida. Mas a parte técnica e as atuações beiram as piores esquetes de Zorra Total. A cena de abertura é tão precariamente montada, com uma iluminação tão ruim, que fica a nítida impressão de que Roberto Santucci tocou o projeto no piloto automático, com o mínimo esforço possível.


Foto - FILM : 204056Santucci, operário-padrão do cinema popular, que pode se dar ao luxo de lançar dois filmes em um ano só (De Pernas pro Ar 2 vem aí), mostra uma preocupação ínfima com a qualidade do seu produto, deixando as equipes técnicas comporem estéticas que não se completam, e liberando os atores a performances descontroladas, como é o caso novamente de Hassum. São tantas caras e bocas, gritos e chiliques, que cenas como a reação do marido à gravidez inesperada de sua esposa (Danielle Winits, esforçada) beiram o insuportável.


A questão não é atacar os filmes da indústria, que são essenciais à sustentação da cinematografia brasileira, nem as adaptações de modelos televisivos, que já renderam crônicas sociais mais inteligentes. O problema é ver este cinema feito em esteira de produção, com cada trabalhador montando a peça de um produto sem conhecer o resultado final, sem a menor coesão ou coerência.


Por fim, perdoa-se filmes amadores por terem técnicas amadoras, mas Até que a Sorte nos Separe captou milhões de reais do Governo Federal para entregar uma obra constrangedora, uma espécie de fast food em busca do lucro fácil, e que ainda tem a cara de pau de terminar com uma mensagem idealista do tipo "dinheiro não importa, o importante mesmo é ser amado". Haja paciência.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Alex R.

    Curti

  • Simone G.

    não concordei muito com a crítica não. O trailler faz com que a gente espere mais do filme, porque realmente é a reunião das melhores cenas, mas acho que mesmo com a pegada do "exagero" o saldo do filme é positivo, deu pra dar boas risadas e divertir o domingo.

  • Anne K.

    Comédia brasileira que faz a gente rir sem precisar apelar aos xingamentos.

  • Brecho C.

    Na minha humilde opinião, os criticos não foram honestos com este filme, que é extremamente engraçado, relaxante e simples. Comédia pra vc rir, diálogos simples, diretos e muito comum, sem palavrões ou coisas do gênero. Amei e indico para quem quer rir sem muita frescura!

  • JulioCes_

    Muuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom .. Acho que a crítica desse filme não teve nada aver com o filme.. Foi um humor virado pras crianças q fez o cinema inteiro dar gargalhadas sendo que quase todos eram adultos.. amei o filme 

  • Edilal

    Sofrível as caras e bocas de Leandro Hassum, ele faz sempre o mesmo tipo exagerado, realmente não agradou.

  • Leonardo Barcelos

    Concordo com a crítica. Leandro Hassum é extremamente exagerado, tanto que beira o ridículo. Em fim, muito ruim. O filme é até engraçado vez ou outra, mas raso e bobo.

  • Pedro Cunha

    muito engraçado, cheio de humor
    e sem aquelas cenas ridiculas de sexo, muito bom recomendo

  • Terranova

    Depois do "Agamenon" assistir a filmes brasileiros ficou meio traumático (no sentido de ser bom ou não). 
    O filme é muito bom e pode até ser analisado do ponto de vista comportamental de casais baseados na razão e na emoção.

  • Andr? Luiz M.

    como faço para assistir ?

  • Ludimylla A.

    e otimo o filme  e tão bom esse filme e otimo pra caramba
    eu adorei o filme   

  • Vav?

    Bom bom bom bom,  morri de rir.  vale à pena.
    e o melhor,  crianças podem assistir.

  • Debbie

    Ameeeeei, ótimas piadas, sem forçar a barra, Leandro Hassum como sempre está incrível, gargalhadas garantidas.
    Super recomendo nota 10.

  • alex souza

    óótimo,tbm néh leandro hassun uma figura kkkk,mto engraçado ...um dos melhores filmes brasileiros que ja vi

  • Helenamar S.

    muito mas muito bom, divertido e familiar sem cenas fortes  e livres para todas as idades. swouu

  • Gustavo S.

    Achei bem engraçado ! Não concordo com a nota do ADOROCINEMA.

  • Senhor Ivan!

    Que nunca sonhou,em fazer uma "fezinha" e poder ganhar na loteria?Acho que todo mundo não é?Pois bem,o começo desse filme você irá presenciar esse breve momento de felicidade,entre o casal Tino e Jade.Mas realmente é um breve momento mesmo,pois logo após essa cena,o filme começa de verdade e com o que tem pra mostrar.O diretor Roberto Santucci,está meio que vacinado nessas comédias sem conteúdo.Assim ele fez De Pernas pro Ar,que apesar de ser melhor do que Até que a Sorte nos Separe,ainda mostra o mesmo tipo de comédia de stand up.Aqui quem é o responsável por esse tal feito,é Leandro Hassum,que traz todo os seus jeitos e suas performances de suas peças de humor,deixando pra trás apenas seu parceiro Marcius Mellem.Pra quem gosta de uma comédia nacional com muita piada de duplo sentido,e não conter uma história interessante,esse filme é a grande pedida.

  • Gwen Stacy

    Achei Fraco, mas o ponto positivo é que não apela pra palavrões ou cenas de sexo
    então é legalzinho sim

  • Roberto Carlos M.

    assisti no canal megapix hd, muito ruim, história muito mal produzida e muito mal dirigida, atuações nem um pouco convincentes, não achei nenhuma cena hilária, não recomendo.

Mostrar comentários